Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

Descubra como recrutadores analisam comportamento de candidatos

Postado por Fábio Albuquerque

Muitos candidatos acreditam que vale tudo para conquistar uma vaga de emprego, desde inventar experiências profissionais até exagerar nas competências. Mas as empresas estão cada vez mais atentas a esse comportamento — e, com a ajuda da internet, é muito difícil que mentiras passem impunes.

Então, você já se perguntou como recrutadores analisam comportamento durante a seleção? Neste post, reunimos as atitudes que podem garantir a contratação e as que podem afastar de vez o candidato da vaga dos sonhos. Confira!

descubra-como-recrutadores-analisam-comportamento-de-candidatos.jpg

Quais são os erros mais graves?

De fato, é muito difícil prever o resultado de um processo seletivo. Ainda assim, algumas atitudes podem ser evitadas para se garantir uma chance maior de impressionar os recrutadores e ser contratado. De acordo com os recrutadores, os erros mais graves durante a seleção são:

1. Mentir

A mentira é o fator que mais causa eliminação durante o processo de seleção de candidatos. E essa afirmação foi feita pelos próprios recrutadores, em uma pesquisa realizada pelo site de empregos Catho.

Segundo o estudo, inventar uma formação ou experiência profissional é a atitude mais grave na criação do currículo ou durante a entrevista, com nota 4,7, em uma escala de 5, dentre os piores comportamentos.

Portanto, mesmo que o seu currículo não pareça tão atrativo, evite dar qualquer informação que não corresponda à verdade durante o processo seletivo. Até porque uma simples pesquisa já pode ajudar o recrutador a esclarecer qualquer informação.

Além disso, na visão da maioria das empresas, as habilidades técnicas podem ser adquiridas com o passar do tempo — já o caráter, não.

2. Não usar uma linguagem adequada

Além de mentir, utilizar uma linguagem inadequada também está entre as primeiras colocações da lista dos comportamentos mais graves de candidatos em um processo seletivo.

Nesse caso, falar palavrões, usar muitas gírias e cometer erros de português são alguns dos exemplos do que um profissional não deve fazer, principalmente durante a entrevista. Afinal, atitudes como essas podem demonstrar problemas com comunicação e formação acadêmica.

Por outro lado, em muitos casos, também podem estar diretamente associadas ao nervosismo. Então, cabe ao recrutador avaliar se o erro custará a eliminação do candidato, ou se pode ser relevado.

Baixe agora

3. Falar mal dos ex-empregadores

Outro erro grave dos profissionais é falar mal do ex-empregador ou do trabalho anterior. Mesmo que a empresa seja uma concorrente declarada da que você está se candidatando, em vez de agradar o recrutador, essa atitude demonstra falta de profissionalismo, bom senso e gratidão por parte do candidato.

4. Usar roupas inadequadas

A apresentação pessoal é um item tão importante quanto o currículo para a contratação, e as roupas possuem uma forte influência para causar uma boa impressão.

O mais importante é avaliar a natureza da empresa e o perfil dos funcionários. Em algumas áreas, principalmente, as mais criativas e informais, o terno e a gravata já não é mais necessário durante a entrevista de emprego. No entanto, é sempre bom manter um tom formal e mais minimalista.

Nesse sentido, roupas com cores e estampas extravagantes, comprimentos curtos, acessórios em excesso, decotes exagerados ou muito informais são consideradas inadequadas para se apresentar em uma entrevista de emprego.

Afinal, o candidato deve ser lembrado por suas competências, e não pela aparência durante o processo seletivo.

5. Chegar atrasado para a entrevista

Deixar o recrutador esperando é um sinal grave de desrespeito. No ponto de vista das empresas, profissionais que não conseguem chegar no horário combinado, dificilmente, serão capazes de cumprir prazos.

Por isso, o candidato deve sempre sair com antecedência para não perder o horário marcado para a entrevista. Em caso de imprevistos, a melhor opção é avisar ao entrevistador sobre o atraso com um pedido de desculpas.

6. Não demonstrar confiança

Naquela lista sobre como recrutadores analisam comportamento, demonstrar segurança e confiança apareceu como uma das atitudes mais apreciadas durante a entrevista de emprego. No entanto, é importante não confundir tais qualidades com arrogância.

Nessa mesma pesquisa da Catho, 45,2% dos avaliadores admitiram que já perceberam uma postura agressiva e prepotente nos profissionais, e a utilizaram como critério de eliminação.

O que pode garantir a contratação?

Além de uma boa formação acadêmica e experiência profissional, alguns outros fatores são decisivos para a contratação de um candidato. Os recrutadores também analisam competências comportamentais durante a entrevista — que podem ser indicadas para o cargo, ou não. As principais delas são:

1. Postura adequada

Muitas vezes, o candidato apresenta um ótimo desempenho nas dinâmicas, demonstra equilíbrio e uma comunicação eloquente, mas não se encaixa, especificamente, em determinadas características que a empresa procura.

Se uma vaga procura um profissional com capacidade de liderança, por exemplo, mostrar-se muito tímido pode atrapalhar a contratação.

Quanto a isso, a primeira dica é analisar bem as especificações da vaga e o perfil da empresa. Mesmo que não seja possível adivinhar, exatamente, o que o recrutador busca, ainda é possível impressioná-los com uma postura proativa, eloquente e honesta.

2. Estabilidade empregatícia

Pessoas que ficam curtos períodos de tempo em várias ocupações podem demonstrar incapacidade de comprometimento com aquilo que fazem. Quem passa anos na mesma função, por outro lado, pode encontrar dificuldades para inovar e fazer mudanças.

É claro que isso não é uma verdade universal, mas pode servir como base de avaliação para o RH, e como um forte critério de contratação.

como-recrutadores-analisam-comportamento-de-candidatos.gif

3. Reputação nos trabalhos anteriores

Mesmo com um currículo de dar inveja e um ótimo desempenho na entrevista, uma das principais critérios que ditam como recrutadores analisam comportamento é a reputação profissional de um candidato.

É comum para as empresas investigar experiências anteriores ou perguntá-las diretamente ao entrevistado. Por isso, é importante saber, na ponta da língua, como o seu trabalho contribuiu para os antigos empregadores e como era a sua relação com o resto da equipe.

4. Boa apresentação pessoal

A forma de falar sobre si também é importante na avaliação dos recrutadores. Durante a entrevista, é fundamental que o candidato seja transparente sobre a sua intenção com a vaga, expressando seu ponto de vista de forma concisa e dando espaço de fala ao recrutador.

É importante ainda avaliar se, ao se apresentar, você não cai em clichês como “sou muito proativo” ou “espero contribuir para o meu crescimento”.

Lembre-se: os recrutadores estarão em busca de candidatos originais, que tenham algo a acrescentar ao seu quadro profissional e tragam resultados inovadores para a empresa.

5. Conhecimento sobre a empresa

Em processos seletivos, é muito comum que, após a contratação, um candidato não se encaixe no dia a dia da empresa ou perceba que aquele cargo não era bem o que ele pensava ser. Mas, para essa empresa, o processo de recontratação significa gasto de tempo e dinheiro.

Assim, quando um candidato demonstra ter informações suficientes sobre a história, a missão e o dia a dia da organização a que está se candidatando, fica mais fácil para o recrutador medir o seu real interesse e nível de comprometimento. E esses fatores são fundamentais para torná-lo merecedor da vaga.

Gostou do post? Já cometeu alguma dessas gafes em uma seleção? Sobrou ainda alguma dúvida de como os recrutadores analisam comportamento durante a entrevista? Conta pra gente nos comentários.

Acessar material

pós-graduação

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS