Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

O guia definitivo do currículo perfeito

Postado por Fábio Albuquerque

O currículo é o cartão de visitas de qualquer profissional. Não importa se a oportunidade que ele busca no mercado de trabalho é de um simples estágio ou um cargo de CEO. Erros de ortografia, excesso de informações irrelevantes e fotos nada profissionais são apenas alguns dos detalhes que podem caracterizar um currículo ruim e eliminar de vez qualquer chance de um candidato conseguir a vaga dos seus sonhos. Mas como fazer um currículo perfeito?

Se você não consegue se apresentar para os seus possíveis empregadores, dificilmente despertará o interesse deles no seu trabalho ou no que tem a dizer.

Por isso, antes de se candidatar à próxima vaga de emprego, dê uma olhada nessa série de cuidados e dicas essenciais que separamos para você. Elas vão te ajudar a enfrentar qualquer crise e impressionar as empresas de agora em diante. Confira!

shutterstock_23308132.jpg

Por onde começar o currículo?

Em uma rápida busca na internet, é possível encontrar dezenas de modelos de currículos considerados “ideais”. Esse excesso de informação, em vez de ajudar, pode complicar ainda mais a vida dos profissionais. Por isso, é preciso entender o passo a passo para a criação do currículo perfeito.

O primeiro deles são as informações básicas e essenciais para a sua apresentação profissional. Os empregadores, independente da sua área de atuação, valorizam os modelos simples e objetivos, que resumam a vida profissional do candidato e despertem o interesse da empresa em conhecê-lo melhor.

Confira a estrutura ideal dos currículos que se destacam nos processos seletivos:

Dados pessoais

O primeiro tópico de qualquer currículo deve trazer as informações pessoais do candidato, que serão as suas formas de contato com a empresa. Os mais importantes são o nome, a data de nascimento, o endereço, a cidade e o estado, além dos telefones e e-mail profissional. Nesse quesito é importante criar uma conta que passe credibilidade e evitar apelidos, nicknames, nomes no diminutivo ou adjetivos.

  • Nome completo;
  • E-mail;
  • Telefones para contato (casa e celular);
  • Idade ou data de nascimento (opcional);
  • Estado civil (opcional);
  • Redes sociais (item opcional. Evite compartilhar perfis pessoais como Facebook ou Instagram, o ideal é criar uma conta em sites profissionais como o LinkedIn);
  • Atual cidade e país de moradia.

Objetivo

Esse é um dos itens mais complicados para os candidatos e um dos principais itens de eliminação durante a avaliação de um currículo. Muitos profissionais acabam se prologando ou escrevendo onde querem chegar daqui a dez anos, e não é isso que esse tópico exige.

O campo "objetivo" de um currículo pede um texto curto de uma ou duas linhas em que o candidato indica qual a sua área de atuação e suas expectativas naquela empresa. É importante evitar citar metas pessoais, frases clichês e sonhos. Logo a seguir, explicaremos melhor como escrever os objetivos para o seu currículo e a importância desse item.

Formação acadêmica

A formação acadêmica, como o nome já sugere, é o item referente à sua escolaridade. Não é indicado apresentar todo um histórico escolar e sim, formações mais recentes, como graduação, pós, MBAs ou mestrados — sempre destacando se eles já foram concluídos ou estão em andamento.

  • Modalidade e Título do Curso;
  • Instituição e Local do Campus;
  • Período de duração do curso.

Exemplo:

Graduação em Comunicação Social, com ênfase em Jornalismo

Universidade Federal da Bahia (BA)

2011 - 2015

Experiência profissional

Esse é o tópico em que o candidato deve apresentar um resumo da sua experiência profissional anterior, destacando os locais onde atuou, desde o mais antigo ao mais recente.

Comece pelo nome da empresa, seguido pelo período de atuação e o cargo exercido. Também é importante resumir algumas das suas principais atividades e resultados relevantes alcançados nesse cargo. Mas seja sucinto. Tente não ultrapassar mais de quatro ou cinco linhas para cada uma das suas experiências.

  • Nome da empresa onde trabalha ou trabalhou;
  • Período em que atuou nessa empresa (se ainda estiver trabalhando indique essa informação);
  • Último cargo ocupado;
  • Breve descrição das suas atividades nesse local.

Exemplo:

Centro Universitário de João Pessoa — UNIPÊ

2013 – Presente

Gerente de Relacionamento

Desenvolvimento de planos de comunicações; apresentação de produtos e serviços; supervisão de equipes; criação de estratégias de marketing e vendas; e prospecção de novos clientes.

Cursos e qualificações

Nesse item, o candidato deve listar todas as informações relevantes para o cargo a que está se candidatando. É um elemento diferencial para a contratação e pode garantir a sua posição perante o concorrente.

Conhecimentos em informática e tecnologia, treinamentos e outros idiomas são muito apreciados pelas empresas. No caso de outras línguas, não esqueça de indicar o seu nível de fluência, levando em consideração a capacidade de entendimento, conversação, leitura e escrita.

Mas é importante ser sucinto e destacar itens realmente relevantes para aquele cargo. Confira o exemplo:

  • Windows (7, 10, XP, 2003), Linux (Debian, Gentoo) e Mac
  • Web 2.0
  • Pacote Office: Word, Excel e Power Point
  • Social Media: produção de conteúdo, interação no Facebook e Twitter, conhecimentos pessoais em Instagram e Snapchat
  • Gestão de Pessoas (Curso Online certificado pela Catho Educação, 2014)
  • Photoshop e Illustrator (cursos certificados pelo SENAC. São Paulo, 2014)
  • Inbound Marketing (certificado pela Hubspot, 2016)
  • Inglês (Nível Intermediário)

Outras informações

Apesar de não ser obrigatório, esse item é um diferencial para os candidatos que possuem informações relevantes para um cargo.

Viagens profissionais, estudantis e voluntárias ao exterior têm sido um destaque para os headhunters. Para eles, candidatos que saem do seu lugar-comum e já vivenciaram experiências culturais em outros países estão mais abertos a mudanças e apresentam um alto poder de inovação.

Como e por que definir objetivos para o currículo?

Nós já adiantamos para você, no tópico anterior, o que é o objetivo profissional. Esse item é essencial para que a empresa saiba a que você está se candidatando e qual a sua área de atuação ou especialidade. É muito comum, para qualquer profissional, ter atividades favoritas em que se destaca ou possui mais habilidades.

Vamos usar um jornalista como exemplo. Mesmo com uma graduação geral em comunicação, esses profissionais costumam atuar em áreas específicas após a formatura, como assessoria de imprensa, jornalismo digital ou impresso, por exemplo.

Cada área possui suas especificidades e linguagem própria, por isso as empresas desejam saber qual o objetivo do seu futuro colaborador, com o intuito de remanejá-lo para a função mais adequada aos seus objetivos e competências.

É essencial que o seu objetivo indique como você deseja atuar naquela empresa, da forma mais sucinta possível. De preferência em uma ou duas frases.

Mas você deve estar se perguntando: como fazer isso?

Não escreva o nome do cargo, e sim a área de atuação

Uma mesma área possui diversas possibilidades, por isso não se limite. Em vez de escrever em seu objetivo “atuar como programador de sistemas”, substitua a frase por “atuar na programação de softwares, hardwares e ferramentas para web”.

Vá direto ao ponto

Você tem poucas linhas para dizer as suas expectativas no cargo daquela empresa, por isso evite rodeios e frases clichês como “busco crescimento pessoal” ou “quero contribuir para a melhoria da empresa”. Seja prático. Um exemplo de objetivo profissional é “atuar na área de Marketing Digital prospectando clientes, me comunicando com o público e desenvolvendo métricas para o mercado”.

A nossa dica é que, para cada empresa, você crie um objetivo profissional diferente, já que nem sempre elas procuram as mesmas características nos candidatos. Antes de criar o seu objetivo, pesquise quais aspectos podem ser mais condizentes com a vaga.

Baixe agora

Quais as melhores práticas ao fazer o currículo?

Se você gostou das nossas dicas sobre como fazer um currículo até aqui, mas ainda quer elevar o nível do seu “cartão de visitas”, reunimos outras estratégias que vão te posicionar melhor diante dos concorrentes e tornarão o seu currículo um modelo para outros profissionais! Acompanhe:

Não compartilhe todas as suas informações pessoais

Muitos candidatos enchem o tópico de “dados pessoais” com informações irrelevantes e até perigosas, como CPF, RG e nomes dos pais. Nenhuma empresa precisa dessas informações no momento inicial da seleção, então não as compartilhe.

Divida o conteúdo em tópicos

O aspecto visual é um dos detalhes mais importantes de um currículo perfeito. Além de formatação em modo justificado, com cor automática, facilite sempre a leitura para os recrutadores, dividindo as informações em tópicos — como os apresentados no início do nosso post — e em subtópicos, utilizando marcadores ou números.

Utilize uma linguagem formal, mas evite termos muito rebuscados

A linguagem é um dos aspectos mais importantes em um currículo. Termos de internet, expressões coloquiais e abreviações como “pra” ou “vc” são vistas com maus olhos por quem lê. O mesmo vale para palavras muito rebuscadas, que podem dificultar o entendimento do seu currículo.

É importante manter o tom formal e uma linguagem coerente com os padrões gramaticais, mas sem se exceder, para não passar uma imagem errada. Simplicidade deve ser a palavra-chave no seu primeiro contato com os recrutadores.

Drible a falta de experiência com as suas qualificações

Se você está em busca da primeira oportunidade profissional e não tem nenhuma experiência na área em que deseja atuar, enriqueça o seu currículo com outras qualificações. Mas não esqueça de destacar no campo "objetivo" que você está em busca de uma chance para mostrar todo o seu potencial.

Cursos de idiomas, intercâmbios culturais, treinamentos, conhecimento de softwares e hardwares, habilidades com as redes sociais e pacote Office, participação em workshops e ações voluntárias são algumas das habilidades para destacar o seu currículo.

Use o poder da internet para se qualificar: cursos online, aplicativos para aprender outras línguas como o Duolingo, e-books de profissionais que já atuam no mercado e palestras do TED são algumas das excelentes opções que o mundo virtual proporciona, muitas vezes de maneira gratuita. Aproveite!

Seja sincero sobre as suas qualificações

Caso não tenha uma formação em uma escola de idiomas ou área específica, sempre indique no currículo que o seu nível de proficiência e conhecimento é auto avaliativo, e descreva o que você aprendeu ou onde melhor se destaca. Isso te poupará qualquer tipo de constrangimento, caso o empregador exija certificados no momento da entrevista.

Mas se os possuir, sempre acrescente o nome da instituição e ano em que adquiriu a certificação. Isso ajuda a validar o seu aprendizado e suas competências para a empresa.

Enriqueça o seu currículo com redes sociais profissionais

Além de uma excelente forma de procurar por novas vagas de emprego, as redes sociais profissionais são uma forma de mostrar para as empresas que os candidatos estão antenados com o mundo virtual e são capazes de prospectar novos negócios e ideias.

O LinkedIn é uma das mais recomendadas. Com mais de 200 milhões de usuários e 3 milhões de páginas de empresas, essa rede social tem sido um canal de comunicação e busca de oportunidades. Um dos seus diferenciais é permitir que empregadores, professores ou antigos colegas de trabalho deixem uma avaliação sobre você. Algo extremamente importante para a contratação.

Mas fique atento às suas redes sociais pessoais. Hoje, as empresas têm feito um verdadeiro trabalho de investigação sobre candidatos. Mensagens de ódio e preconceito, fotos inadequadas e excesso de palavrões podem queimar a sua reputação profissional.

Otimize o seu posicionamento online

Se você vai disponibilizar o seu currículo online, o ideal é investir em palavras-chave que aumentem o seu posicionamento nas buscas orgânicas de plataformas como o Google.

Com o Google Trends você pode descobrir quais as palavras-chave mais procuradas e os termos mais indicados e, assim, aumentar a demanda de procura por sua página, site ou portfólio.

Quais os piores erros que devem ser evitados?

Se você raramente tem sido chamado para entrevistas ou não avança nos processos seletivos, é provável que esteja cometendo erros inaceitáveis para as empresas. Uma frase mal colocada ou uma palavra escrita errada podem custar uma contratação. Confira os 8 piores erros de um currículo e aprenda a evitá-los!

Elogiar-se demais

É muito comum encontrar currículos em que os candidatos destacam demais as suas qualidades mais clichês, como “proatividade, organização e responsabilidade”. Embora essas qualidades sejam bem-vistas pelo mercado de trabalho e você tenha plena certeza do profissional excepcional que você é, evite parecer arrogante ou prepotente, ao elogiar demais a si mesmo.

O empregador perceberá quais são as suas habilidades e qualidades, ao analisar sua formação, tempo de atuação em empresas, qualificações e referências. É melhor surpreender positivamente do que criar expectativas que podem não ser atendidas.

Não ser objetivo

Processos seletivos não são fáceis para recrutadores. Ao anunciar uma vaga eles recebem dezenas de currículos de uma só vez e têm de lidar com a pressão de achar o candidato perfeito para aquele cargo em pouco tempo.

Ao fazer o seu currículo, facilite o trabalho desse avaliador. Acrescente apenas informações diferenciais e importantes para aquela vaga ou você corre o risco de ser descartado antes do fim da primeira página.

Acrescentar fotos pessoais

Se há alguns anos as fotografias eram obrigatórias para um currículo, agora já são itens desnecessários e podem custar a vaga de muitos candidatos. Fotos retiradas de redes sociais, feitas por meio do próprio celular, com trajes de banho, em grupo ou em locais inusitados só servem para colocar o candidato em uma lista negra.

Caso a empresa exija o envio de fotos, insira uma com boa qualidade, em tamanho 3x4 e feita profissionalmente. No momento da captura vista roupas mais fechadas, sem estampas ou cores gritantes. E nem pense em fazer caretas.

Não revisar a ortografia

Erros de ortografia ou gramática são aqueles detalhes diferenciais para a seleção de um candidato. Por isso, sempre revise o seu currículo uma, duas e até dez vezes se for preciso. Se você não se considera um “professor Pasquale”, peça ajuda a alguém ou utilize ferramentas de revisão de texto, disponíveis gratuitamente online.

Não cuidar da formatação

Não há regras oficias sobre a formatação de um currículo, mas o ideal é que ele tenha um layout limpo, bem segmentado e simples. Utilize sempre a cor automática do seu editor de texto e dê preferência ao formato A4, em folhas brancas – caso ele seja impresso.

Utilize fontes clássicas, como Arial, Times New Roman, Calibri ou Verdana. Utilize o tamanho 12 para o corpo do texto e 14 ou 16 para os títulos. Também é importante ser sucinto e não ultrapassar o número de três páginas. Nunca é demais repetir: seja objetivo!

Indicar a pretensão salarial

Exigir o mesmo salário do seu emprego anterior, ou algo maior do que a realidade do mercado pode fazer com que uma empresa te descarte antes mesmo da próxima fase da seleção, por acreditar que não será capaz de te manter no cargo. Esse tópico surgirá naturalmente no momento da entrevista, então deixe-o de fora do seu currículo, a não ser que seja solicitado a informá-la.

Nesse caso, é bom dar a entender ao o recrutador que você está disposto a negociar o seu salário para conseguir uma oportunidade de reingressar no mercado de trabalho ou se desenvolver profissionalmente naquela função.

Criar um currículo inadequado para sua área de atuação

Muitas profissões, como Design e Arquitetura, exigem currículos e portfólios mais irreverente que sejam um reflexo da sua capacidade criativa. Mas se você não estiver se candidatando a uma dessas vagas o ideal é seguir um modelo mais tradicional.

Não adianta ser inovador em uma área de atuação inadequada, e o mesmo vale para as informações apresentadas. Se você deseja ser um administrador, um curso de teatro não terá relevância, por exemplo. Vagas mais formais exigem candidatos que sigam a mesma linha. O melhor é não pecar pelo excesso.

Mentir

Muitas vezes a vontade de conseguir um emprego impulsiona candidatos a criarem qualificações falsas, experiências inexistentes e fluência em idiomas que não dominam. Isso pode manchar definitivamente a sua imagem profissional para aquela empresa.

Com a internet, gestores e avaliadores ampliaram os seus meios de validar informações e podem desmascarar facilmente candidatos mentirosos. Ou pior: confrontá-los no momento da entrevista.

Por isso, não minta, mesmo que esteja concorrendo à vaga dos seus sonhos. Muito mais do que habilidades, as empresas valorizam candidatos idôneos e de caráter confiável.

O que faz um currículo ser perfeito?

Um currículo perfeito é a reunião de todas as dicas que apresentamos nesse post. Porém, o que mais se destaca aos olhos das empresas é a sua capacidade de expressar a trajetória profissional e competências de um candidato de maneira clara, sem a famosa “enrolação”. Se você consegue qualificar as suas experiências, apresentar os seus objetivos para uma função e falar de si mesmo sem parecer arrogante, com certeza se destacará aos olhos dos recrutadores.

O mais importante é tentar se colocar no lugar dessas pessoas, para entender o que elas esperam e como você pode oferecer o que elas desejam em apenas duas ou três páginas. Antes de sair enviando o seu currículo, faça a si mesmo perguntas como:

  • As minhas áreas de interesse estão claras?
  • Consegui mostrar um pouco da minha personalidade?
  • Meu currículo apresenta erros de gramática ou de concordância?
  • Minhas qualificações são realmente relevantes para essa vaga?
  • Segundo o meu currículo, minha carreira parece estagnada ou em ascensão?
  • Mesmo com baixa escolaridade ou experiência profissional, eu apresento qualificações que indiquem o meu esforço para ser um bom profissional?
  • Eu teria interesse em me contratar?

Se coloque no lugar do entrevistador e avalie se o seu currículo responde a essas perguntas de maneira eficiente e objetiva. Se sim, você está a um passo mais próximo da contratação. Muitos profissionais têm culpado a crise econômica pela falta de oportunidades no mercado de trabalho. É inegável que a economia vem passando por um momento ruim, e o desemprego é uma realidade que vem assombrando os nossos piores pesadelos.

Porém, se mesmo com qualificações e experiências de dar inveja, você tem enfrentando dificuldades para ser convocado nos processos seletivos, talvez esteja na hora de fazer uma mudança no seu currículo. Siga essas dicas e você transformará uma simples folha de papel em um passaporte para para a sua ascensão profissional!

Gostou das nossas dicas sobre como fazer um currículo? Antes de começar a editar o seu currículo perfeito, que tal deixar um comentário? Conte suas dúvidas e sugestões pra gente!

Acessar material

pós-graduação, mercado de trabalho

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ÚLTIMOS POSTS

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS