Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

O que é storytelling e qual sua importância para sua carreira?

Postado por Fábio Albuquerque

A psicologia encontra-se presente em nosso cotidiano, desde os menores hábitos possíveis até as ações mais elaboradas. Ao refletirmos sobre nossas atitudes e posturas adotadas, notamos que tudo tem um intuito por trás.

Sabe quando você conta sua conquista para outra pessoa de maneira motivada e com empolgação? No final, essa motivação foi transmitida para o seu ouvinte, que pode até ter passar a seguir o mesmo caminho que você — por mais que este não tenha sido o objetivo inicial.

O storytelling é assim: trata-se de uma prática de forte cunho psicológico que possui o poder de influenciar seus ouvintes sobre uma situação, um produto, uma marca, uma empresa ou você mesmo. Essa estratégia pode fazer com que você se destaque em sua carreira e, consequentemente, cresça como profissional.

Vamos saber mais sobre o que é storytelling e a importância dele para a sua carreira? Confira o post completo a seguir.

o-que-e-storytelling-e-qual-sua-importancia-para-sua-carreira.jpg

O que é storytelling?

O storytelling é uma ferramenta psicológica que tem o poder de direcionar pessoas, fazendo com que elas vejam uma determinada situação sob um ponto de vista pré-determinado. Isso se dá por meio da construção de um pensamento favorável, geralmente com base em uma história.

Quais são os benefícios do storytelling?

Uma mesma história pode ser contada de diversas formas: há quem prefira narrar com base em números, estatísticas e teorias, assim como há também quem opte por humanizar uma narrativa. O storytelling fica com a segunda opção.

Sua prática permite cativar sentimentos de participação, fazendo com que o ouvinte queira vivenciar algo semelhante ao que ouviu. Ele faz com que a propaganda boca a boca seja feita de maneira efetiva, pois uma boa história sempre precisa ser passada adiante. O que nos motiva e nos causa admiração geralmente é passado adiante.

Qual a relação entre o storytelling e a sua carreira profissional?

Até aqui falamos do conceito e dos benefícios do storytelling. Agora você deve estar se questionando: o que isso tem a ver com a minha carreira profissional? Quem faz gestão de carreiras descobriu os poderes do storytelling e conseguiu transformar profissionais, como você, na pessoa certa, que tem uma história brilhante por trás de suas realizações. Que tal começar a contar sua trajetória profissional por meio dessa prática?

Ela possui algumas estratégias que o compõem e permitem sua ligação com os objetivos de quem o adota. Por esse motivo, devemos tomar cuidado com a construção de nossas ideias, pois tudo que é dito passa a ser associado à nossa imagem.

Baixe agora

Quais erros evitar?

Você já entendeu como o storytelling ajuda na criação de um vínculo com a audiência, aumentando as chances de sucesso no processo de comunicação. Na hora de utilizá-lo em suas apresentações, palestras e textos, tome cuidado com alguns erros que são fatais. Confira quais são:

1. Contar mais do que o necessário

Durante uma apresentação, por exemplo, evite colocar informações demais nos slides. Ao invés de contar uma história enorme, opte por encurtá-la. Quando a história é mais curta, o risco de você se perder na narrativa é menor. Sintetize para que a sua história priorize as informações mais importantes e com maior apelo dramático. Apenas tome o cuidado necessário para não enxugar demais, a ponto de perder a graça.

2. Querer aparecer demais

Para que a sua narrativa não se transforme em um monólogo sobre seus feitos e conquistas, evite inserir elementos que mostrem o tempo todo que somente você deseja aparecer. Na narrativa, ao deixar pouco espaço para o que realmente interessa à audiência, você acaba por esconder o objetivo da história e dá margem a interpretações equivocadas.

3. Apelar para o instinto e deixar de lado o roteiro

A narrativa não pode ser dominada por elementos como a impulsividade e a irracionalidade. Jamais deixe que o instinto domine sua história, deixando de lado o roteiro. Por mais que você esteja inspirado naquele dia, evite o improviso. Ele pode fazer com que você perca o fio da meada e a atenção de quem está te ouvindo. Planeje mais e improvise menos.

4. Não se esforçar para inspirar

Não é qualquer história que tem o poder de nos cativar. Quando for contar a sua trajetória profissional, esforce-se e coloque um bom toque de inspiração. A preguiça em buscar forças para inspirar faz com que as histórias fiquem vagas, sem informações. Ajuste o ritmo da sua voz, estude uma postura corporal influenciadora e faça acontecer!

5. Adotar uma postura arrogante

Listar uma série de cursos, idiomas, qualificações e certificados não te faz um profissional melhor do que o outro — não do ponto de vista que cativa. A postura com a qual você vai contar sua história pode transmitir arrogância e soberba para quem vai ouvi-la. Busque maneiras de falar bem com seus ouvintes.

6. Achar que a aparência vai superar o conteúdo

Durante uma apresentação, não basta investir em um poderoso jogo de luzes, cortina de fumaça, telão de LED e outros recursos visuais se a história a ser contada será fraca e vazia. Invista mais no conteúdo do que na forma com a qual você vai apresentá-lo. Seus argumentos vão valer mais do que o excelente layout de uma apresentação em Power Point.

7. Reforçar preconceitos

Vivemos em tempos onde o preconceito deixou de ser tolerado. O reforço de preconceitos, clichês e estereótipos para contar uma história deixou de ser visto como algo engraçado. Por mais que você queira fazer isso somente com o objetivo de arrancar gargalhadas, é melhor evitar.

Por que adotar uma postura profissional e cativante ao narrar sua história?

Conforme vimos no tópico anterior, não basta investir no visual. Gestos, expressões faciais e postura corporal falam muito sobre você. Faça contato visual com a sua audiência, pois a grande protagonista é ela, e não você. Direcione o olhar de quem está ouvindo sua história, para que eles acompanhem com você o conteúdo que será apresentado — ora em você, ora nos recursos visuais.

Quem adota essa prática consegue transmitir conhecimentos e impactar pessoas de maneira mais eficaz do que apenas apresentando números, estatísticas e interpretações. Saber usar o storytelling na carreira tornou-se uma habilidade desejada no mercado de trabalho.

Ficou com alguma dúvida sobre o que é storytelling ou está preparado para adotá-lo em sua carreira? Deixe o seu comentário abaixo e nos conte como essa ferramenta pode beneficiar seu cotidiano profissional!

Acessar material

pós-graduação

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ÚLTIMOS POSTS

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS