Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

Tudo que você precisa saber para bombar o currículo no LinkedIn

Postado por Fábio Albuquerque

Todo profissional que se preocupa com a carreira e almeja crescer na profissão, aproveitando boas oportunidades de trabalho, precisa incluir seu currículo no LinkedIn. Afinal, a plataforma de empregos conta com perfis de usuários de várias partes do mundo e promove a rápida conexão entre eles, além do compartilhamento de conteúdo relevante sobre negócios.

Contudo, para obter os melhores resultados profissionais no LinkedIn, é necessário seguir algumas dicas e ficar atento a detalhes que fazem toda diferença. Nesse artigo, você vai conferir orientações para criar um perfil atraente e tornar-se uma personalidade relevante na rede.

Comece agora mesmo a leitura e saiba como destacar-se e fazer bombar o currículo na rede.

tudo-que-voce-precisa-saber-para-bombar-o-curriculo-no-LinkedIn.jpg

Qual é a importância de ter um perfil no LinkedIn?

Desde que foi lançado, em 2003, o LinkedIn tornou-se a maior plataforma profissional online do planeta, abrangendo usuários em mais de 200 países. Isso significa que quem inclui seu currículo no LinkedIn tem acesso a oportunidades de emprego em seu país e em várias outras partes do mundo.

Quer mais um motivo para criar um perfil na rede? Saiba que o Brasil já é o terceiro maior mercado dessa rede profissional online, com 25 milhões de usuários. Nosso país fica atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. Além disso, hoje o LinkedIn é mais que um site para empregos, atuando como um verdadeiro portal de networking, conteúdo e soluções.

Na rede há muitas ferramentas voltadas para a carreira, inclusive uma de busca de oportunidades. Basta digitar o cargo, nome da empresa ou palavra-chave relacionada à área de interesse e clicar em pesquisar para obter resultados de vagas abertas. E com os filtros disponíveis, é possível refinar ainda mais a procura. Você pode, por exemplo, filtrar por data de publicação da vaga ou nível de experiência.

Outra vantagem é a possibilidade de salvar as suas buscas de emprego. Fazendo isso, sempre que surgir uma nova vaga compatível com as suas expectativas, o sistema enviará uma notificação para o seu perfil.

Neste caso, a orientação para obter melhores resultados é fazer e salvar múltiplas buscas utilizando termos bem específicos como “analista de marketing”, “designer gráfico”, “programador”, “gestor de eventos”, “gerente de loja” ou qualquer outro cargo relacionado ao seu campo de atuação profissional.

Como criar um perfil no LinkedIn?

O primeiro passo é acessar o LinkedIn e preencher o cadastro inicial com os dados básicos solicitados: nome, sobrenome, e-mail ou número de telefone e senha, que deve conter, pelo menos, 6 caracteres.

Nesse momento, vale recordar a clássica dica de segurança dos especialistas e fugir de senhas comuns ou óbvias como nome, apelido ou data de aniversário. Para construir uma chave forte e segura, misture letras, números e outros símbolos, por exemplo, @ e $.

Depois de preencher o cadastro inicial, basta clicar no botão “cadastre-se agora” para concluir a primeira fase e dar sequência à construção do seu perfil. As próximas etapas exigirão mais dados pessoais e profissionais.

Na segunda parte do registro, destinada à identificação da sua região e seu estado profissional, você terá de informar seu CEP, indicar se está ou não empregado ou se é um estudante em busca de estágio. No caso de estar trabalhando, deverá informar também o nome da empresa, o setor de atuação e o cargo ocupado.

Após o preenchimento, prossiga o processo clicando em “Criar meu perfil”. O passo seguinte é validar a criação da conta acessando o link enviado pela equipe do LinkedIn para o seu e-mail cadastrado. Faça isso rapidamente para dar sequência à elaboração do seu perfil profissional na rede.

Escolha o tipo de conta

O LinkedIn oferece uma conta Basic, gratuita, e uma conta Premium, com várias opções de upgrade a partir de valores preestabelecidos. Entre as alternativas pagas, há níveis de perfis voltados para quem deseja achar o emprego ideal, descobrir oportunidades de vendas, encontrar e contratar talentos ou ainda promover sua vida profissional.

Também é possível experimentar uma conta Premium de modo gratuito antes de assinar o plano. Todavia, para quem está começando a usar a rede, vale a pena iniciar com a conta básica e depois, se necessário, migrar para uma conta paga.

Na versão Basic, você consegue: criar sua identidade técnica e manter uma rede profissional de confiança, retomar o contato com colegas de profissão, fornecer e pedir recomendações, solicitar apresentações, pesquisar e conferir perfis de outros usuários, seguir e participar de grupos, receber mensagens, salvar pesquisas e receber alertas sobre seus interesses.

Retomando a criação do seu perfil

Ao acessar o perfil, você encontrará na parte superior da tela uma lista de tarefas. O preenchimento dos tópicos não é obrigatório, mas segui-los facilitará a complementação do seu perfil e evitará que informações importantes fiquem fora da sua página no LinkedIn.

Durante todo o preenchimento de dados, tenha em mente que essa é uma rede profissional e que seu perfil funcionará como um currículo, podendo ser avaliado por possíveis empregadores. Portanto, dedique-se a essa atividade.

Informe tudo sobre atual trabalho, empregos anteriores, estágios, formação acadêmica, competências etc. Escreva de modo claro, compreensível, objetivo e dentro da norma culta. Ao descrever as atividades profissionais, inclua ainda, se houver, freelancers, aulas particulares e serviços de consultoria.

Para a construção da sua rede, o LinkedIn indicará alguns contatos que você talvez conheça ou que tenham formação e interesses parecidos com os seus. Monte uma rede com colegas de trabalho, contatos da universidade, profissionais que já trabalharam com você e executivos que podem gostar do seu perfil e oferecer boas oportunidades.

Ao falar de suas competências e especialidades, escolha bem as palavras-chave. Utilize termos que resumam bem suas habilidades e tenha cautela quanto à quantidade de palavras para não poluir o currículo no LinkedIn. Vale destacar apenas as competências que te colocarão à frente no mercado.

O campo “Cursos” é destinado a cursos de média e curta duração que você fez e que têm relação com a sua área profissional. Já na parte de “Projetos”, você pode adicionar trabalhos que compõem o seu portfólio.

Como tornar o perfil profissional mais atraente?

A regra básica para criar um bom perfil no LinkedIn é seguir, por exemplo, um guia do currículo perfeito. Mas, além disso, você pode tornar sua página mais atraente nessa rede profissional, colocando as dicas abaixo em prática.

Capriche nas fotos

Dados da própria rede apontam que perfis com fotos têm 14 vezes mais visualizações que os perfis sem fotografia do profissional. Isso porque, a imagem dá mais credibilidade ao currículo, desde que seja bem escolhida.

Opte por uma foto que transmita profissionalismo e autenticidade. Algo não tão sério nem tão descontraído a ponto de passar a ideia de falta de compromisso com o trabalho. A dica vale também para a foto de fundo. Evite imagens de festas, viagens, bebidas ou caretas. Sobriedade é fundamental.

Invista no cabeçalho

Pode até parecer um campo pequeno e simples. Mas ele merece toda a sua atenção, pois se torna o “cartão de visita” do seu perfil. Inclua no cabeçalho o seu atual cargo na carreira ou preencha esse espaço com uma mensagem bacana, que comunique sua inspiração profissional.

Personalize a URL

Muita gente não sabe que a URL do perfil no LinkedIn pode ser personalizada. E não precisa ser nenhum expert para fazer isso. No menu “Configurações”, você pode ajustar o link para algo mais objetivo. Exemplo: "https://br.LinkedIn.com/SEUNOME".

Com a URL personalizada, fica mais simples encontrar sua página em sites de busca, o que aumenta as chances de seu perfil ser visto em primeira mão por recrutadores e contatos importantes.

Baixe agora

Use as palavras-chaves certas

Outro detalhe que facilita o encontro do seu perfil é o uso das palavras-chaves ideais. Na área “Especialidades”, disponha palavras comuns ao seu setor de atuação ou campo que deseja ingressar.

Um designer gráfico, por exemplo, pode incluir “Photoshop”, “Illustrator”, “Corel Draw”, “InDesign”. Já um gestor comercial pode apostar em “CRM”, “ERP”, “SWOT”, entre outros. O importante é ser sincero quanto às especialidades e não acrescentar nada além daquilo que realmente se domina.

Monte um bom resumo

É comum que quem esteja em busca de novos talentos olhe primeiro o resumo do currículo no LinkedIn antes de ler o perfil completo do profissional. Sendo assim, invista tempo e atenção na tarefa de elaborar essa descrição que deve ser tão sucinta quanto completa.

Você tem cerca de 300 palavras para listar experiências, conquistas, competências, habilidades e interesses. Divida o texto em dois parágrafos no máximo e escreva-o com um tom pessoal, em primeira pessoa. Produza uma narração com verbos ativos, edite e revise para evitar quaisquer erros ortográficos ou gramaticais.

Informe as formações de nível mais alto

Se você está cursando ou já concluiu o ensino superior, comece por aí. Nesse caso, não há necessidade de listar informações sobre o ensino médio nem sobre os anos anteriores a ele.

Comece com a graduação e, se for o caso, complemente a seção com dados sobre pós-graduação, mestrado e/ou doutorado. Foque os cursos mais interessantes para a área em que você deseja atuar.

Tenha uma boa abordagem ao convidar conexões

Gostaria de trabalhar numa empresa específica ou desenvolver parcerias com profissionais renomados? Pesquise o perfil de executivos e convide-os para a sua rede de contatos usando uma abordagem criativa e consistente.

Crie um texto que os motive a aceitar seu convite. A ideia é demonstrar interesse pelo trabalho deles e mostrar-se um profissional competente, a fim de convencê-los de que a conexão será vantajosa para ambas as partes.

Responda e converse

Recebeu uma solicitação de conexão ou uma mensagem? Responda com atenção e empatia. Relacionamentos sólidos são construídos a partir dessas pequenas gentilezas. Faça parte de grupos relacionados ao seu setor de atuação e comente as publicações com sobriedade e bons argumentos.

Essa presença ativa, coerente e amigável ajuda a aumentar a relevância do seu perfil e a sua autoridade profissional no LinkedIn.

Participe de grupos importantes

Além de excelentes pontes para conexões relevantes, os grupos reúnem informações atualizadas sobre determinados setores profissionais. Fazer parte de grupos sobre a sua área de atuação significa que você se preocupa em acompanhar discussões importantes e tendências.

Tenha um perfil em outro idioma

Para ampliar suas chances de contratação, aposte na tradução da sua página para outras línguas. A plataforma dispõe de um recurso que possibilita criar um “espelho” do perfil em outro idioma, conservando o link igual ao original.

Atualize suas informações regularmente

Mantenha uma frequência de acesso à rede para não perder nenhuma oportunidade profissional e demonstrar que você se preocupa em manter o currículo atualizado. O ideal é entrar no LinkedIn ao menos uma vez por semana para conferir notificações, expandir conexões e ajustar alguma informação do perfil.

Como se tornar uma pessoa relevante no LinkedIn?

Seu destaque nessa plataforma não dependerá só da sua boa formação e experiências profissionais valiosas. Isso contará, com certeza, mas a sua atuação na rede e interação com os outros membros é o que realmente determinará seu sucesso.

Portanto, fique ligado nas atitudes que tornarão você uma pessoa relevante no LinkedIn.

Peça recomendações

Indicações de ex-chefes e colegas de trabalho funcionam como um atestado de que você possui ótimas habilidades profissionais e seu trabalho tem alta qualidade. Boas recomendações farão que seu perfil seja visto de modo mais favorável pelo mercado.

Lembre-se, contudo, de que numa rede social, ainda que profissional, relacionar-se com os outros é lei. Então, seja cooperativo e recomende suas conexões também.

Siga os perfis certos

Para ser visto com bons olhos, siga os melhores. Porém, não basta simplesmente seguir. Se você quer ter relevância no LinkedIn, precisa acompanhar de verdade o que as pessoas relevantes estão fazendo e dizendo.

Procure os perfis mais influentes da sua área de atuação ou do setor em que você pretende ingressar e fique por dentro das postagens desses profissionais. Grandes insights para o seu perfil podem vir dessas páginas.

É uma pessoa empreendedora? Uma boa personalidade a seguir é Chieko Aoki, criadora da rede de hotéis Blue Tree Hotels. Há também Luiza Helena Trajano, da rede varejista Magazine Luiza. As duas fazem parte do Grupo Mulheres do Brasil e sempre falam de assuntos interessantes a respeito de negócios e cultura.

Seja participativo

Se você quer demonstrar conhecimento e fazer novos contatos, ajude as pessoas a sanar dúvidas. No LinkedIn existe uma página destinada apenas a perguntas de usuários sobre os mais distintos temas.

Assumir uma postura participativa nos grupos de discussão, certamente aumentará sua visibilidade e relevância na rede. Só tenha cuidado para não criar ou se envolver em polêmicas negativas. Pense bem antes de postar qualquer coisa e revise tudo o que escrever.

Aproveite os aplicativos

Você pode usar os aplicativos que a plataforma disponibiliza para tornar-se mais relevante. A ferramenta WordPress, por exemplo, é excelente para quem tem um blog profissional e quer disseminar os conteúdos que produz.

No LinkedIn você ainda pode mostrar os livros que está lendo e os locais que pretende visitar. Use isso a seu favor!

Compartilhe conhecimento

O usuário dessa rede profissional tem a oportunidade de compartilhar textos autorais com suas conexões por meio da ferramenta “Escreva um artigo”. Para aumentar a relevância do seu perfil, convém publicar pontos de vista sobre seu ramo de atuação, análises de casos e resenhas sobre suas experiências na profissão.

Para ter uma ideia de quanto essa seção é importante, basta conferir um dado oficial da plataforma: o Brasil tem uma média de 12 mil publicações por semana e é o país que consome mais conteúdo e passa mais tempo na ferramenta.

Como escrever no LinkedIn?

A ferramenta “Escreva um artigo”, presente no topo da página inicial, está disponível para todos os usuários da plataforma e já é usada por muitos, sobretudo, por personalidades de projeção global como Bill Gates e Hillary Clinton.

Publicar textos no site aumenta muito a exposição do profissional e dá um ótimo impulso na carreira. Afinal, autores que alcançam grande destaque entram para o seleto grupo de “influenciadores” do LinkedIn. Todavia, a publicação de artigos requer muita responsabilidade para que a ação tenha apenas efeitos positivos na rede.

O primeiro passo para obter uma boa repercussão com o texto é escrever sobre assuntos que você conheça e domine e que tenham relação com sua vida profissional. Depois, vale seguir as orientações básicas para escrever bem: clareza, coerência e coesão.

Histórias de superação compõem o estilo de artigo mais lido pelos usuários da plataforma. Narrativas sobre como a demissão impulsionou uma mudança benéfica para a carreira, como depois de perder tudo o empresário deu a volta por cima ou como a crise obrigou o profissional a reinventar-se fazem muito sucesso e geram excelentes contatos.

Outro tipo de texto bacana e apreciado é o participativo. Aquele em que o autor, em vez de respostas, apresenta questionamentos e convida o leitor a propor sua opinião na busca por boas argumentações sobre o tema abordado.

No mais, crie títulos instigantes, adicione uma imagem no topo para chamar atenção, divida o artigo em tópicos ou use o formato de lista. Lembre-se de que sempre que você escreve um texto no LinkedIn, todas as suas conexões recebem uma notificação sobre o artigo. Então, capriche na escrita e aproveite a oportunidade para impressionar possíveis empregadores e parceiros de trabalho.

Quais erros não devem ser cometidos no LinkedIn?

Para ganhar relevância entre os usuários da rede, você deve seguir as dicas que já demos e tomar cuidado para não cometer erros. Afinal, gafes podem colocar sua credibilidade em dúvida e afugentar contatos importantes.

Veja abaixo o que você não deve fazer, nunca, no LinkedIn.

Forjar informações

Assim como no currículo comum, inventar ou distorcer informações nessa plataforma de relacionamentos profissionais é um erro fatal. Isso porque, cedo ou tarde, o recrutador que se interessar pelo seu perfil vai checar os dados e mentiras dessa ordem mancham a imagem do profissional.

Solicitar recomendações a todo mundo

Critério e cautela são as palavras que devem nortear sua atuação no LinkedIn. Já falamos aqui que recomendações são importantes para você tornar seu perfil mais atraente e ganhar relevância na rede. No entanto, não fica bem pedir por uma recomendação a conexões que nem conhecem seu trabalho direito. Essa é uma atitude depreciativa e oportunista.

Descuidar do português

Erros de gramática e ortografia, dos mais sutis aos mais graves, afastam boas oportunidades profissionais, pois passam a ideia de que a pessoa não se dedicou o suficiente à criação do perfil. Recrutadores costumam encarar isso como falta de compromisso profissional.

Então, antes de publicar qualquer coisa na rede ― alterações de perfil, textos, comentários ou mensagens ― revise, revise e revise para evitar deslizes linguísticos.

Desobedecer o contexto

O LinkedIn é uma rede social profissional. Sendo assim, nada de usar a plataforma para outros fins, como paquerar, marcar festas, incitar o ódio ou discriminar pessoas. Esse tipo de atitude atesta total falta de profissionalismo e afugenta as conexões relevantes.

Desrespeitar os termos de utilização

Um erro comum dos usuários do LinkedIn é ter contas duplicadas na plataforma. Muitas vezes, isso ocorre porque a pessoa se esquece de que já tinha feito um perfil ou não se lembra dos dados de acesso e cria outra página com informações iguais.

Essa prática depõe contra a organização e seriedade do profissional. E há um jeito muito simples de evitar tal falha: o próprio LinkedIn tem um ótimo tutorial com o passo a passo de como encerrar contas duplicadas no site. Com poucos cliques, é possível encontrar e desativar a conta antiga.

Outro equívoco recorrente é a criação de perfis pessoais para empresas. Na realidade, empreendimentos devem ter uma “Company Page”, algo similar à FanPage do Facebook, ou seja, página com formato mais apropriado para pessoas jurídicas. A plataforma também disponibiliza uma série de indicações para a correta edição da LinkedIn Company Page.

Agora que você sabe o que fazer e que atitudes evitar para tornar seu perfil profissional um sucesso, não perca mais tempo e dê um up em seu currículo no LinkedIn já! Mas antes, deixe seu comentário aqui no nosso post.

O conteúdo foi útil? Ficou alguma dúvida? Informe como podemos ajudar ainda mais!

Acessar material

pós-graduação

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS