pós-graduação engenharia

Quais são as melhores especializações na área de engenharia?

Mariana Brito
31-08-2017 6:20

De acordo com uma pesquisa do ManPower Group, realizada em 42 países, os engenheiros estão entre os 10 profissionais mais em falta no Brasil, ocupando a sexta posição. Porém, mais do que apenas os graduados, há uma tremenda falta de quem é especializado. Por isso, conhecer as melhores especializações na área de engenharia é muito importante para fazer uma escolha conveniente e que te ajude a se destacar no mercado.

Assim como acontece na graduação, a continuidade dos estudos na engenharia pode seguir vários caminhos. Dependendo do seu interesse e das suas aptidões, uma especialização pode ser mais indicada do que outra. Portanto, o melhor jeito de encontrar o seu caminho é conhecendo as diferentes possibilidades.

Continue lendo, veja quais são as melhores áreas para seguir e entenda qual será sua possível atuação em cada uma!

quais-sao-as-melhores-especializacoes-na-area-de-engenharia.jpg

1. MBA em Engenharia Sanitária e Ambiental

Em 2007, foi sancionada uma lei que determinava a coleta e o tratamento de esgoto de todas as residências brasileiras. Após 10 anos, houve uma evolução no número de domicílios que possuem tratamento de esgoto: de 42% das residências em 2007 para 50% dos imóveis em 2017. Porém, isso mostra que metade da população brasileira ainda não possui saneamento básico adequado.

Isso leva a uma série de problemas, em todos os aspectos. A propagação de doenças diversas é facilitada, prejudicando a qualidade de vida da população local. Também há prejuízos para o meio ambiente, já que pode ocorrer a contaminação de córregos, rios e até de lençóis freáticos.

Diante dessa situação, o engenheiro pode ser o profissional que ajudará a resolver essa questão. Para tanto, é desejável possuir um MBA em Engenharia Sanitária e Ambiental.

Essa é uma especialização voltada para o cuidado dos recursos naturais, ao mesmo tempo em que se liga à necessidade de garantir boas condições sanitárias para a população. Com essa formação, portanto, o engenheiro consegue realizar projetos que, de fato, contemplam ambos os aspectos.

O que o curso ensina?

Um MBA desse tipo foca-se em aprofundar conceitos relevantes tanto para a parte sanitária quanto para a questão ambiental. Mais do que isso, são consideradas as diferenças regionais ligadas a cada projeto, já que condições naturais e de ocupação humana modificam a forma como o saneamento básico pode ser executado.

Os conhecimentos de um MBA desse tipo também tratam sobre a coleta e distribuição de água, eliminação de dejetos, manejo do lixo e a construção de sistemas ambientalmente responsáveis.

Há, ainda, uma abordagem quanto à viabilidade técnica, ao levantamento, avaliação e mitigação de riscos, seleção das melhores soluções e como lidar com áreas que já estão contaminadas.

A ideia é criar projetos que protejam tanto a saúde humana quanto a disponibilidade dos recursos humanos.

Quais são as funções do profissional formado?

Alguém que conclua esse MBA estará capacitado para atuar como o responsável técnico de projetos de saneamento de diversos tamanhos. Ou seja, o engenheiro poderá tanto cuidar do sistema de saneamento de uma residência ou de uma rua, quanto realizar essa etapa em relação a um bairro ou cidade.

Além disso, ele se torna responsável por coordenar equipes, determinar o uso de recursos e ferramentas e estabelecer quais são as melhores soluções para cada caso.

Porém, as questões sanitárias aliadas à preservação do meio ambiente nem sempre são simples. Comumente, trazem desafios que não possuem uma solução pronta e é função desse profissional encontrar saídas viáveis e eficientes.

Para completar, o engenheiro especialista pode ser o responsável pela realização de estudos de viabilidade, assim como pela garantia de manejo adequado da poluição, evitando a contaminação de áreas.

Por que escolher essa especialização?

O simples fato de haver tantos brasileiros sem acesso ao saneamento básico demonstra que essa é uma área com grande capacidade de desenvolvimento.

Diante da necessidade e da obrigação de que o máximo de pessoas tenha acesso a esses serviços, profissionais da área serão progressivamente requisitados e valorizados.

Além disso, a preocupação com a sustentabilidade ambiental é uma questão que ganha crescente importância. O uso responsável dos recursos nunca foi tão urgente e, para o futuro, a tendência é que isso se consolide.

Essa, portanto, é uma das melhores especializações na área de engenharia justamente porque é focada em uma necessidade futura que não dá sinais de enfraquecer. Com isso, é uma forma de abrir espaço para uma atuação relevante e que dificilmente sofrerá com crises, por exemplo.

