pós-graduação

Existe uma receita de quanto tempo ficar na mesma empresa?

Fábio Albuquerque
28-11-2018 8:02

Depois de certo tempo trabalhando no mesmo estabelecimento, muitos colaboradores começam a se perguntar qual é o tempo ideal de permanência em seus cargos. Nada mais natural. Na verdade, essa dúvida de quanto tempo ficar na mesma empresa é extremamente saudável — e a resposta é: depende.

Vários fatores podem influenciar esse cálculo, e é preciso levar todos eles em consideração. Por isso, neste post veremos quais são eles e como você deve analisá-los para tomar a melhor decisão. Acompanhe e confira!

 

existe-uma-receita-de-quanto-tempo-ficar-na-mesma-empresa

Capacidade de aprendizado

Um bom emprego é aquele que sempre desafia você, gerando oportunidades de aprendizado para que você cresça profissionalmente. Oferecer acesso a cursos, treinamentos e palestras é uma forma de fazer isso, mas não é a única.

O aprendizado também está no dia a dia das funções. Se os seus superiores demandam que você aprenda coisas novas constantemente, isso é um ótimo sinal — desde que essas novas tarefas estejam alinhadas à sua área e contribuam, de fato, para a sua capacitação.

Reconhecimento

Não são apenas os cargos de diretoria e gerência que devem contribuir com mudanças e novos projetos. Afinal, qual é a sua voz dentro da empresa? Suas ideias e sugestões são ouvidas e aceitas? Qual é o impacto da sua opinião nas tomadas de decisão?

Pergunte-se qual tem sido o seu papel no dia a dia. Analisando todos esses aspectos, que tipo de retribuição você recebe por essa participação ativa e eficiente? Isso constitui o tipo de reconhecimento que você recebe, ou deveria receber, como funcionário.

Satisfação vs comodismo

Se você já trabalha no mesmo local há um determinado tempo e tudo parece bem, pare para pensar um pouco: você está, realmente, satisfeito ou apenas acostumado, acomodado?

A estabilidade de um longo tempo de casa é algo indiscutivelmente bom, principalmente se você tem uma família. Contudo, também pode ser prejudicial permanecer em um emprego apenas porque ele é confortável, sem proporcionar demais evoluções para você como profissional.

Baixe agora

Ambiente de trabalho

Sem dúvida, um dos fatores que mais influenciam a vida dentro de uma instituição é o ambiente de trabalho. Afinal, essa influência pode tanto elevar o nível de qualidade da vida de um funcionário, como acabar de vez com ela. Encaixam-se aqui tópicos como:

Tudo isso deve formar um ambiente saudável, no qual você se sinta feliz e confortável.

Plano de carreira

Não poderíamos falar de permanência sem falar dos planos de carreira! Esse tipo de cronograma mostra ao funcionário quais são as suas possibilidades de crescimento naquela empresa no que diz respeito a cargos e salários.

É simples: você começa exercendo uma determinada função e recebendo determinada remuneração por ela. Então, conforme atinge certos marcos e contribui para o cumprimento das metas da instituição, você sobe na cadeia hierárquica — e recebe um salário que seja compatível.

Diante disso, é bom se perguntar se o plano disponível está alinhado àquilo que você quer para a sua carreira. Até porque você e seus gestores podem ter concepções e objetivos diferentes para o futuro.

Networking

giphy

Um dos requisitos essenciais de um profissional de sucesso atualmente são as relações que ele constrói com colaboradores de outras empresas. Essa trama de relacionamentos com profissionais da sua área é o que chamamos de networking.

Conexões como essas visam construir uma rede de colaboração mútua para a concepção de novos projetos, parcerias comerciais e diversas outras ações conjuntas. E investir nisso é uma forma de conhecer melhor o mercado e estar na mente de pessoas influentes.

Mercado de trabalho

Antes de tomar a decisão de sair do seu emprego atual, outra prática indispensável é analisar o mercado no qual você está inserido. Isso deve ser feito em duas perspectivas diferentes: a situação do mercado, em geral, e está a situação da sua empresa, em particular.

Pedir demissão sem nenhuma garantia, sem ter outra vaga em vista, é muito arriscado. O ideal é achar outro emprego antes de sair do atual. Ao mesmo tempo, você precisa se manter informado sobre a saúde financeira do lugar onde trabalha atualmente. Caso haja risco de falência, por exemplo, é melhor não esperar e começar a sondar novas vagas.

Desempenho

Se o relacionamento com os colegas e gestores não é bom, se não há novos desafios e o salário mal dá para pagar as contas, o desempenho do funcionário certamente não será dos melhores.

Se você perceber que a sua produtividade anda muito baixa, que quase não há ânimo para você trabalhar, que tudo é feito de forma mecânica e você se sente irritadiço, esses são sinais de que, talvez, seja a hora de mudar de ares.

Funções

Outra queixa comum de diversos colaboradores — mas que não deveria ser — é a de que eles não exercem a função que foram contratados para desempenhar. Isso, de fato, pode acontecer, mas há um lado positivo e outro negativo para essa situação.

O lado negativo é o funcionário realizar tarefas que não têm mesmo nada a ver com sua formação e, principalmente, que não constituem um aprendizado útil. Também pode acontecer, contudo, de uma profissão estar se transformando no mercadoe colaborador se encontrar no meio dessa transição.

Profissionais que lidavam com arquivos em escritórios de contabilidade são um bom exemplo disso. Com a evolução da tecnologia e a digitalização desses documentos, ou as suas tarefas mudam ou o seu cargo deixa de existir.

Saúde

Se a sua saúde está debilitada e o responsável por isso é o seu emprego, um sinal vermelho de perigo deve se acender na sua cabeça, imediatamente! Danos físicos, locais e condições insalubres de trabalho e horas extras abusivas, que causam estresse e cansaço, são motivos claros para um pedido de demissão.

Lembre-se de que isso deve ser analisado tanto pelo lado físico quanto pelo lado psicológico. A ansiedade, o estresse, a depressão e outras consequências que derivam de más condições de trabalho não podem ser ignoradas, pois deixam sequelas sérias e permanentes.

Por fim, não se esqueça de que, independentemente de quanto tempo você ficar na mesma empresa, é de absoluta importância realizar um trabalho de qualidade durante todo esse tempo de permanência. Sair deixando as portas abertas é a melhor forma de ir em busca de novas experiências e resultados.

E aí, gostou do post? Se ele ajudou você, aproveite para seguir a gente nas redes sociais e não perca nenhum conteúdo novo! Estamos no Facebook, no Instagram e no Twitter.

Acessar material

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos