Blog Pós-graduação UNIPÊ

BLOG PÓS-GRADUAÇÃO UNIPÊ

10 formas de usar a linguagem corporal a seu favor no trabalho

Postado por Fábio Albuquerque

Saber se comunicar adequadamente é algo que faz toda a diferença nas vidas das pessoas. Na vida profissional, também, uma comunicação eficiente pode alavancar carreiras.

Sendo assim, além da comunicação verbal, é preciso também estar atento à própria comunicação não verbal, ou seja, tudo o que você comunica para as pessoas ainda que não esteja falando. Você já pensou no peso que isso pode ter?

Por esse motivo, preparamos este artigo que mostra de que forma o bom uso da linguagem corporal pode ser útil para você no trabalho, seja ajudando no relacionamento com colegas, durante reuniões ou no contato direto com clientes. Continue lendo e confira essas dicas para melhorar o seu comportamento!

10_formas_de_usar_a_linguagem_corporal_a_seu_favor_no_trabalho.jpg

1. Não sugira mau humor

Muitas pessoas não percebem, mas o simples fato de franzir a testa durante a leitura de e-mails, por exemplo, já pode ter um impacto negativo sobre outras pessoas. Pigarrear, torcer o nariz e até estalar os dedos também são ações que podem transmitir certo desconforto.

Afinal, os outros não têm como saber se o que te faz franzir a testa é um costume ou uma demonstração de irritação. De toda forma, o que eles veem é um sujeito que demonstra mal estar — e ninguém gosta de estar perto de pessoas assim.

Por isso, procure se policiar em relação a trejeitos e formas de comportamento que possam demonstrar desinteresse ou irritação. Tente relaxar os músculos da face para parecer mais natural e evite manias que possam sugerir comportamentos negativos.

2. Olhe nos olhos das pessoas

Por mais que isso possa parecer óbvio, é comum ver pessoas que conversam olhando para tudo, menos para seu interlocutor. Ainda mais em tempos de popularização dos aparelhos celulares, que sempre oferecem distrações.

Na verdade, quem evita olhar os outros nos olhos sugere desconforto com a situação, o que, consequentemente, pode passar uma imagem de pouco confiabilidade — e nada há pior em um ambiente profissional.

Então, evite isso. Na hora de conversar com alguém, principalmente parceiros profissionais, procure olhar nos olhos da pessoa. Isso demonstra segurança e credibilidade, além de respeito por quem o ouve.

3. Demonstre empatia

Basicamente, empatia é a capacidade que uma pessoa tem de se conectar emocionalmente e compreender a outra pessoa. E isso é muito importante em ambiente profissional, pois permite que você tenha condições de se colocar no lugar do outro a ponto de entender suas necessidades, desejos e até insatisfações.

Na verdade, demonstrar empatia não é algo difícil. Basta estar atento aos diálogos e reagir de acordo com o que a pessoa fala. Se ela tentar ser engraçada, por exemplo, saiba rir na hora certa. Se ela demonstrar tristeza, tenha compaixão. É uma questão de atenção — e, claro, boa vontade.

Baixe agora

4. Tenha foco na pessoa

Esta talvez seja a dica mais importante: sempre que estiver conversando com alguém, seja no cafezinho, seja em reuniões, procure dedicar foco total à pessoa.

Afinal, todos gostam de se sentirem especiais. Por isso, quando você dá atenção para o que uma pessoa fala, naturalmente ela se sentirá especial e, assim, terá motivos para gostar de você.

Essa é uma boa maneira de evitar conflitos e trabalhar em paz, até mesmo em ambientes conhecidos pelo clima ruim.

5. Seja expressivo

De fato, falar bem depende de uma série de elementos não verbais. O bom uso dos braços e das mãos, a concentração, os olhos — enfim, são várias coisas que podem tornar sua mensagem eficiente ou não.

E em ambientes profissionais, uma postura segura e elegante não é o suficiente para transmitir credibilidade para o seu interlocutor. Por isso, procure falar pausadamente, usando as mãos para acentuar determinada ação importante em sua fala, e evitando movê-las exageradamente para não parecer desesperado.

Use-as apenas para pontuar determinadas informações que você julgar mais relevantes. E, da mesma maneira, você pode colocar as mãos para trás de maneira entrelaçada enquanto fala. Isso demonstra confiança e auto suficiência do orador.

6. Fique atento à sua linguagem corporal durante a fala

Falar muito alto pode irritar quem te escuta, e até mesmo soar agressivo para alguns.  Da mesma forma, falar baixo demais pode criar aquela situação chata de você ver o seu interlocutor ficar toda hora perguntando “o quê?” e invadindo o seu espaço.

Então, procure evitar isso. Saiba falar num tom de voz adequado — ou seja, equilibrado para atingir o ouvinte sem incomodar — e tendo todo cuidado com a postura, mantendo uma distância confortável do seu interlocutor.

Também não fale de forma apressada, porque, assim, as pessoas podem não compreender as palavras que você diz. Procure falar pausadamente, de maneira articulada e clara, assegurando-se de que as pessoas estão compreendendo plenamente. Respire sempre com calma, e mantenha a cadência em sua fala.

7. Sorria

É fato: um sorriso é capaz de conquistar e desarmar a outra pessoa. Por isso, tente sorrir mais vezes. Assim, você dá o primeiro passo para tornar a conversa mais amigável.

O sorriso permite criar uma conexão interessante entre as pessoas, e até mesmo em reuniões importantes isso serve como aliado para ganhar confiança.

Afinal, quando você sorri, a comunicação não verbal que você faz sugere uma pessoa aberta e de bem com a vida — em outras palavras, alguém confiável. E isso pode ser fundamental para estimular a já citada empatia no seu interlocutor.

8. Use recursos para eliminar pausas

Quando você conclui um raciocínio, é possível usar alguns recursos para evitar aquela sensação estranha quando não se tem o que falar.

Evite usar expressões como “hmm” ou “éééé” para manter-se falando quando o assunto acaba.  Isso pode demonstrar que você quer ganhar tempo para reorganizar seu pensamento e trazer alguma outra informação à tona, dando a impressão de que você não está preparado.

Ao invés disso, você pode pautar suas frases com sorrisos e gestos que deixem claro que você encerrou sua explanação. Assim, você transmite mais naturalidade e confiança.

9. Não discorde com a cabeça

Muitas vezes, e mesmo sem perceber, as pessoas fazem sinais desagradáveis que incomodam seus interlocutores sem a menor necessidade. Um bom exemplo são as negativas com a cabeça. É terrível conversar com alguém que faz cara feia e balança a cabeça como desaprovação; qualquer pessoa se sente mal numa situação dessas.

Sendo assim, evite isso. Procure prestar o máximo possível de atenção a quem fala, e seja sempre paciente e simpático. Se possível, troque o gesto de não pelo de sim.

Mas tome cuidado: preste atenção para não ficar concordando quando isso faz sentido com o que a pessoa fala. Assim, você pode acabar incomodando mais ainda.

10. Tenha cuidado com a vaidade

São muito comuns os hábitos de arrumar os cabelos, conferir seu rosto no espelho, ou coçar a própria barba, por exemplo, enquanto se está conversando. Contudo, não faça isso — dê atenção total a quem te ouve.

Quando escolhe fazer qualquer outra coisa, como olhar no relógio, por exemplo, você manda um claro sinal de que não gostaria de estar ali conversando, e isso pode demonstrar desrespeito e até arrogância.

E aí, gostou do post? Já passou por alguma situação em que sua linguagem corporal traiu a sua comunicação? Deixe-nos o seu comentário e participe da discussão!

Acessar material

pós-graduação, carreira

Fábio Albuquerque

Fábio Albuquerque

Pró-Reitor da Pós-graduação do Unipê. Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Paraíba, Especialista em Estratégia Empresarial e Pesquisador de Marketing, Consumo e Sociedade, além de Tecnologia da Informação e Sociedade.

ASSINE A NEWS

VÍDEOS

ACOMPANHE O UNIPÊ

REDE SOCIAIS