2. Cálculo de estruturas

A estrutura é um dos elementos mais relevantes para qualquer edificação, independentemente do material de sua composição. Ela garante não apenas a estabilidade pontual, mas permite que o imóvel possa ser utilizado da forma adequada, com segurança e praticidade.

Um prédio, por exemplo, não deve simplesmente ser capaz de ficar de pé. Sua estrutura precisa ser dimensionada de tal maneira que sejam considerados desde o uso humano — como o emprego de móveis — até fatores externos, como ventos e chuvas.

Além de tudo, materiais variados possuem resistências e comportamentos diferentes. Uma estrutura metálica, por exemplo, tem um comportamento diferente daquela de madeira ou de concreto armado. Tão importante quanto saber onde aplicar cada uma, portanto, é fazer um cálculo adequado de todos os pontos.

Porém, esse é um assunto que exige atenção e aprofundamento, que não podem ser completamente adquiridos durante uma graduação. Por causa disso, uma das melhores especializações em engenharia é, justamente, aquela ligada ao cálculo de estrutura.

quais-sao-as-melhores-especializacoes-na-area-de-engenharia-.jpg

O que o curso ensina?

A grade curricular de uma especialização desse tipo acompanha a importância da tarefa que é o cálculo estrutural. Por isso, foca-se em abordar conhecimentos como a dinâmica das estruturas, como realizar fundações e quais são os possíveis problemas que podem surgir em cada caso.

Por falar nisso, há uma preocupação em tratar, separadamente, de cada material que pode ser utilizado. Com isso, a grade curricular contempla desde estruturas metálicas e de madeira até as de concreto armado ou protendido e as especiais.

Além de tudo, uma boa estrutura não é relevante apenas para prédios, mas também para pontes. Com isso, o curso ensina todos os fundamentos importantes sobre esse elemento e ainda trata da modelagem de estruturas variadas.

Quais são as funções do profissional formado?

Quem faz essa especialização passa a ser conhecido como engenheiro estrutural, calculista ou projetista de estruturas. Ele é o responsável por um dos passos iniciais de qualquer obra, calculando quais serão as deformações sofridas por uma estrutura, qual será seu possível comportamento e quais são as medidas de cada parte construtiva.

Ele também utilizará elementos como o fator de segurança e o atendimento às normas técnicas, de modo a projetar estruturas que cumpram com o seu papel de um jeito conveniente.

Em outras funções, ele pode fazer o trabalho na direção oposta e avaliar uma estrutura que já existe ou até que entrou em colapso. Com isso, pode identificar se houve algum erro e qual possível comportamento levou ou levará a um efeito sobre a construção.

Por que escolher essa especialização?

A estrutura é, literalmente, a base de qualquer construção. Com isso, sempre é necessário contar com um profissional desse tipo para conseguir o máximo de segurança e qualidade com a obra.

Essa característica garante que um engenheiro da área possa trabalhar nos mais diferentes ramos da economia, o que ajuda a evitar a crise e favorece o dinamismo de possibilidades na carreira.

Ao escolher essa opção, você optará por uma das possibilidades mais importantes da construção civil. Assim sendo, também há maior valorização do engenheiro estrutural, já que a responsabilidade é tão grande.

Além de tudo, o campo de atuação é bastante diversificado. Mesmo obras de infraestrutura, como a construção pública de pontes, exige um profissional desse tipo. Dessa forma, abre-se um extenso leque de opções.

3. Engenharia de segurança do trabalho

A cada ano, cerca de 700 mil acidentes de trabalho são notificados no Brasil. De 2012 a 2016, houve mais de 13 mil mortes decorrentes desses quadros. Para piorar a situação, existe um grande custo associado a esse número alarmante: são mais de R$ 20 bilhões de oneração aos cofres públicos.

As condições insatisfatórias de trabalho, a falta de preparação e os hábitos inadequados estão entre os maiores responsáveis por situações desse tipo. Foi exatamente pensando nesse panorama que foram criadas, por exemplo, as Normas Regulamentadoras (NR) do trabalho, de modo a aumentar a proteção dos trabalhadores.

Para que isso seja possível, é necessário contar com os profissionais certos e é justamente aí que surge o engenheiro de segurança do trabalho. Com os conhecimentos adquiridos, pode criar ambientes seguros tanto para os colaboradores quanto para quem contrata.

A melhor forma de atuar nesse ramo, portanto, é buscar se tornar um especialista em segurança do trabalho, de modo a contemplar todos os elementos envolvidos em uma atuação como essa.

O que o curso ensina?

Um engenheiro que busca a especialização em segurança do trabalho aprenderá, em primeiro lugar, sobre a legislação e as normas técnicas que vigoram sobre esse tema.

Eles funcionam como manuais de atuação e determinam responsabilidades, obrigações e necessidades variadas para que se atinja um patamar realmente sustentável.

O curso também aborda a higiene no trabalho, a proteção do meio ambiente, identificação e controle de riscos e as doenças do trabalho.

Como diferencial, ainda há o ensino de proteção contra incêndios e a integração entre administração e o tema, tornando essa uma das melhores especializações na área de engenharia.

Quais são as funções do profissional formado?

O engenheiro de segurança do trabalho é o responsável técnico mais importante nesse sentido, juntamente do médico do trabalho. É ele quem faz uma avaliação de todos os riscos do ambiente de trabalho, determinando quais ações devem ser tomadas para mitigá-los.

Ele também desempenha tarefas ligadas à criação de programas de proteção, assim como de ações obrigatórias por lei, como a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT).

Ele ainda é responsável por emitir laudos técnicos, fazer a comunicação de acidentes, elaborar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e coordenar todas as atuações, de modo a garantir que o ambiente seja seguro e esteja dentro das normas.

Acessar material

Por que escolher essa especialização?

Acidentes de trabalho custam dinheiro não apenas para o poder público, mas também para os empregadores. Há custos quanto ao acompanhamento médico dos colaboradores, valores de indenização e de substituição, mesmo que temporária, do trabalhador.

Além de tudo, há gastos em relação às multas referentes à não obediência do que é disposto na legislação. Em caso de fiscalização, a empresa perde dinheiro.

Com um mercado muito competitivo, é preciso diminuir essas despesas de modo a melhorar a rentabilidade. Sendo um engenheiro de segurança do trabalho, você se torna um profissional capaz de garantir esses resultados para o empreendimento, destacando-se e recebendo grande valorização.

Para completar, fazer essa especialização é um meio de fornecer maior qualidade de vida, engajamento e motivação para os colaboradores.

Além de haver a atuação direta nos empreendimentos — principalmente, na indústria —, depois de formado é possível realizar consultorias de auxílio a empresas que possuam problemas nesse sentido.

4. Gestão e desempenho de edificações

Além de seguras, as obras precisam ser eficientes e econômicas, sem que haja perda de qualidade. Para tanto, é fundamental que haja uma gestão eficiente dos projetos e seus diversos componentes. Para tanto, é preciso incorporar a parte técnica da obra — como cálculos e dimensionamento — à questão prática, voltada para a execução.

Uma abordagem como essa garante um desempenho favorecido da construção, qualquer que seja o seu propósito. Além de diminuir o tempo de realização de tarefas, trata-se de uma tarefa que reduz erros, retrabalhos e desperdícios. Dessa maneira, há um resultado otimizado, com menos custos e qualidade dentro do previsto.

Essa é uma atuação que tende a ser cada vez mais importante para o futuro e que fomentará o mercado de construção civil, além de favorecer o uso adequado de recursos e o alcance de novos patamares de produtividade e lucratividade.

Nesse caso, um profissional se beneficia ao buscar uma especialização voltada para a gestão e o desempenho de edificações, de forma geral.

O que o curso ensina?

Para criar um gestor plenamente capacitado a obter o melhor desempenho das edificações e da construção, o curso trata de ferramentas de garantia de qualidade, orçamento e planejamento de projeto, gerenciamento de obras e especificação de materiais, principalmente.

Para apoiar todos esses conceitos, as estruturas de materiais diferentes são abordadas, assim como sistemas hidráulicos e sanitários, de impermeabilização, de vedação e mais.

Para diminuir o consumo desnecessário, são tratadas questões como desempenho térmico, acústico e energético, assim como a viabilidade econômica antes da implantação, evitando a suspensão de obras por fatores como esses não terem sido considerados.

Por fim, há o ensino a respeito da construção enxuta, que trata sobre o mínimo de desperdício com o máximo de qualidade e de eficiência.

Quais são as funções do profissional formado?

Um especialista em gestão e desempenho de edificações é responsável por alguns dos processos cruciais para o sucesso da obra. É ele quem define, por exemplo, quais são valores destinados para cada setor, assim como qual é o escopo de execução.

Ele é o responsável por definir métricas e objetivos, além de realizar o acompanhamento de todo o processo. Ao mesmo tempo, ele deve garantir a integridade das estruturas e manter o nível de qualidade dentro da faixa exigida.

Formando-se nessa área, portanto, o engenheiro precisa preservar o funcionamento e a eficiência construtiva, bem como fazer com que tudo aconteça dentro de parâmetros econômicos, seguros e produtivos.

Por que escolher essa especialização?

Ao longo dos últimos anos, o ramo de construção civil tem encontrado algumas dificuldades, especialmente aquelas relacionadas aos custos. Mais do que erguer um edifício, agora é necessário que tudo aconteça de uma maneira econômica e lucrativa.

Portanto, construtoras e demais empresas do ramo estão em busca de profissionais que entendam a questão do ponto de vista da administração, além de dominar a área técnica.

Como a graduação, normalmente, não é o suficiente para oferecer isso, essa é uma das melhores especializações na área de engenharia para que você atenda a esses requisitos.

O principal resultado é que é possível dar um salto na carreira, tornando-se alguém com maior qualidade técnica e capacidade de oferecer resultados diferenciados.

Como a tendência é que o ramo se torne progressivamente competitivo, fazer agora uma especialização do tipo significa entrar em um mercado cheio de oportunidades.

quais-sao-as-melhores-especializacoes-na-area-de-engenharia.gif

5. MBA Construção Sustentável e Edificação Eficiente

Estima-se que de 40 a 75% de toda a matéria-prima do planeta é utilizada na construção civil. O consumo de toneladas de cimento, por exemplo, é até maior do que o de alimentos e ainda há a geração de entulho. Tal questão sobrecarrega o meio ambiente sem, necessariamente, ampliar a qualidade ou a capacidade técnica de uma construção.

Além de tudo, a falta de eficiência que existe no setor faz com que tudo saia mais caro, onerando os custos ao cliente final e diminuindo a margem de lucro.

Estando o mundo cada vez mais preocupado com o meio ambiente e a perpetuação de recursos, é fundamental que todos os setores da economia se engajem. Com isso, é muito comum encontrar construtoras que procuram um selo verde, por meio de certificações internacionais.

Como há uma mudança no panorama de atuação, a qualificação precisa acompanhá-la — e é nesse cenário em que surge o MBA de construção sustentável e edificação eficiente.

O que o curso ensina?

Uma especialização dessa área é focada, principalmente, em tratar de certificações ambientais. São repassados os conceitos ligados aos principais processos de certificação, de modo que o profissional entenda qual é o nível de qualidade a ser atingido e o que deve ser observado.

Ele também trata de práticas sustentáveis gerais, como cidades e construções que já seguem esse padrão. Na parte mais técnica, há um estudo sobre energias renováveis, eficiência energética, desempenho de estruturas, avaliação quanto ao impacto dos materiais, viabilidade financeira e gestão ambiental.

Há, portanto, desde uma abordagem conceitual e técnica até uma questão prática, que está ligada à gestão da execução. Desse modo, o engenheiro compreende completamente o que deve estar envolvido nessa mudança.

Quais são as funções do profissional formado?

Quem se forma nessa especialização tem como tarefa principal garantir o equilíbrio entre uso de recursos, geração e descarte de entulho e garantia de eficiência e qualidade.

Ele deve coordenar, por exemplo, a elaboração de um projeto construtivo, levando em consideração todas as questões socioambientais. É o caso de pensar em formas de consolidar o reaproveitamento de água e uso de energias limpas para o abastecimento funcional do prédio.

Também precisa se preocupar com a contaminação do meio ambiente e, portanto, realiza medidas de mitigação para evitar o descarte incorreto de elementos. Durante a execução, ele deve conferir que tudo está acontecendo conforme o planejado.

Eventualmente, também pode trabalhar com consultorias, laudos técnicos e avaliações independentes de viabilidade.

Por que escolher essa especialização?

Com o risco de os recursos do planeta se esgotarem, todas as atividades da economia têm buscado novas formas de produzir. Com a construção civil não é diferente: a tendência é que, nos próximos anos, haja uma procura ainda maior por certificações de qualidade e sustentabilidade, o que exige um corpo técnico bem preparado.

Além disso, um profissional que se forma nessa área poderá se destacar mesmo em empresas que não estejam objetivando a conquista da sustentabilidade. Por meio de um melhor manejo e utilização de recursos, suas ações geram economia, evitam multas e melhoram a percepção da empresa no mercado.

Graças a esse MBA, há uma visão completa e integrada do papel da engenharia em relação ao meio ambiente, o que favorece uma atuação que se destaca positivamente.

Após conhecer as melhores especializações na área de engenharia, basta procurar uma instituição séria, reconhecida e de qualidade. Ao final, o título servirá mais do que para engrandecer o seu currículo, já que te levará mais longe em sua profissão.

Gostou desse post e quer continuar recebendo nossas dicas exclusivas sobre educação e carreira? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

Baixe agora

 

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos