pós-graduação

Descubra quais são as melhores especializações na área de direito

Mariana Brito
22-08-2017 7:00

Quem é advogado sabe que está em uma área extremamente concorrida. Há muitos profissionais qualificados e todos os anos chegam mais graduados ao mercado. Nesse cenário, é preciso se destacar — e uma maneira de fazer isso é investindo em uma das melhores especializações na área de Direito.

A ideia é continuar estudando e se aperfeiçoando para conhecer as melhores práticas, jurisprudências e normas jurídicas do país. Dessa forma, você consegue realizar seu trabalho de maneira mais adequada e aumenta suas chances de sucesso nos processos de que participar.

Mais do que abordar a Constituição e as leis, as especializações fazem com que você se qualifique ainda mais para o mercado de trabalho e atue de forma mais ativa em prol dos interesses dos seus clientes.

Neste post, você vai descobrir quais são as melhores especializações na sua área. Vamos lá?

descubra-quais-sao-as-melhores-especializacoes-na-area-de-direito-.jpg

Os tipos de especialização

A graduação é só o primeiro passo para o sucesso: em qualquer área é preciso se especializar. Após tirar o diploma, chega o momento de pensar em qual área do Direito você deseja atuar e, como consequência, obter mais conhecimento.

Qualquer pós-graduação pode ser feita por bacharéis; ou seja, não é exigido o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Você pode começar o curso logo após a formatura ou ingressar depois de já atuar por algum tempo no mercado de trabalho.

Nesse momento, pode optar por uma especialização, MBA ou mestrado. Esses são os níveis primários da pós-graduação. Só depois de ter o título de mestre é possível ingressar em um doutorado ou pós-doutorado.

Para entender melhor, confira os 3 níveis de pós-graduação:

Lato sensu

Essa expressão significa “sentido amplo” e abrange os cursos que são encarados de fato como uma especialização. O objetivo é fornecer conhecimentos complementares à formação da graduação, o que permite que você enfoque em uma área de atuação específica.

Nesse caso, o título da pós-graduação é reconhecido, mas você não recebe nenhuma nomeação extra. Ou seja, continuará sendo conhecido como advogado e poderá reforçar que é especialista em Direito Civil, por exemplo.

A principal vantagem é o reconhecimento do mercado de trabalho, que costuma valorizar o conhecimento adquirido em especializações.

A modalidade lato sensu abriga 2 tipos de cursos:

  • Especialização: é o formato tradicional, que, segundo o Ministério da Educação (MEC), deve ter pelo menos 360 horas de duração. A área escolhida é livre de acordo com a sua preferência;
  • MBA: é o formato do Master in Business Administration, que começou nos Estados Unidos e chegou ao Brasil na década de 1990. Apesar de o nome indicar que é um mestrado voltado para a administração, aqui no país ele não tem essa equivalência e está disponível para outras áreas, como o Direito. As diferenças são que essa modalidade é mais focada na prática e na gestão, e ajuda a construir um networking.

Stricto sensu

Essa expressão é traduzida como “sentido restrito”, que explica muito bem o fato de que, nesse caso, o conhecimento é afunilado. São incluídos, aqui, o mestrado e o doutorado, que oferecem um aprendizado mais focado para o estudante.

A finalidade dos cursos stricto sensu é formar pesquisadores e cientistas. Por isso, são modalidades mais complexas e oferecem os títulos de mestre e doutor.

Para ingressar no doutorado é preciso primeiro terminar o mestrado. Em ambos os casos deve-se produzir um trabalho científico ao final do curso e apresentá-lo a uma banca para aprovação.

O mestrado e o doutorado são ainda mais relevantes para quem quer seguir a carreira acadêmica. Geralmente, a exigência nesses casos é a titulação de mestre, no mínimo.

Pós-doutorado

Esse é o último nível e o máximo a que você pode chegar. Só pode ser realizado após o doutorado e é indicado somente para pessoas que atuam na carreira acadêmica, já que o mercado de trabalho não costuma exigir essa titulação.

De acordo com essas especificações, fica evidente que a especialização e o MBA são direcionados para o aprimoramento, enquanto o mestrado, o doutorado e o pós-doutorado são voltados para a pesquisa científica.

descubra-quais-sao-as-melhores-especializacoes-na-area-de-direito.gif

As melhores especializações em cada área do Direito

A graduação em Direito oferece a chance de você atuar de 2 formas na área: como advogado ou em alguma atividade jurídica, como é o caso do delegado de polícia e do juiz, por exemplo.

No primeiro caso é necessário ter aprovação na OAB. No segundo, é necessário prestar concurso público e cumprir outros requisitos que podem ser solicitados — por exemplo, ter 2 anos inscrito na Ordem e 3 anos de atividade jurídica.

A sua escolha vai depender do ramo em que quer seguir. Há diversas áreas que podem ser escolhidas, como as que vamos apresentar a seguir, mas em todos os casos é preciso se especializar. Por isso, indicaremos o que você pode fazer:

Especializações na área de Direito Civil

O estudante que opta por se especializar nessa área precisa ter interesse em assuntos relativos à compra e venda de locações, posse de bens e que abranjam repasse de heranças e divisões do divórcio.

Esse é um dos segmentos do Direito mais flexíveis e que apresenta mais oportunidades. Por isso, uma especialização pode ser uma boa ideia, por ser mais ampla. Se preferir seguir a carreira acadêmica ou tiver uma ideia de qual enfoque deseja dar, o mestrado também é uma opção viável.

Os profissionais que têm pós-graduação em Direito Civil contam com grande demanda de trabalho, porque lidam diretamente com negociações corriqueiras. Entre as possibilidades da pós-graduação estão o Direito da Família e da Propriedade.

Você ainda tem a possibilidade de fazer a pós em Direito Civil e Processo Civil, que é um pouco mais ampla. A carga horária é de 380 horas e as aulas ocorrem quinzenalmente. O curso tem duração de 18 meses.

O objetivo é aprimorar competências e habilidades para aliar teoria à prática forense. O público-alvo é composto por advogados, promotores, juízes, procuradores e defensores públicos.

Algumas das disciplinas abrangidas pela especialização são:

  • Direitos de Família e das Sucessões;
  • Processos Constitucional e Cautelar;
  • Gestão de Escritório e Marketing Jurídico;
  • Técnicas Avançadas de Conciliação, Mediação e Arbitragem.

Nesse ramo, um advogado júnior ganha entre R$ 3,3 mil e R$ 6,2 mil, de acordo com o site Guia da Carreira. Já o sênior tem sua renda variando entre R$ 8 mil e R$ 15,2 mil.

Especializações na área de Direito Tributário

A carga tributária existente no Brasil é um peso para milhares de empreendedores, mas uma possibilidade de trabalho bem interessante para quem atua nesse ramo do Direito. Esse é um dos segmentos que mais cresce e há muita demanda por profissionais. Portanto, especializar-se nessa área é um bom negócio.

O advogado tributarista tem como responsabilidade assegurar o cumprimento das regras relativas à arrecadação de impostos e outras obrigações referentes a essa atividade. Devido à complexidade do assunto, é recomendado ter especializações — ou, pelo menos, um curso de extensão — tanto em Direito quanto em Contabilidade.

Esse profissional também pode atuar como consultor nas empresas e auxiliar em atividades de planejamento, controle empresarial, processo administrativo, cumprimento da legislação, implantação de projetos e até em processos judiciais.

Uma pós bastante indicada para essa área é a de Direito Tributário e Processo Tributário, com duração de 18 meses e carga de 360 horas-aula. O curso é voltado para a incidência de tributos municipais, estaduais e federais, além de tratar de privilégios, garantias e outros assuntos de natureza processual.

Entre as disciplinas estudadas estão:

  • Sistema Constitucional Tributário;
  • Obrigações, Créditos, Processos Judiciais nesse âmbito;
  • Direito Penal Tributário;
  • Compliance e aplicação de impostos para microempresas e empreendimentos de pequeno porte, que têm uma situação diferenciada.

De acordo com o site Guia da Carreira, a rentabilidade média de um advogado tributarista júnior fica entre R$ 3,1 mil e R$ 6,2 mil. Já o sênior recebe de R$ 10 mil a R$ 20,5 mil.

É importante mencionar que a disciplina de Compliance é muito relevante atualmente, porque o mercado requer profissionais com essa especialização. Um dos motivos, inclusive, são as denúncias de corrupção no governo brasileiro envolvendo empresas privadas. Ou seja, esse assunto virou uma questão corporativa e uma boa frente de trabalho.

Ainda observando essa necessidade, esse especialista vem sendo cada vez mais requisitado para ajudar, por meio do planejamento tributário, a melhorar o fluxo de caixa das empresas e preservar seu resultado financeiro, especialmente em períodos de crise.

Baixe agora

Especializações na área de Direito Administrativo

O foco de quem trabalha com o Direito Administrativo é aplicar leis que regulamentam a relação entre entidades privadas e poderes públicos ou seu relacionamento com a sociedade. Esse é um ramo do Direito Público e há amplas possibilidades de atuação junto a empresas que forneçam produtos ou prestem serviços para governos.

A ideia do profissional é oferecer assessoria jurídica, desde o processo de participação na licitação até a assinatura de um contrato público. Posteriormente, o advogado também pode auxiliar na gestão e controle dos contratos.

A média salarial nesse ramo é de R$ 3,3 mil, de acordo com o site Guia da Carreira. Se você optar por se especializar nesse segmento, pode cursar a pós em Direito Administrativo e Gestão Pública, que é bastante ampla e tem uma carga horária de 390 horas.

O objetivo da especialização é repassar conhecimentos para formar profissionais que consigam atender às exigências sociais e fortalecer o âmbito jurídico-administrativo. A matriz curricular é composta por diversos assuntos, entre eles:

  • Gestão de Políticas Públicas;
  • Auditoria e Prestação de Contas;
  • Planejamento Estratégico no Setor Público;
  • Governança no Setor Público.

Especializações na área de Direito Trabalhista

Os assuntos trabalhistas são o foco desse profissional, que pode atuar em âmbito preventivo, consultivo ou litigioso. Nos últimos anos, devido à crise da economia brasileira, esse especialista passou a ter mais demanda por conta do grande número de demissões, que ocasionou, por consequência, um aumento dos processos.

Outras questões evidentes são a desatualização da legislação trabalhista e as mudanças que vêm sendo delineadas no Congresso, o que faz com que as empresas busquem especialistas para lidar com situações inesperadas.

No entanto, o advogado trabalhista também atua em favor do empregado e o representa em processos que porventura sejam instaurados. O profissional júnior recebe entre R$ 3,1 mil e R$ 6,2 mil, enquanto o sênior ganha entre R$ 6 mil e R$ 16 mil, segundo o Guia da Carreira.

A especialização em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho tem carga horária de 364 horas e duração de 18 meses. O foco é multidisciplinar e alia a teoria à prática forense.

Entre os assuntos estudados estão:

  • Direito Coletivo do Trabalho;
  • Tutela Coletiva e Prática Processual do Trabalho;
  • Legislação Trabalhista Extravagante;
  • Contrato Individual do Trabalho.

Especializações na área de Direito da Empresa

Esse ramo do Direito está em evidência e tem requisitado vários especialistas, que têm por responsabilidade direcionar os processos de abertura de negócios, auditoria empresarial e recuperação judicial, falência e reestruturação de dívidas.

Vale a pena destacar que os pedidos de falências e recuperações judiciais alcançaram números mais altos no Brasil durante o período da crise. Segundo a Serasa Experian, de janeiro a junho de 2017 houve 685 pedidos de recuperação judicial e 829 de falência.

Essa situação é complexa e ocorre com diferentes tipos de empresa, inclusive as grandes. Esse é o caso da Oi, que se tornou a maior recuperação judicial que já ocorreu no país.

Nessa área, é melhor ter um perfil conciliador e saber negociar. O inglês também é fundamental, porque muitos dos credores nesses processos são empreendimentos multinacionais ou instituições financeiras.

Uma vantagem é ter trabalhado com processo civil enfocando situações de contencioso bancário. O advogado também pode atuar como assessor para empresas em dificuldade econômica, porque, nesses casos, é preciso ter uma estratégia jurídica de adaptação ao novo contexto.

Esse profissional costuma ganhar entre R$ 3,5 mil e R$ 6,5 mil se for júnior e R$ 10 mil e R$ 20 mil se for sênior.

Outras especializações

O advogado graduado também pode escolher entre outros segmentos do Direito para se especializar. Algumas possibilidades são:

  • Direito Previdenciário: é focado nos processos de aposentadoria e apresenta grande demanda, especialmente devido às mudanças que estão sendo discutidas pelo governo federal;
  • Direito Comercial: é direcionada à aplicação das leis em processos de abertura e fechamento de comércios. O profissional tem o objetivo de intermediar as relações jurídicas;
  • Direito da Tecnologia da Informação: é o mesmo caso da área anterior, mas voltada para a informática. Como há poucas leis específicas sobre o assunto, o especialista pode trabalhar com a reparação de danos morais por crimes online;
  • Direito Ambiental: abrange o trabalho realizado em ONGs para evitar ações prejudiciais do ser humano ao meio ambiente;
  • Direito do Entretenimento: foca a regulamentação de grandes shows, eventos e festivais por meio da elaboração de contratos e licenças. Também pode se voltar para a liberdade de expressão e direitos autorais;
  • Direito Desportivo: atua com as relações existentes nessas atividades, como é o caso da venda de um jogador de futebol. O profissional deve ter conhecimentos a respeito de multas, indenizações e até penalidades ao atleta devido a alguma infração cometida em um jogo.

Como escolher a especialização ideal para você

As especializações na área de Direito são bastante interessantes, porque vão além da graduação e apresentam outras possibilidades de estudo e atuação para o profissional. Entrar em uma pós é uma forma de ter mais sucesso na sua área, assim como de ser reconhecido por clientes e colegas.

A questão é: diante de tantas opções, como escolher o curso de especialização ideal para o seu caso? Confira algumas dicas que ajudam a responder essa pergunta:

descubra-quais-sao-as-melhores-especializacoes-na-area-de-direito.jpg

Explore as opções

A sua decisão deve ser embasada pelo conhecimento de todas as opções de pós existentes. Lembre-se de que esse investimento pode ser crucial para sua contratação ou mudança de emprego, já que a especialização é uma maneira de se destacar perante a concorrência.

Apesar de o seu interesse e gostos pessoais influenciarem muito a sua decisão, você também deve explorar as novas áreas (como a de Direito da Tecnologia da Informação) e pesquisar sobre a demanda existente em cada caso.

Entenda a diferença entre teoria e prática

A realidade nos bancos da faculdade é diferente daquela que se vê no mercado de trabalho. Conhecer o que ocorre na prática é importante para definir em qual área você deseja se especializar.

Se você tem interesse em algum segmento do Direito que não conhece muito bem, pesquise, converse com pessoas que atuam nele e, se possível, faça um breve acompanhamento para entender melhor quais são as atividades diárias.

Converse com colegas mais experientes

Os profissionais que já estão há anos no mercado podem dar uma ideia de o que são as especializações e qual é o impacto que vão causar no seu currículo. Conversar com eles também permite compreender melhor cada área e saber quais são os pontos positivos e negativos.

Defina metas

Ter um objetivo é fundamental na hora de escolher uma especialização. Por exemplo: você deseja se destacar no local em que já trabalha? Ou prefere abrir seu escritório de advocacia? Outras opções são trabalhar em casa ou atuar como correspondente, consultor e assessor.

Ter essa ideia bem clara é uma boa maneira de saber onde deseja chegar e trabalhar para alcançar esse posto. Assim, você também escolher uma especialização que esteja de acordo com os seus objetivos.

Tenha cuidado e aja

O conhecimento é positivo, mas é preciso cuidar para não fazer diferentes especializações, que exigem muito esforço (financeiro, de tempo e de estudo) e podem fazê-lo perder o diferencial do foco em algo específico.

Por sua vez, você não precisa saber todas as respostas. Pare e pense o que quer, veja o caminho que pretende percorrer e siga em frente. Essa é a melhor forma de ter sucesso.

O momento ideal para começar sua especialização

A pós-graduação é uma ferramenta de atualização e capacitação, que permite aprimorar o seu currículo e abrir novas oportunidades de trabalho.

Você pode começar o seu curso a qualquer momento que achar necessário, mas uma boa ideia é iniciar logo após a graduação. O momento é indicado devido à proximidade com o conhecimento adquirido na academia, que ainda está fresco na cabeça do aluno.

Por outro lado, se você optar por uma especialização e, principalmente, por um MBA, pode ser interessante ter conhecimento prático e experiência que varia entre 3 e 5 anos. Essa vivência no mercado de trabalho também é imprescindível para quem quer usar a especialização para alcançar uma posição maior dentro do escritório em que trabalha.

Outra situação que enseja a realização de uma pós é quando você deseja fazer uma transição de carreira. Por exemplo: sair do Direito Civil para atuar no Tributário. Nesse caso, a especialização serve para complementar seu conhecimento e ajuda a se colocar em uma posição mais favorável.

De todo modo, tenha em mente que é preciso dispensar tempo para o estudo. Não será necessário sacrificar todo o período de lazer e com a família, mas é relevante abrir um espaço na agenda para as aulas, leituras complementares e para a elaboração do artigo ou trabalho acadêmico.

Para ter certeza de que chegou o momento de apostar na especialização e que está seguindo o que é adequado, veja alguns critérios que devem ser analisados:

Reputação da universidade

A instituição de ensino deve ser respeitada no mercado e bem conceituada pelas empresas. Tenha em mente que o título da especialização é como um selo de qualidade.

Qualidade do currículo

A matriz curricular com as disciplinas abordadas durante a pós deve ser avaliada antes de você decidir qual é a melhor alternativa. Verifique se a especialização está alinhada aos seus objetivos, porque isso evita frustrações posteriores.

Afinidade com a área escolhida

O segmento do Direito que você escolher deve estar afinado com as suas expectativas e interesses. Lembre-se de que fazer o que se gosta é sinônimo de sucesso e bom trabalho, além de ser mais fácil encarar as dificuldades como oportunidades. Por isso, é importante definir suas áreas de foco.

Agora você já conhece as melhores especializações na área de Direito e pode escolher a sua. O que achou? Deixe seu comentário no post, principalmente se tiver dúvidas ou experiências a compartilhar!

Acessar material

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos