Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

Guia definitivo: 18 erros ao procurar emprego que devem ser evitados

Postado por Fábio Albuquerque

Muitos profissionais perdem excelentes oportunidades de trabalho não pela falta de competência ou habilidades, mas por cometerem determinados erros ao procurar emprego. O ano de 2017 já começou e, com ele, as empresas renovam suas metas e buscam talentos que possam ajudar a alcançá-las.

O que complica é que, diante de tantos problemas econômicos no país, a concorrência — formada por pessoas extremamente preparadas, diga-se de passagem — está crescendo e o mercado se tornando cada vez mais exigente.

Com isso, cada mínimo detalhe pode ser considerado um grande diferencial para os recrutadores. Um comportamento inadequado, uma palavra errada no currículo ou a falta de conhecimento sobre a empresa que oferece a sua sonhada vaga de emprego podem influenciar negativamente. Quer saber como evitar esses erros? Então confira as nossas dicas a seguir!

guia-definitivo-18-erros-ao-procurar-emprego-que-devem-ser-evitados.jpg

Antes de começar a busca

A primeira etapa da busca por um emprego não é criar o currículo. Antes de sair por aí preenchendo cadastros e enviando e-mails, é preciso se preparar.

Uma graduação não é mais um diferencial para garantir uma contratação. As empresas querem mais.

Candidatos especializados, que fogem do lugar-comum e que tenham boas referências são os “queridinhos” das empresas, por isso a primeira etapa da busca deve ser voltada para a capacitação e a pesquisa.

Durante esse processo inicial, evite cometer os três maiores erros que vão te deixar mais longe da vaga sonhada:

1. Não se atualizar sobre o mercado

Muitos profissionais acabam investindo em especializações que estão em baixa no mercado de trabalho e perdem a oportunidade de se capacitar em áreas que podem garantir uma contratação rápida.

Redes sociais, revistas, jornais e noticiários são excelentes fontes de informação. Mas nem sempre essas informações estão apresentadas da forma mais clara possível.

Um artigo que dê a entender que a área de TI continuará a se desenvolver nos próximos anos pode deixar de mencionar que não necessariamente haverá emprego para todos os profissionais dessa área, por exemplo.

Você deve se concentrar nas entrelinhas e no que pode suprir demandas futuras. Esse será o seu diferencial. Há cinco anos, por exemplo, o mercado de Engenharia Civil era o mais promissor no Brasil. O que causou um aumento da procura de estudantes pela graduação na área e uma diminuição proporcional das vagas disponíveis.

Se atualizar constantemente sobre o mercado é uma forma de se manter competitivo. Na era da informação, quanto mais conhecimento diferencial você tiver, mais fácil será se alocar em uma empresa.

2. Não fazer networking

“Quem não é visto não é lembrado”. Quantas vezes você já ouviu essa frase durante a vida? E já parou para pensar sobre o peso dela no seu futuro emprego?

Talvez, as pessoas mais próximas já saibam que você está em busca de uma oportunidade de trabalho. Mas o mesmo não vale para os seus antigos colegas de faculdade, chefes de estágio ou donos de empresa que estão em busca de um talento.

Ter pessoas que sirvam como indicação e referência sobre o seu trabalho é sempre algo importante para as empresas. Por isso, se mostre ao mundo! Não tenha vergonha ou receio de pedir ajuda!

Converse com pessoas com as quais já trabalhou, crie contas em redes sociais profissionais como o LinkedIn, que permite a troca de indicações, solicite algumas recomendações para os seus antigos professores de graduação ou pós-graduação e se aproxime de quem pode ajudá-lo a conseguir emprego.

Uma oportunidade pode surgir de onde você menos espera!

3. Não se capacitar

Além do enriquecimento do currículo, quem busca capacitação encontra também novas oportunidades de conhecer profissionais, descobrir sobre vagas e fazer networking.

Enquanto o emprego ideal não vem, é muito importante não ficar parado. Cursos específicos da sua área de atuação, de idiomas ou de informática são os mais apreciados pelas empresas e podem ser feitos gratuitamente pela internet.

Essa capacitação pode vir também por meio da leitura de livros ou de artigos em blogs sobre gestão, liderança, criatividade e inovação.  

Outra excelente fonte de conhecimento são as videoaulas e palestras online. O YouTube e a plataforma TED trazem milhares de vídeos feitos pelas mentes mais inovadoras do mundo. E os assuntos relacionados ao mundo profissional são diversos: desde as melhores formas de desenvolver a criatividade até dicas para encontrar um novo emprego.

4. Negligenciar as redes sociais

Os tempos mudaram. Se, antes, uma empresa conhecia a vida e a postura de um candidato apenas por meio das referências dos antigos chefes, hoje, o computador é uma porta aberta para que ela decida se ele possui ou não o perfil para fazer parte do seu quadro de colaboradores.

Sua imagem online é um reflexo da sua imagem no mundo real. Já não dá mais para dissociar as duas coisas e os empregadores sabem disso. Por esse motivo, eles podem te buscar no Facebook, Instagram, Twitter e Snapchat e fazer uma análise completa do seu comportamento.

Nenhuma empresa quer o seu nome ligado a um profissional que compartilha de ideias preconceituosas, machismo, racismo, homofobia e intolerância de qualquer espécie. Tenha cuidado com o tipo de imagens que você posta e com as opiniões que compartilha.

Na busca pela vaga ideal

Você, finalmente, está pronto para colocar as suas habilidades e conhecimento no papel.

O currículo é uma espécie de apresentação da sua linha do tempo profissional para uma empresa. Então, é importante que ele seja bem atrativo.

Mas, para isso, não vale inventar informações, escrever páginas e mais páginas com objetivos, incluir a participação em cursos que não têm nada a ver com a vaga em questão ou sair em busca de oportunidades que não combinam com o seu perfil.

Confira mais 4 erros graves na procura por vagas de trabalho e envio do seu currículo:

5. Esperar, esperar e esperar

Muitas pessoas acreditam que construir uma grande carreira é uma questão de sorte ou que apenas os gênios têm potencial para conseguir o que querem. E é esse discurso que destrói a autoconfiança dessas pessoas e as afasta de grandes oportunidades.

Não dar o primeiro passo e persistir diante do “não” é um dos piores erros ao procurar emprego. A realidade é que nenhuma vaga dos sonhos cairá do céu. Qualquer pessoa que deseja construir algo profissionalmente precisa se esforçar.

6. Buscar uma vaga apenas pelo salário

A insatisfação com o trabalho é um dos problemas que mais afligem os profissionais. De acordo com dados da pesquisa da ISMA Brasil (International Stress Management Association ou Associação Internacional de Gestão de Estresse), divulgados pelo G1, 72% dos brasileiros estão infelizes com o trabalho que escolheram.

As maiores causas dessa insatisfação são a falta de reconhecimento, o excesso de tarefas e problemas de relacionamento com o chefe ou colegas de trabalho.

Durante a seleção, muitas empresas oferecem oportunidades financeiras que parecem imperdíveis ou se destacam das demais.

Um bom salário no início do mês pode parecer vantajoso. Mas você precisa pensar se ele realmente compensará os outros 29 dias de estresse, conflitos ou estagnação profissional.

Nem sempre uma boa remuneração está associada a boas condições de trabalho, por isso os profissionais que estão em busca de um emprego precisam ter cuidado e definir suas metas com clareza

Tenha sempre em mente o que vale mais para você: crescimento pessoal e qualidade de vida? Ou receber um salário alto sob qualquer circunstância?

Após responder essas perguntas, pesquise sobre a imagem e os incentivos que a empresa oferece, antes de tomar uma decisão.

O impulso e o desespero podem ser inimigos perigosos. Principalmente em um período de recessão econômica, em que a taxa de desemprego aumenta e fica mais difícil recorrer a um plano B quando o trabalho não traz motivação e oportunidades de crescimento.

7. Não revisar o currículo

O currículo é o seu cartão de visitas. Com ele, o recrutador avaliará não apenas a sua formação e experiência, como também a linguagem, capacidade de síntese, organização e domínio da língua portuguesa.

Ele é formado por dados pessoais, objetivos, escolaridade, histórico profissional e capacitações extras que sejam relevantes para a vaga, como cursos e fluência em idiomas.

Erros de digitação, de ortografia e pontuação podem, mesmo que pequenos, te afastar da vaga que deseja ainda no momento de triagem. Por isso, cuide do seu currículo e jamais o envie sem revisar. Também é importante que ele seja sucinto. Certifique-se de fazer as informações mais importantes caberem em duas páginas.

A depender da área — como Design, Arquitetura ou Marketing — vale a pena investir em um modelo mais criativo. Mas, na dúvida, se prenda ao formato tradicional. E nada de incluir fotos, ok?

8. Disparar currículos muitas vezes para a mesma empresa

Diante da ansiedade que a recolocação profissional desperta, muitos profissionais podem demonstrar desespero, característica que é quase garantia de reprovação.

Enviar o currículo diversas vezes para o mesmo local não vai te ajudar a conseguir uma entrevista. Durante o processo seletivo, capriche na criação do seu “cartão de visitas” e o envie apenas uma vez.

Se você não tiver um retorno, mesmo que negativo, envie-o mais uma vez depois de algum tempo. Mas não insista. Isso pode criar uma exposição negativa.

Também é importante enviar currículos para vagas que se encaixem no seu perfil. Não adianta se candidatar para um cargo que exige fluência em inglês se você tem apenas o nível básico, por exemplo. Isso pode causar problemas nas etapas seguintes da seleção e perda de tempo.

Baixe agora

Durante a seleção

Parabéns, seu currículo passou pelo processo de triagem e a empresa quer te conhecer melhor! Essa é a etapa mais importante do processo seletivo, pois envolve dinâmicas e entrevistas.

É aqui que você encontrará o empregador e as cartas vão finalmente ser colocadas na mesa. Nesse momento, a veracidade das informações do seu currículo será testada e a sua imagem pessoal avaliada.

Veja algumas falhas que podem comprometer o seu processo de seleção:

9. Não se preparar

Um dos piores erros ao procurar emprego é não conhecer a história, cultura empresarial e atuação da organização a que você está se candidatando.

Pesquisar o máximo de informações é uma forma de se preparar para apresentar o que o recrutador deseja e direcionar o rumo da entrevista.

Se a sua trajetória profissional possui aspectos que serão relevantes para a proposta daquela empresa, será mais fácil destacá-los se você já conhece essa organização.

É importante, também, prestar atenção à cultura empresarial do local. Ou você pode se apresentar da maneira errada no dia da entrevista. Se está em busca de uma vaga em um banco tradicional, por exemplo, sua postura e imagem devem ser mais formais.

Mas se a empresa tiver uma proposta mais descontraída ou lidar com um público específico e jovem, provavelmente ela não está em busca de um candidato que utiliza termos extremamente rebuscados ao falar e se apresenta de terno e gravata.

10. Se atrasar para as etapas de seleção

Todas as suas atitudes, ações e, principalmente, sua postura serão avaliados durante o processo seletivo.

A pontualidade é um dos pontos fundamentais para os recrutadores, pois demonstra a capacidade de o candidato cumprir prazos, seu nível de responsabilidade e como será sua conduta profissional, se for contratado.

Se você é alguém que não consegue chegar a tempo para algo tão importante como uma entrevista de emprego, vai ficar claro para a empresa que dificilmente será capaz de ter compromisso para com ela.

Para chegar no horário, o melhor é planejar o trajeto e sair de casa horas antes para evitar engarrafamentos ou problemas com o transporte público, por exemplo. Não deixe também de pesquisar o endereço da empresa e pedir referências para não ficar perdido.

É claro que imprevistos acontecem, mas se você está em busca de uma oportunidade de emprego é melhor evitá-los.

11. Usar roupas inadequadas durante a entrevista

A imagem profissional é um dos requisitos mais importantes e que formam a primeira impressão da empresa a respeito de um candidato.

A forma como você se apresenta na entrevista e dinâmicas mostra como você vai agir no dia a dia. Na dúvida, opte por um combo básico, com peças que não fujam à seriedade que um ambiente profissional exige, como calças de alfaiataria e camisas com manga.

Também é importante apostar em cores neutras, sem estampas chamativas ou decotes que desviem a atenção do recrutador do que é realmente importante: seu talento e competência para assumir aquele cargo.

12. Mentir: um dos maiores erros ao procurar emprego

Se um anúncio de vaga especifica uma certa habilidade ou conhecimento, com certeza, ele será exigido no futuro. Dizer que você tem um determinado nível de competência em algo sobre o qual não sabe nada ou só compreende o básico é uma péssima opção.

Qualquer mentira, por mais inofensiva que pareça, será colocada a prova em algum momento. Durante o processo seletivo, ela pode eliminar sua chance de contratação e pior: destruir sua imagem profissional!

13. Apontar problemas na empresa

É provável que, durante a entrevista, o recrutador faça perguntas mais específicas para testar o seu conhecimento sobre a organização. Essa etapa pode se tornar uma "pegadinha" para testar se eles estão alinhados com a sua proposta e valores.

Um erro comum entre os candidatos é apontar problemas na empresa antes mesmo de serem contratados.

O que seria uma tentativa de demonstrar competência e habilidades para trazer o melhor para o negócio pode ser visto como arrogância para o recrutador e terminar em uma eliminação. Por isso, evite as críticas ou comentários negativos nesse momento.

Mesmo que seja estimulado a dizer, tenha cuidado com as observações e o tom de voz, ou o profissional que está fazendo a seleção pode acreditar que você não tem tanto interesse no cargo.

14. Sentir-se íntimo do entrevistador

O bom senso é o seu maior aliado durante o processo de seleção. Mesmo que a empresa tenha um ambiente extremamente descontraído e o recrutador conduza a entrevista com simpatia, evite demonstrar muita intimidade. Esse ainda é um ambiente profissional.

Fazer elogios à aparência ou perguntas e comentários pessoais, pedir o contato ou adicionar o recrutador nas redes sociais são comportamentos inadequados.

Eles podem demonstrar que você é uma pessoa invasiva e que não sabe separar a postura profissional da pessoal. Essa atitude pode garantir uma eliminação e problemas ainda mais extremos, como acusações de assédio.

15. Perguntar o valor do salário

O salário é uma questão delicada durante um processo seletivo. Muitas empresas não apontam o seu valor nos anúncios de vaga e simplesmente ignoram esse quesito durante a entrevista.

Essa postura deixa os candidatos perdidos, ansiosos e preocupados por gastarem tempo e criarem expectativa com uma vaga que talvez não ofereça os benefícios que ele deseja e precisa.

O ideal é evitar se candidatar para oportunidades que não ofereçam as informações cruciais no primeiro momento. Durante a entrevista, perguntar o valor do salário pode dar a entender ao recrutador que o dinheiro é o seu único motivo para estar ali.

Faça sempre perguntas mais voltadas para o dia a dia no trabalho. Essa será a deixa para o entrevistador indicar o que você realmente quer saber.

Após o processo seletivo

Após o processo de triagem de currículos, participação em dinâmicas e entrevista é normal que surja uma ansiedade por parte do candidato.

Nessa etapa é importante lembrar que você já passou pela fase mais difícil, mas ainda precisa manter uma postura profissional. Ou pode acabar perdendo a vaga dos sonhos no último momento.

Também é necessário estar pronto para receber a notícia que tanto espera ou lidar com uma resposta negativa. Então, depois de passar por todo o processo seletivo, evite:

16. Insistir para que a empresa retorne

Após o fim da seleção, muitos candidatos ficam em dúvida se devem ligar para o recrutador e pedir um feedback. O problema é que, muitas vezes, esse contato acaba sendo muito insistente ou cedo demais.

Mesmo que a sua vontade de ganhar a vaga seja grande, seja paciente. Uma ligação inoportuna pode ser um fator decisivo para a decisão de não o contratar, então o melhor é não arriscar.

Durante a entrevista é comum que o recrutador defina um prazo para retorno. Se a resposta for “entraremos em contato”, aguarde. Empresas sérias costumam agir com profissionalismo e respeito com os candidatos interessados em se juntar a elas.

17. Levar uma rejeição para o lado pessoal

Processos seletivos, em geral, implicam decisões imparciais por parte de empresas e recrutadores. Por isso, não leve a rejeição para o lado pessoal. Nem sempre uma resposta negativa quer dizer que você não é um profissional competente ou que houve um problema de conduta durante a seleção.

Cada empresa busca um perfil específico de colaborador. E, por um motivo ou outro, naquele momento não era o seu.

Mesmo que não seja contratado, agradeça pela oportunidade de ter participado e ressalte a sua disponibilidade para seleções futuras, mesmo que você já esteja à procura de outras oportunidades. Essa atitude vai manter as portas abertas naquela empresa no futuro. E uma excelente recomendação.

18. Desanimar-se

Se, depois de um longo tempo, as empresas simplesmente não respondem aos seus e-mails ou não o chamam para uma entrevista, faça uma revisão das suas estratégias.

Peça feedbacks a outros profissionais, faça uma avaliação pessoal sobre a estrutura do seu currículo, realize uma capacitação que possa enriquecê-lo e tente outros canais de comunicação.

Por exemplo: se você está em busca de emprego apenas por meio de um site, recorra às redes sociais — como o LinkedIn, de que já falamos — ou assine um plano em uma agência de empregos.

A realidade é que encontrar um trabalho não é fácil. Principalmente um que reúna todos os benefícios e oportunidades que você procura. E em períodos de crise as chances diminuem ainda mais. Por isso, ao fazer sua busca o mais importante é não desanimar.

Encontrar uma vaga já não é mais bater de porta em porta nas empresas para entregar um currículo de papel. A internet trouxe novos contornos para que os candidatos se preparem melhor, conheçam as organizações em que desejam trabalhar e encontrem toda uma gama de oportunidades profissionais.

Conhecer os principais erros ao procurar emprego é dar a si mesmo a chance de garantir uma boa colocação no mercado de trabalho e construir um futuro profissional de sucesso!

Qual dos erros citados nesse artigo você vinha cometendo? Gostou das nossas dicas para procurar emprego? Nós queremos saber o resultado da sua próxima seleção, então não esqueça de deixar o seu comentário aqui embaixo!

Acessar material

pós-graduação

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ÚLTIMOS POSTS

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS