pós-graduação

Preconceito no ambiente de trabalho: como lidar

Fábio Albuquerque
18-09-2018 7:18

Você sabia que mais da metade dos brasileiros já sofreu discriminação ou preconceito no ambiente de trabalho? Esse é o triste resultado de um levantamento feito pelo site Vagas.com. Ele revela que situações que causam vexame ainda são muito comuns nas empresas.

Os motivos são os mais diversos e vão desde o cargo ocupado até as características pessoais, como timidez e introversão. É fato que muitas empresas se empenham para garantir um ambiente livre de práticas discriminatórias; contudo, os casos ainda são comuns e você precisa aprender a lidar com isso.

Continue a leitura e saiba como reagir diante de uma situação de preconceito no ambiente de trabalho.

preconceito-no-ambiente-de-trabalho-como-lidar

Como o preconceito no ambiente de trabalho se manifesta

No meio profissional, em muitos casos, o preconceito começa já durante a seleção dos candidatos. Ideias preconcebidas sobre gênero, raça, orientação sexual, deficiência física e até idade eliminam de forma injusta e cruel pessoas capacitadas para o trabalho.

Observar a formação socioeconômica dos candidatos também é uma das formas pelas quais o preconceito pode se manifestar. Existe também o preconceito que se revela quando, conscientemente ou não, o recrutador seleciona aqueles candidatos que têm o mesmo perfil físico que ele.

Isso pode estimular o preconceito no dia a dia da organização, quando um grupo homogêneo se depara com um indivíduo que, do ponto de vista deles, destoa do restante da organização. Trata-se de uma cultura de valorização do estereótipo, que é transmitida socialmente entre famílias, amigos e grupos de convivência.

É preconceito quando julgam, a partir apenas do ponto de vista do gênero, que uma mulher é menos capaz de realizar aquela tarefa que, na sua empresa, é feita unicamente por homens. O mesmo vale para os profissionais que têm tatuagem ou piercing — algo ainda associado à marginalidade por algumas organizações.

São alguns exemplos de preconceito no ambiente de trabalho: racismo, homofobia, transfobia, gordofobia, elitismo e machismo.

Baixe agora

Lidando com colegas de trabalho preconceituosos

O preconceito deixou de ser socialmente aceito no Brasil. Na atualidade, existe um esforço muito grande para combatê-lo. Contudo, ainda existem pessoas com uma mentalidade atrasada e que consideram normal fazer piadas que sempre menosprezam raça, sexualidade e condição física.

Para lidar com colegas de trabalho que são preconceituosos, tente sempre o diálogo. E isso deve ser adotado tanto no momento em que você é a vítima quando outra pessoa está sendo alvo de atitudes preconceituosas. Converse com o autor dessa atitude e demonstre com clareza a sua insatisfação.

Fique atento, porque é comum ser interrompido com argumentos ou até mesmo chacotas. Mantenha-se firme e, diante de uma postura reativa, procure o gestor responsável por aquele profissional — afinal, estamos falando de um ambiente cujo foco está nos resultados da empresa, o que exige um comportamento exemplar.

Compartilhe a situação com o gestor do profissional ou da área e, diante de uma minimização da situação, considere a possibilidade de acionar o sindicato que representa sua classe trabalhadora ou mesmo um advogado trabalhista. Reúna provas e denuncie a situação que a empresa se recusa a resolver.

Assumindo nossos próprios preconceitos

Por mais evoluído que você seja, os preconceitos ainda permeiam no seu interior. E eles podem ser manifestados de maneira muito sutil, como quando você segura firme a bolsa ou mochila ao ver alguém que tenha o estereótipo de bandido andando na mesma calçada.

Para não ser preconceituoso, comece a pensar nas suas atitudes. Rotular os outros é uma forma de fortalecer o preconceito, pois fazemos isso a partir de ideias preconcebidas sobre os outros. Será que todas as travestis devem se prostituir ou elas também podem estudar e ocupar cargos como o seu? Reflita.

Deixar de julgar as pessoas é o primeiro passo para impedir que surjam falas ou atitudes preconceituosas. O fato de você ter tido a possibilidade de estudar em uma escola de renome não significa que as demais pessoas também têm, afinal, vivemos em um país marcado pelas desigualdades sociais e econômicas.

Portanto, adote uma postura mais empática com as pessoas e respeite as diferenças. Mesmo que o seu modo de pensar seja diferente, isso não lhe dá o direito de ofender os demais ou emitir opiniões preconceituosas. Sendo assim, reconhecer seus preconceitos é um passo fundamental para enxergar os dos outros.

Colaborando para um ambiente de trabalho saudável para todos

giphy

Admitir que o preconceito ainda existe é o primeiro passo para livrar o ambiente de trabalho dele. Todos os assuntos que envolvem atitudes preconceituosas devem ser debatidos de maneira clara — por meio de fóruns virtuais, comunicados e encontros presenciais.

Nas empresas onde o preconceito se faz mais presente, é comum que as pessoas não falem sobre ele ou finjam que é algo inexistente. É necessário que o assunto seja discutido, com direito à participação de todos. Sem isso, o amadurecimento não chega e o ambiente continua contaminado.

Quem sofre ou presencia casos de preconceito deve buscar ajuda — seja com o gestor ou um profissional da equipe de Recursos Humanos. Jamais seja conivente com o silêncio por medo de represálias ou julgamentos. Sem o respeito às individualidades, os conflitos se tornam mais comuns.

Contribuindo com a mudança

Se você costuma fazer piadas ou comentários com o objetivo de receber a atenção dos demais, é melhor pensar duas vezes. Sem a certeza de que você será compreendido, prefira ficar em silêncio e fazer o seu trabalho, pois alguém pode ficar constrangido.

O ambiente de trabalho precisa de descontração; contudo, não se deve fazer isso por meio do menosprezo de pessoas por causa de suas características. Saiba o limite para brincar e sempre se coloque no lugar do próximo. Gostaria que alguém fizesse comentários desse tipo com você? Pense nisso.

Vale ressaltar que o profissional que discrimina um colega pode ser punido com medidas disciplinares, como advertências, suspensões e, de acordo com o nível da situação, até demissão por justa causa. E a empresa que estimula o preconceito no ambiente de trabalho também pode ser responsabilizada judicialmente.

Como você lida com o preconceito no ambiente de trabalho? Deixe o seu comentário a seguir e aproveite para compartilhar conosco o seu ponto de vista sobre o assunto.

Acessar material

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos