pós-graduação

Ruptura digital: o que é e quais são os seus efeitos?

Fábio Albuquerque
13-11-2018 5:27

Há algumas décadas, a sociedade vem experimentando uma profunda transformação nas suas relações pessoais e profissionais. No campo corporativo, por exemplo, até então, somente as grandes organizações tinham acesso a tecnologias e metodologias ágeis de trabalho. Contudo, a ruptura digital passou a ser acessível a todos os negócios e, também, às pessoas.

O mundo tal como conhecemos hoje é um reflexo dessas profundas mudanças, que continuam acontecendo dia após dia. Neste artigo, falaremos sobre o conceito de ruptura digital, os seus efeitos e, também, a importância de se adaptar a essa nova realidade. Confira!

ruptura-digital-o-que-e-e-quais-sao-os-seus-efeitos

Mas, afinal, o que é a ruptura digital?

Para mais bem compreender o termo, é preciso esclarecer o que significa a palavra “ruptura”. De acordo com o dicionário, ela é a "ação ou o efeito de romper ou de se romper; rompimento". Isso quer dizer que ela representa uma divisão, anulação abrupta.

Apesar de representar um desgaste, a ruptura também traz uma ideia de reinício, principalmente, quando associada ao mundo digital. Logo, podemos definir a ruptura digital como uma renovação nos efeitos que as tecnologias digitais têm sobre os modelos tradicionais de negócios. Ou seja, é uma revolução que rompe e supera as barreiras das tecnologias existentes.

Como a ruptura digital impacta o mercado?

As mudanças causadas pela utilização da tecnologia estão se tornando cada vez mais frequentes. A realidade atual é que as tecnologias revolucionárias estão abrindo espaço para aquelas com características disruptivas. Ou seja, elas rompem drasticamente e substituem o que já existe, a fim não só de atender aos anseios do mercado, mas também dos consumidores.

Quer ver alguns exemplos? É só observar os serviços oferecidos por empresas como a Uber, Netflix, Spotify, AirBnb. Todas romperam a barreira dos negócios tradicionais por meio de tecnologia inovadora e criaram espaço para um novo mercado lucrativo.

Como a ruptura cria uma transformação completa na maneira de fazer negócios, é de se esperar que todos os processos corporativos internos sejam impactados por essas mudanças e reinventados à sua maneira. Por exemplo, a cultura de um negócio precisa ajustar-se à nova forma, principalmente, no que diz respeito às relações de trabalho entre os  colaboradores.

As soluções prontas e rotinas copiadas de outros negócios tornam-se uma prática obsoleta. Além disso, as decisões passam a ser tomadas para garantir a competitividade, aflorando o pensamento crítico dos profissionais. As lideranças também são impactadas. Elas passam a trabalhar tendo como base o comportamento e os anseios dos consumidores, em vez de se embasar na própria organização.

Os processos produtivos são igualmente atingidos. O sucesso de um produto, por exemplo, é determinado pelo uso de tecnologias como o Business Intelligence e Big Data, que indicam o caminho pelo qual a empresa deve seguir para conquistar o público, desde características do produto até sua divulgação.

Todos os processos passam a ser orientados pela Inteligência Artificial. Não só por ela, mas também pela imersão na realidade virtual e, também, pela tecnologia cognitiva. Tudo conectado para garantir o alinhamento de toda a organização.

Baixe agora

Como se preparar para as transformações?

É fato que a ruptura digital impacta diretamente as empresas, mas os profissionais também precisam adaptar-se à nova realidade imposta a eles. Alguns passos são especialmente importantes e ajudam no processo de preparação de ambas as partes!

Entenda a ruptura

É praticamente impossível prever quando e como a ruptura digital acontecerá, mas, ainda assim, é possível preparar-se. Para isso, é necessário analisar criteriosamente as tendências do setor de atuação, compreendendo as possibilidades que ele oferece de desenvolvimento e, também, o surgimento de novidades. Assim, é possível ter uma ideia do que está por vir.

Vale lembrar-se de que é preciso um senso apurado para separar a ruptura de um modismo. Esse último gera muita empolgação, mas o seu impacto é limitado. Enquanto isso, a ruptura é capaz de redefinir completamente as necessidades do mercado e causar profundas transformações.

Crie mecanismos de detecção da ruptura

Para detectar uma ruptura digital antes que seja muito tarde e os concorrentes saiam à frente, é necessário definir um mecanismo de detecção, a fim de monitorar indicadores externos, os quais incluem mudanças no comportamento do consumidor e novidades com relação ao consumo. Esses dois são pontos importantes, pois costumam ser a origem de toda mudança.

Por meio do mecanismo de detecção, será possível obter muitos dados. Ficar atento a mercados adjacentes e também aos riscos investidos é de suma importância. Logo, a presença de profissionais capazes de lidar com essas informações e extrair insights delas é essencial.

Estude os concorrentes

Na ruptura digital, a concorrência se torna mais acirrada, pois ela pode surgir de qualquer lugar, até mesmo daquelas empresas que não atuam diretamente no seu nicho. Por isso, identifique os possíveis concorrentes e as suas estratégias.

Estude a utilização de tecnologias disruptivas pelas empresas, mesmo que seja um território antes não explorado. Veja as estratégias que os concorrentes têm aplicado aos seus negócios. Isso pode ser indicativo dos próximos passos que eles darão.

Prepare a resposta

giphy

Ao entender o impacto da ruptura digital, é possível preparar uma resposta à altura dos anseios do mercado. Após conduzir pesquisas de mercado e promover programas de inovação, busque incorporar conversas cotidianas com os clientes e especialistas do setor, a fim de acelerar o processo de renovação.

A partir disso, elabore respostas que possam ser constituídas de medidas defensivas ou ofensivas para a ruptura digital. Por exemplo, medidas simples como a otimização da cadeia de valor do negócio ou a alteração do posicionamento da companhia podem aproximá-lo do consumidor.

Quais os benefícios da ruptura digital?

A ruptura digital é grande responsável pelas transformações que vemos na sociedade atual. Consequentemente, ela está atrelada a uma série de benefícios. Veja quais são eles!

Atuação em um mercado inexplorado

Um dos grandes benefícios da ruptura digital é a possibilidade de atuar em um mercado ainda inexplorado e tornar-se uma referência no segmento. Dependendo da disrupção provocada, a empresa se tornará a líder naquele nicho.

Maior lucratividade

Se a ruptura proposta for bem-aceita pelo mercado consumidor, é possível esperar um crescimento significativo, que se transformará em uma alta lucratividade para o negócio.

Maior qualificação da equipe

Para provocar profundas transformações de mercado, é fato que a empresa precisará de profissionais atualizados. Isso gerará uma maior busca por especialização, que inclusive deve ser incentivada pela própria empresa, por meio de cursos, workshops, palestras.

Para poder aproveitar todas as vantagens da ruptura digital, as empresas precisam adaptar-se e evoluir rapidamente, a fim de garantirem a sobrevivência dos negócios. Os impactos para o negócio que se propõem a essas mudanças são enormes, vide os exemplos de empresas que citamos no artigo.

E então, gostou do conteúdo? Quer continuar se bem-informado? Siga-nos nas redes sociais: estamos no Facebook, Instagram e Twitter!

Acessar material

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos