Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

Você sabe o que faz um arquiteto de TI?

Você já ouviu falar na profissão arquiteto de TI? Ela está em alta no mercado devido ao crescimento do uso da tecnologia no setor produtivo. Hoje, é quase impossível pensarmos na rotina de uma empresa sem a utilização de recursos automatizados.

Por ser uma área em constante evolução, os profissionais interessados em seguir essa carreira devem ser pessoas que gostem de inovação e de se manterem atualizadas sobre todas as novidades do setor. Mais do que simplesmente promover reparos, o arquiteto de TI tem um papel muito importante no desenvolvimento de sistemas capazes de aperfeiçoar processos e trazer soluções de acordo com as necessidades dos empregadores.

Com a visão completa de um negócio, ele ocupa uma função extremamente estratégica. Capaz de desenhar alternativas computacionais, escolher padrões e definir camadas de softwares, ele integra todos esses recursos para promover a evolução de negócios.

Ficou interessado nessa profissão? A seguir, nós contaremos todos os detalhes sobre ela, incluindo a rotina de trabalho, a situação do mercado e o que é preciso fazer para se tornar um arquiteto de TI. Confira!

voce-sabe-o-que-faz-um-arquiteto-de-ti.jpg

O que faz um arquiteto de TI?

O arquiteto de tecnologia da informação (TI) desenvolve soluções para resolver problemas de um negócio. A sua atuação integra sistemas diversificados, tecnologias, serviços e produtos. É essencial que esse profissional conheça bem a empresa a qual trabalha e também toda a cadeia produtiva dela para, a partir disso, estabelecer a conexão com a área tecnológica.

Enquanto os arquitetos de outros setores ocupam-se do desenho de estruturas, plantas e a otimização de espaços, na tecnologia da informação os projetos acontecem em computadores, dispositivos móveis, dados e redes de comunicação com o aperfeiçoamento de processos.

Dentre as competências que o arquiteto de TI utiliza em seu dia a dia, podemos destacar:

  • Metodologias de projeto de sistemas;
  • Técnicas de modelagem;
  • Conhecimentos de padrões de arquitetura;
  • Habilidades de consultoria e gerência de projetos.

Diariamente, novas tecnologias são descobertas, prometendo facilitar a vida das pessoas e trazer eficiência aos processos corporativos. Nesse contexto, inserem-se um grande volume de dados e sistemas complexos, os quais precisam ser integrados.

A partir disso surgiu a demanda no mercado por um profissional capaz de dominar inovações, estar em constante evolução e operar sistemas tecnológicos para produzir resultados conforme a necessidade de um negócio.

A maioria dos processos de uma empresa depende de recursos automatizados para operar. Nesse sentido, o arquiteto de TI deve monitorar de perto o desempenho deles, evitando problemas de lentidão e indisponibilidade nos sistemas. Em caso de falhas, a manutenção deve ser rápida para que a empresa não sofra prejuízos.

Baixe agora

Como se tornar um especialista em arquitetura de TI?

Para exercer o cargo de arquiteto de TI é necessário que o profissional curse uma especialização, aprimore o seu domínio tecnológico, mantenha-se atualizado e desenvolva competências pessoais como liderança, capacidade de trabalhar em equipe e gerenciamento de informações.

A especialização em Arquitetura e Soluções de TI constitui uma pós-graduação (lato sensu) focada na demanda do mercado. Dessa forma, ela prepara os estudantes, exclusivamente, para desempenhar as funções da área.

A duração do curso gira em torno de 18 meses — um ano e meio —, com uma carga horária um pouco maior que 400 horas. É interessante o fato de que as aulas não comprometem o seu trabalho ou demais compromissos, já que elas podem acontecer mensalmente, três vezes por semana, fora do período comercial — noites de quinta e sexta-feira, manhãs e tardes de sábado.

O principal objetivo da especialização é preparar líderes técnicos para projetar, gerenciar e aprimorar modelos de arquitetura de sistemas, de informação e de infraestrutura. Com isso, os pós-graduados serão capazes de auxiliar empresas, de todos os portes e setores, a usarem as inovações tecnológicas ao seu favor. Novas tendências e recursos também são abordados, de forma que o estudante fique atualizado e ambientado com a temática.

Cabe ressaltar que o domínio do inglês é muito importante, uma vez que algumas das técnicas de programação utilizadas na rotina de trabalho do arquiteto de TI não contam com tradução para o português.

voce-sabe-o-que-faz-um-arquiteto-de-ti.gif

Público-alvo

O público-alvo é composto por profissionais que acumulam experiência nas áreas de arquitetura corporativa e arquitetura técnica, gestores, especialistas em TI e demais pessoas que querem dominar o assunto e projetar soluções tecnológicas inovadoras para diversos tipos de negócio.

Por se tratar de uma pós-graduação, é necessário ter o ensino superior completo para se matricular.

Grade curricular

A grade curricular é bem ampla e aborda conteúdos como arquitetura de software e DevOps, user eXperience, Data Warehouse, arquitetura de Big Data, NET, JAVA, business process management, arquitetura em Cloud Computing, segurança de aplicações, métricas de qualidade e maturidade de software.

Como é o mercado de trabalho para essa profissão?

Como dissemos, há oportunidades de seguir a carreira em empresas dos mais variados segmentos. Com o desenvolvimento cada vez mais acelerado das tecnologias, o mercado necessita de profissionais capacitados para lidar com elas.

Entre os desafios enfrentados na rotina de trabalho destaca-se a otimização de sistemas de uso corporativo para empresas de diversos setores, tais como hotéis, indústria automobilística e seguradoras. Além da programação de novos sistemas, os recursos já presentes no mercado, nas mãos do arquiteto de TI, precisam ser configurados para atender a necessidades específicas de cada contratante.

Entre esses sistemas podemos citar o Customer Relationship Management (CRM) — gestão de relacionamento com o cliente —, Enterprise Resource Planning (ERP) — sistema de gestão empresarial —, Human Capital Management (HCM) — gestão do capital humano — e Supply Chain.

A remuneração para o arquiteto de TI pode variar de acordo com o tempo de experiência do profissional e também com o setor em que ele atua. O salário médio gira em torno de R$ 8.000 a R$ 15.000.  

Descobriu como é o trabalho de um arquiteto de TI? Se você ficou interessado, talvez esse seja o momento de voltar aos estudos e se especializar. A carreira é muito promissora e recompensa bem os profissionais qualificados.

E então, gostou do texto de hoje? Ainda resta alguma dúvida sobre o assunto? Compartilhe nos comentários!

Acessar material

pós-graduação, computação e TI

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.

ÚLTIMOS POSTS

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS