Psicologia pós-graduação

Descubra mais sobre a psicologia humanista

Ana Flávia da Fonseca
03-05-2018 7:00

“Quanto mais um indivíduo é compreendido e aceito, maior tendência tem para abandonar as falsas defesas que empregou para enfrentar a vida, e para progredir num caminho construtivo.”

Essa frase de Carl Rogers, um dos precursores da psicologia humanista, resume bem o que sua teoria representa na sociedade.

Para esclarecer melhor esse assunto, veremos aqui como ela surgiu, como é aplicada, quais são os seus principais precursores e outros aspectos importantes sobre essa abordagem da psicologia. Continue a leitura e descubra sobre essa área da psicologia que tem ganhado cada vez mais seguidores!

descubra-mais-sobre-a-psicologia-humanista

O que é a psicologia humanista?

É um ramo da psicologia, considerada a terceira grande força da área, junto da psicanálise e da terapia comportamental. Basicamente, ela é um contraponto ao determinismo que dominava as outras práticas da psicoterapia — como o behaviorismo, segundo o qual o comportamento humano é moldado pelo estímulo e resposta do ambiente.

A corrente humanista nasceu em meados dos anos 1950, no ambiente norte-americano pós-guerra. Seu objetivo, desde a criação, foi justamente oferecer uma perspectiva diferente sobre os problemas do ser humano e a ligação deles à área da saúde (mente consciente e inconsciente), e não à doença, como era até então.

Essa teoria é embasada no ensinamento de que o indivíduo tem uma força de autorrealização, que contribui diretamente com o desenvolvimento de uma personalidade criativa e saudável.

Sendo assim, ela rompeu com as teorias anteriores ao considerar que o ser humano está em um processo de construção e tem a capacidade de escolha sobre a sua realidade.

Quais foram os precursores dessa teoria?

Abraham Maslow e Carl Rogers foram dois dos maiores precursores da teoria.

Maslow foi o primeiro teórico a fortalecer a teoria humanista na psicologia, recebida mais tarde por Carl Rogers, que passou a desenvolver uma terapia centrada em seus “clientes” (abordagem mais adequada do que “pacientes”, segundo diretrizes da psicologia).

A seguir, falaremos melhor sobre o trabalho desses dois teóricos:

Baixe agora

Abraham Maslow

A pirâmide das necessidades, desenvolvida por Maslow, foi o eixo da criação da teoria humanista. Segundo ele, as necessidades humanas podem ser organizadas em níveis, como uma pirâmide, cuja base deve ser satisfeita antes das necessidades do topo.

Essa base, então, seria constituída pelas necessidades fisiológicas, seguidas pela segurança, as necessidades sociais, de estima e de autorrealização. Ou seja, a teoria seria dividida em precisões biológicas e individuais.

E é sobre esta última, em específico, que se encaixaria a psicologia humanista de satisfação das necessidades pessoais.

Isso quer dizer que todo ser humano seria capaz de alcançar o que almeja e se autorrealizar. E essa motivação é que serve de sustentação para a teoria. De acordo com ela, a forma como os indivíduos respondem às suas necessidades pessoais é o constitui a sua personalidade.

Carl Rogers

Como dissemos, os estudos de Maslow serviram posteriormente para que Carl Rogers desenvolvesse suas próprias hipóteses sobre essa abordagem. Na visão deste, o ser humano é um indivíduo dono de sua própria realização.

Segundo Rogers, o indivíduo pode encontrar dentro de si todas as ferramentas necessárias para manter o equilíbrio de sua vida. Em outras palavras, as pessoas teriam como que um guia interno para encontrar as respostas para sua própria existência.

Ele ainda enfatiza nossa liberdade de escolha, sendo o homem visto como alguém totalmente funcional e com as quatro seguintes características:

  • Experiência existencial;
  • Confiança orgânica;
  • Experiência de liberdade;
  • Criatividade.

Quais são as curiosidades dessa abordagem psicológica?

descubra-mais-sobre-a-psicologia-humanista

A psicologia humanista foi um grande divisor de águas para a maneira como os clientes eram tratados.

Entre as conquistas que ela possibilitou, podemos destacar a maior aceitação de que os indivíduos normais e saudáveis têm a oportunidade de explorar as suas habilidades e potenciais por meio da terapia. Isso confere, dentre outras coisas, uma maior autonomia na hora de escolher o que será tratado durante as conversas com o psicólogo ou terapeuta.

Outra curiosidade é que essa abordagem ainda é vista como um escopo vago, devido à falta de estudos científicos mais aprofundados.

Tanto é que, apesar de vários psicólogos fazerem uso desse método de trabalho, pouca literatura ainda é encontrada sobre o assunto, sendo ela mais voltada às questões discutidas por Maslow em sua pirâmide de necessidades e pela abordagem de Rogers.

E os benefícios da sua aplicação?

Apesar das discussões acerca do valor dessa linha da psicologia, é fato que ela traz uma série de benefícios de acordo com os utilizadores de suas técnicas. Assim, podemos destacar:

Fornece uma visão holística do ser humano

Na abordagem holística, é desenvolvida uma linha de pensamentos integradores sobre o ser humano. Assim, ela incorpora corpo, mente, emoções, consciência, ambiente em que está inserida, entre muitos outros aspectos.

O ser humano é considerado, aqui, uma base global. Todos os seus aspectos têm importância, e confluem para que o indivíduo possa encontrar a si mesmo.

Considera o ser humano como único, mas também a sua presença no grupo

Nessa abordagem psicológica, o indivíduo é visto como o principal responsável por suas escolhas e por se realizar. No entanto, não se desconsidera que essa existência acontece em um contexto interpessoal.

Por essa razão, é crucial que o ser humano se relacione com os outros, a fim de que possa se desenvolver com maior propriedade. E o psicólogo funcionará como uma ponte para que a pessoa consiga se inserir e descobrir qual é o seu papel no mundo.

Ajuda no desenvolvimento pessoal

Como não poderia ser diferente, essa linha da psicologia ajuda a pessoa a conquistar e desenvolver suas potencialidades pessoais e interpessoais. Isso faz necessária a presença de um profissional qualificado e empático, que coloque a pessoa em primeiro lugar e facilite as conquistas que levem à sua autorrealização.

Em suma, a psicologia humanista tem foco no indivíduo sob uma perspectiva global. Isso quer dizer que, mais do que um trabalho do profissional que atua dessa maneira, é necessário um cliente que, realmente, esteja disposto a crescer.

Então, o nosso artigo foi útil para você? Gostou de saber mais sobre esse ramo da psicologia? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário e participe da nossa discussão!

Acessar material

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos