pós-graduação carreira

Conheça mais sobre o mercado freelancer

Fábio Albuquerque
24-11-2018 8:33

Você já pensou em se tornar um profissional autônomo que realiza serviços para outras pessoas ou empresas por um período determinado e que, normalmente, recebe por trabalho? O mercado freelancer tem mostrado sua força nos últimos anos, e o número de interessados em ingressar nesse segmento cresce mais a cada dia devido a vários fatores sociais e econômicos.

Tem interesse em se tornar um freela e quer descobrir um pouco mais sobre essa atividade? Então, continue conosco e boa leitura!

conheca-mais-sobre-o-mercado-freelancer

Como surgiu o mercado freelancer?

O termo que designa essa função, ao contrário dela, não é nada atual, tendo sido cunhado na idade média. Ele caracterizava o trabalho dos lanceiros livres — ou seja, freelancers —, que eram homens que lutavam protegendo os nobres e eram pagos por esse serviço.

As guerras, no entanto, acabam na origem do nome. Hoje, o mercado freelancer conquista cada vez mais adeptos, seja como fonte principal de rendimentos, o que já é a realidade de muitos brasileiros, seja como forma de ganhar um dinheirinho extra para complementar a renda.

O desenvolvimento da tecnologia decorrente da ruptura digital e a forma como isso impactou e revolucionou a comunicação e seus meios alavancou o crescimento desse tipo de profissional. Hoje, é perfeitamente possível trabalhar em equipes e fazer reuniões via internet, em plataformas como Trello ou Skype, por exemplo.

Além disso, a sociedade passa por uma grande mudança. As pessoas estão cansadas dos modelos e padrões existentes de jornada de trabalho, que ocupam todo o seu dia. Sem falar no tempo gasto nos ônibus e no trânsito — fatores que prejudicam seu lazer, descanso e estudo.

Como é o trabalho do freelancer?

Para atuar como freelancer, não é necessário ter diploma de ensino superior ou de outros cursos. No entanto, você precisa mostrar para os seus clientes que está apto a fazer aquilo para o que foi contratado e entregar qualidade.

Normalmente, o freela oferece seus serviços por meio de portfólios. Esse profissional ganha por trabalho feito — que tem o valor e o prazo determinados por ele mesmo e acordados com o contratante. O cliente passará as diretrizes e, então, o freelancer estará pronto para dar início ao projeto.

Vale ressaltar que, para aqueles que estão começando, há muitas fontes online sobre os freelas que já atuam no mercado há mais tempo e que informam uma média de preço dos serviços prestados. Isso ajuda a nortear quem caiu de paraquedas nessa nova forma de trabalhar.

Baixe agora

Quais habilidades comportamentais são necessárias para ter sucesso?

Se você está pensando em ingressar no mercado freelancer, saiba que isso não é tão tranquilo quanto possa parecer. Para ter sucesso na área, é imprescindível contar com algumas qualidades e rotinas para não queimar essa oportunidade ainda na largada. Confira quais são elas:

  • Organização e comprometimento, para entregar os trabalhos em dia e bem-feitos;

  • Liderança e capacidade de resolver problemas, afinal, você será seu próprio chefe;

  • Fazer um planejamento financeiro detalhado, para controlar ganhos e gastos e não correr o risco de ficar no vermelho;

  • Investir em comunicação e prospecção de clientes, uma vez que, principalmente no início, eles não vão cair do céu.

Quais são os profissionais mais procurados?

Pela própria natureza de seus trabalhos, alguns profissionais são mais procurados para atuar como freelancers. Confira alguns dos principais e veja se você tem experiência em alguma dessas áreas:

  • Redatores de texto: produzem conteúdo para blogs na internet, voltados para marketing e otimizados para mecanismos de pesquisa;

  • Designers: criam materiais gráficos, como peças para publicidade ou logotipos para marcas;

  • Editores de vídeo: fazem edição de vídeos para agências de publicidade, estúdios, donos de empresas etc.;

  • Tradutores: traduzem textos de periódicos e trabalhos acadêmicos, produzem legendas para seriados e filmes, fazem tradução simultânea, entre outros;

  • Social media: gerenciam redes sociais como o Facebook, Instagram, Twitter, entre outras;

  • Desenvolvedores: elaboram websites, aplicativos mobile, softwares, entre outros;

  • Animadores: modelam e animam personagens para vídeos de motion graphics e outros, voltados para publicidade ou uso corporativo e veiculados em canais de televisão, na internet, em empresas etc.

Quais são as vantagens de trabalhar como freelancer?

Home office

Poder trabalhar em casa é o sonho de muita gente, e isso não é para menos. Não ter que enfrentar ônibus lotados, perder horas indo e voltando ou gastar com alimentação são algumas das vantagens do home office, além de poder dedicar mais tempo a si mesmo e à família.

giphy

Flexibilidade de horário

Suponhamos que, para entregar tudo em dia, você precise trabalhar 4 horas por dia, de segunda a sexta. Em uma semana com um feriado que cai na quinta-feira, por exemplo, é perfeitamente possível que você se organize para realizar todas as suas tarefas de segunda a quarta, trabalhando dobrado por dois dias.

Dessa forma, é muito mais fácil ganhar tempo livre para planejar viagens, passeios, trabalhar em outros projetos pessoais, realizar cursos etc.

Autonomia na escolha de projetos

Dentro de uma empresa, quase nunca a vontade de um colaborador tem relevância nas tarefas que lhe são designadas: as atividades atribuídas pelo superior têm que ser realizadas e ponto final. Já os freelancers, como são profissionais autônomos, podem avaliar os projetos disponíveis e escolher quais são aqueles que mais têm a ver com seu estilo de trabalho e seus gostos.

Quais são as desvantagens de trabalhar como freelancer?

Home office

Sim, o home office tem inúmeras vantagens, mas, como nem tudo são flores, essa forma de trabalhar também tem seus problemas. Se você divide sua casa com outras pessoas — como família, amigos ou cônjuge —, a convivência pode ser um pouco problemática.

Se você estiver em um escritório, outras pessoas dificilmente o interromperão para falar de alguma coisa que não esteja ligada ao trabalho. Além disso, é fácil se distrair com outras coisas que matam sua produtividade.

Falta de estabilidade

Esse modo de trabalhar gera certa instabilidade em relação ao fluxo de trabalhos e, consequentemente, em relação aos ganhos.

Se os projetos estão escassos e você trabalha pouco em um mês, sua renda será menor. Nos trabalhos formais, há períodos mais e menos movimentados, contudo, isso não afeta o seu salário — ou seja, pode-se sempre contar com o mesmo valor ali na sua conta no início de cada mês.

Ausência dos benefícios do vínculo empregatício

Ser contratado por uma empresa oferece alguns benefícios, como vale alimentação, aposentadoria, planos de saúde, décimo terceiro e outros mais, dependendo da companhia. No mercado freelancer, como você é sua própria empresa, isso não acontece. Todavia, nada impede que você se planeje financeiramente para pagar, por conta própria, por todos esses benefícios.

Assim como qualquer outro — se não mais —, o mercado freelancer exige de seus profissionais disciplina e comprometimento. A produtividade, o cumprimento dos prazos e a qualidade dos serviços: tudo isso depende unicamente de quem exerce essa função. Acatando esses requisitos, ser freelancer é uma alternativa muito viável e que ganha cada vez mais adeptos, tanto como trabalho principal quanto como complementar.

E você, já teve ou tem interesse em entrar para o mercado freelancer? Qual é sua maior dificuldade em relação a isso? Deixe o seu comentário no post!

Acessar material

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos