Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

Autoconhecimento: porque ele é tão importante e como desenvolvê-lo

Postado por Fábio Albuquerque

O sucesso profissional é reflexo de muitas variáveis e está nitidamente interligado com inúmeras conquistas — desde o campo pessoal até aos investimentos realizados na carreira. Quem consegue chegar ao patamar que sempre sonhou frequentemente manteve a motivação acesa em todos os estágios da vida, buscando a atualização constante e nunca se acomodando em determinadas funções.

No entanto, um aspecto que faz grande diferença é o autoconhecimento — afinal, quem se conhece evolui mais rápido e ganha tempo na corrida por uma vida melhor.  E você? Sabe como desenvolvê-lo?

É o que mostraremos neste post por meio de 6 dicas que certamente farão a diferença na sua vida profissional e pessoal, com foco nos ideais que cada um sonha para si.

autoconhecimento-porque-ele-e-tao-importante-e-como-desenvolve-lo.jpg

1. Analise suas características pessoais

O primeiro passo para buscar o autoconhecimento é saber quem você é. Muito além da formação acadêmica, dos cursos concluídos e dos locais em que trabalhou, é preciso saber na ponta da língua, de uma maneira bem honesta, traços da sua personalidade.

Ele passa pela percepção referente aos traços emocionais. Um exemplo é saber se você é impulsivo, extrovertido, tímido, analítico, racional, comunicativo — enfim, é preciso se conhecer profundamente, bem além do que está descrito em seu currículo.

Trata-se de um ponto fundamental que faz muita diferença em uma entrevista de emprego ou até mesmo na tomada de decisões, evitando consequências que possam trazer danos inesperados.

Nesse campo, vale a pena observar como o seu interior reage em relação aos diferentes sentimentos. Analise que situações o deixam bem e quais não são tão agradáveis. Busque o entendimento em relação ao que te eleva e também sobre o que te coloca para baixo.

Isso é muito importante no campo profissional, pois evita quedas na produtividade e também mantém afastadas as oscilações emocionais, que estão ligadas com muitos desligamentos e até mesmo abandono de sonhos dentro de uma determinada corporação.

2. Identifique seus pontos fortes e fracos

Nenhum ser humano é perfeito, ou seja, por mais competente que uma pessoa possa ser, sempre haverá pontos fortes e fracos em suas características, tanto profissionais quanto pessoais. Por isso, outra dica imprescindível para quem busca o autoconhecimento é saber os prós e contras de si mesmo.

Faça um roteiro de sua vida e analise em que momentos houve aspectos positivos e quando algo não saiu como o planejado. E, a partir de uma boa análise, comece a fazer planejamentos com metas em curto, médio e longo prazo.

Conhecer os seus pontos fortes e fracos ajuda muito a melhorar as suas atitudes, pois você poderá trabalhar aspectos da personalidade que causam má impressão ou até mesmo atrapalham em sua carreira.

É importante estar aberto para buscar as mudanças, já que isso exige várias análises que cobram modificações no comportamento para quem está interessado em melhorar não só na vida profissional quanto pessoal.

Baixe agora

3. Ouça o que falam sobre você

Obter feedbacks é um excelente exercício para você se conhecer melhor. Peça para amigos do trabalho, da família, de algum curso que esteja frequentando e demais pessoas que façam parte da sua realidade para que falem sobre a sua personalidade.

Quem quer realmente entrar nesse mundo não se intimida por críticas. Pelo contrário, busca sempre entender os porquês, indo atrás da mudança. Vale a pena perguntar sobre pontos positivos e também negativos.

E esteja sempre aberto para ouvir determinadas opiniões que você possa nunca ter imaginado. Afinal, agimos no automático em muitas situações, deixando rastros da personalidade passarem sem a devida análise ou percepção.

Agora, para quem recebe as mensagens, tudo fica mais claro e evidente. Por isso, é importante contar com a ajuda de pessoas que fazem parte do seu convívio, já que são elas que estão vendo os seus comportamentos. E ajuda é sempre bem-vinda!

Inclusive, esteja aberto a mudar de opinião, pois é um traço de quem está sempre pensando, ou seja, lembre-se de que ninguém é o dono da verdade! Por isso, praticar a aceitação é uma boa dica a ser seguida.

4. Observe o que te faz feliz  

No campo profissional, existem inúmeras atividades que podem ser muito mais agradáveis sob o seu ponto de vista em comparação a outras. É importante observar que tipo de trabalho ou ambientes contribuem com o seu bem-estar.

Quem está na trilha de se conhecer mais a fundo não perde tempo: frequenta lugares com pessoas que têm as mesmas convicções, que sejam agradáveis e levam isso para o ambiente de trabalho e também familiar.

Conhecer verdadeiramente o que te faz feliz contribui para você encontrar o trabalho ideal, o que certamente refletirá em um bom salário e promoções ao longo da carreira.

É preciso buscar e se esforçar para chegar ao sucesso. É como uma trilha menos percorrida, com várias fases, dificuldades até que finalmente chega-se ao destino almejado. Não desanime e vá atrás da sua felicidade, sempre se conhecendo cada vez mais!

5. Deixe sua marca

A marca que você deixa pelos lugares em que passa está alinhada com o que você almeja? Caso não esteja na mesma direção, fique atento! Trata-se de um sinal de que algo não está saindo da maneira como deveria.

Busque sempre se questionar sobre os prós e contras — reflexões, essenciais para quem investe em se conhecer realmente. O objetivo é refletir se aquilo pelo qual é reconhecido é algo que te traz orgulho.

Caso a resposta seja negativa, o ideal é encontrar atitudes e comportamentos que estejam de acordo com aquilo que você busca para a sua vida pessoal e profissional.

6. Nunca pare de investir em autoconhecimento

Como a vida não para e as pessoas mudam constantemente por conta de várias influências, o exercício de se conhecer mais aprofundadamente nunca cessa. E quem entra nessa jornada consegue se transformar em uma pessoa melhor, mais eficaz, fazendo grande diferença no mercado de trabalho.

São profissionais com a autoestima elevada, que se vestem melhor, se apresentam com mais determinação e seriedade, passando credibilidade no que fazem. Além disso, as surpresas perante o que é feito são bem menores, sem falar que as escolhas possuem mais efetividade.

Quem faz dele um exercício constante costuma ser menos suscetível à frustração e à ansiedade, pontos importantíssimos para diferenciar profissionais. Afinal, a inteligência emocional é muito necessária no atual mundo corporativo, em que a acirrada competitividade dita muitas regras. Ou seja, é preciso sempre estar preparado!

Por meio dele, o controle das emoções fica bem mais equilibrado. De uma maneira geral, os potenciais são desenvolvidos de uma forma bem eficaz, trazendo à tona aspectos necessários para uma vida com mais qualidade e bem-sucedida.

E você? Tem investido no seu autoconhecimento? Que tal deixar aqui o seu comentário e contar um pouco da sua experiência?

Acessar material

pós-graduação

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS