BLOG DA GRADUAÇÃO

Tudo sobre odontologia: o guia definitivo

Você é um daqueles estudantes que pretende fazer vestibular, mas ainda está em dúvida se quer mesmo cursar Odontologia? Mas você realmente conhece tudo sobre Odontologia? Sabe a fundo quais áreas estão "bombando", como é o mercado de trabalho e que matérias você terá que estudar para se dar bem na carreira?

A boa notícia é que, segundo um estudo divulgado em 2015/2016 pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Aplicadas (Ipea), fundação pública federal com enorme know-how para fornecer suporte técnico a ações governamentais, a Odontologia ocupa o segundo lugar quando o assunto é um ranking que leva em consideração salário, jornada de trabalho, taxa de ocupação e cobertura de previdências.

Ainda de acordo com a pesquisa, a Odontologia perde apenas para o curso de Medicina, ganhando de áreas promissoras como Engenharia de Transportes e Engenharia Civil. O Ipea destacou ainda que os dentistas lideram o ranking de profissionais que apresentam as melhores médias de remuneração do país.

Não há dúvidas de que a carreira do odontólogo tem evoluído nos últimos anos, com um leque de possibilidades cada vez maior. Isso considerando que determinadas áreas despontam sobre as outras, a exemplo da dentística restauradora (estética), prótese dentária, ortodontia, implantodontia e Odontologia em saúde coletiva.

Pois então, que tal mergulhar na profissão e conhecer tudo sobre Odontologia e o que poderá ser o seu futuro? Vamos a algumas questões!

guia-tudo-sobre-odontologia.jpg

Como o curso de Odontologia prepara o aluno para o mercado?

Além de estudar a estrutura dos dentes, da boca e dos ossos da face, o aluno de Odontologia também lida, durante o curso, com a saúde e a estética bucal. Ele aprende a restaurar, extrair e limpar os dentes, bem como a projetar e instalar próteses, realizar procedimentos cirúrgicos — simples e complexos —, tratar de doenças da gengiva, da bochecha e da língua.

Ao chegar ao fim da graduação, o estudante recebe o diploma com habilitação de bacharel em Odontologia. O curso dura, em média, cinco anos. No último ano, os alunos devem apresentar um trabalho de conclusão do curso e fazer um estágio, devidamente supervisionado por um professor.

À medida que o estudante se aproxima do final do curso e inicia uma nova fase, de especialização (pós-graduação), também aprende atividades que exigem mais expertise. Isso inclui como implantar dentes, colocar aparelhos e recompor dentes perdidos e arcadas dentárias.

Aprende, ainda, a restaurar a face de vítimas de acidente e até mesmo analisar a arcada dentária de cadáveres. Esta é uma área pouco conhecida, mas que tem crescido bastante nos últimos anos, chamada de Odontologia forense ou legal. A pós-graduação dura, em média, dois anos.

Quais são as disciplinas estudadas?

Se você pensa que vai começar a faculdade e, de cara, estudar as disciplinas relativas à Odontologia, está enganado. A graduação em Odontologia é composta pela formação básica muito similar à graduação em medicina.

No início, a grade curricular inclui disciplinas das áreas de ciências biológicas e saúde, como histologia, epidemiologia, anatomia humana aplicada à Odontologia, bioquímica, fisiologia, microbiologia, psicologia, ética e bioética, psicologia, farmacologia, genética e introdução à metodologia científica — essa última mais ligada à pesquisa.

Já na formação, digamos, mais avançada, o aluno mergulha fundo, porque é com certeza a fase mais próxima para se chegar à profissão propriamente dita. É no segundo ano de faculdade que o estudante inicia as aulas práticas, com treinamento básico e prestação de serviços, a exemplo de procedimentos como limpeza bucal e restauração.

Em um primeiro momento são utilizados manequins, os bonecos odontológicos. Posteriormente, já no terceiro ano, os futuros odontólogos passam a atender pacientes com problemas reais na clínica da faculdade.

Entre as disciplinas, estão anestesiologia, ortodontia, cirurgia e traumatologia, material dentário, radiologia, cariologia e dentística, periodontia, endodontia, próteses, técnica radiográfica, odontopediatria, material dentário, diagnóstico por imagem, exodontia etc.

O que é preciso para se formar?

Para exercer a profissão, é obrigatório obter o registro do Conselho Regional de Odontologia (CRO), concedido a todos os bacharéis em Odontologia. Mais do que estudar as nuances que envolvem os dentes e seus entornos, profissionais formados em Odontologia precisam ter uma visão integrada da saúde do paciente.

É imprescindível a especialização nas regiões da cabeça e do pescoço, com aprofundamento no estudo da boca, da mandíbula, do maxilar e dos ossos da face. A grade curricular muda em alguns aspectos de universidade para universidade, mas o conteúdo das disciplinas difere pouco.

Após exatos oitos anos, os cirurgiões-dentistas são autorizados a tratar seus pacientes com práticas consideradas complementares, como acupuntura, fitoterapia, terapia floral, cromoterapia, homeopatia e laserterapia. Essas são modalidades integrativas à saúde bucal, com bons resultados na busca da qualidade de vida e do bem-estar do paciente.

tudo-sobre-odontologia.gif

Quais são as habilidades necessárias para ser um bom dentista?

Ser humanista e gostar de cuidar das pessoas são algumas das habilidades de um bom dentista. Os pacientes precisam de um profissional que tenha alto poder de concentração, seja paciente e detalhista, especialmente nos procedimentos considerados mais complexos, como em cirurgias, na colocação de implantes e de aparelhos.

Ter boa visão e coordenação motora aguçada, habilidade com as mãos, autocontrole e senso de responsabilidade são características essenciais a um bom profissional. Aliado a isso, dedicar-se à profissão, ingressar em cursos, participar de congressos e eventos ligados à área também contribuem para que o profissional se atualize, aprofunde seus conhecimentos e passe a entender tudo sobre Odontologia.

Quais carreiras um dentista pode seguir?

É muito raro que um dentista recém-formado consiga, de imediato, montar um consultório, a não ser que isso seja repassado de familiar para familiar. Embora esse seja o sonho da maioria dos futuros dentistas, geralmente os formandos ingressam no mercado de trabalho investindo no setor público, considerado o maior empregador de cirurgiões-dentistas do país.

O profissional também pode iniciar a carreira em hospitais, clínicas odontológicas, postos de saúde, sindicatos, escolas e cooperativas. Outras opções incluem programas do governo, por meio de concursos públicos. Vários são os programas destinados a dentistas, entre os quais se destacam o Saúde da Família, o Brasil Sorridente ou, então, em unidades básicas de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Caso você se torne um profissional autônomo, uma opção é poder dividir o aluguel do consultório com outros colegas, o que contribui para a redução das despesas (condomínio, instalações, luz, água, telefone, equipamentos etc).

Quais são as principais áreas da Odontologia?

Caso você realmente escolha essa carreira, uma das qualidades da Odontologia é o amplo espectro de opções que a profissão lhe destina. Há pelo menos 15 áreas em que é possível desenvolver um trabalho sério e ter a tão almejada satisfação pessoal. E aí? Vamos ver se você se identifica mais com alguma dessas áreas? Entenda cada uma delas, que se apresentam a seguir em ordem alfabética:

Clínica geral

É, sem dúvida, a área mais tradicional da Odontologia, o que não significa que seja uma carreira menor ou menos importante. Pelo contrário: é o clínico que trata dos procedimentos mais primários da Odontologia, como cáries, restauração e extração dos dentes. Cuida também da limpeza bucal e da aplicação de flúor.

Esse profissional analisa radiografias e cuida de patologias mais comuns da língua, bochechas, lábios e gengivas. Seus serviços são solicitados pelo menos uma a duas vezes por ano. O que não falta é trabalho!

Dentística restauradora (estética)

É umas das áreas em alta nos últimos anos, porque lida com a estética dos dentes, além de restaurar o formato da arcada dentária e as funções primordiais dos dentes. Quer clarear os dentes, usar resinas, fazer peeling na gengiva e, consequentemente, ter um sorriso bonito? Contrate esse profissional.

Considerada uma área rentável, já que a maioria dos serviços é feita de forma particular e não está incluída na maioria dos planos de saúde, o profissional tende a faturar mais que em outras áreas.

Baixar ebook

Endodontia

O endodontista trabalha em parceria com o clínico geral, já que, geralmente, é ele quem o indica por para fazer tratamento de canal no paciente, cuidar de alguma infecção na polpa dentária ou na raiz dos dentes, ou, ainda, verificar a necessidade de próteses.

O tratamento de canal exige do especialista certa postura profissional e equilíbrio psicológico, já que muitos pacientes temem sentir dor durante o procedimento.

Estomatologia

É a especialidade que tem a finalidade de prevenir, diagnosticar e tratar doenças da boca e de estruturas anexas (aparelho estomatognástico). Isso inclui os lábios, dentes, a mucosa oral, glândulas salivares, amígdalas palatinas e faríngeas e outras estruturas da orofaringe.

Esse profissional é capaz de detectar patologias como o câncer bucal (estágio inicial), acompanhar pacientes em tratamento oncológico (radiologia e quimioterapia), em tratamento contra vírus, bactérias, fungos, doenças sexualmente transmissíveis, dermatológicas ou quando o paciente apresenta baixa imunidade, desde que as reações sejam manifestadas na região da boca.

Implantodontia

Considerada uma das áreas mais rentáveis da Odontologia, o implantodontista realiza próteses dentárias, implanta pinos onde faltam dentes e faz cirurgias. Geralmente, o custo do tratamento é elevado, já que a reconstituição de um dente é de alta complexidade.

A área é responsável também por reabilitações orais de pequeno, médio e grande porte, totais fixas ou removíveis (dentadura, roach etc.).

Odontogeriatria

É uma área relativamente nova da Odontologia, que enfatiza o cuidado bucal da população idosa. Esse profissional se preocupa em promover a qualidade de vida e o envelhecimento saudável de seus pacientes, seja por meio de procedimentos preventivos, curativos ou paliativos.

O paciente idoso, pela própria idade, geralmente requer uma atenção especial e mais profunda por apresentar, algumas vezes, problemas psicológicos não diretamente ligados ao tratamento dentário, mas que podem afetar o andamento do processo. Podem ser ainda diretamente relacionados com o medo de dentista, muito comum nessa faixa etária.

Odontologia em saúde coletiva

Esse profissional se especializa em saúde bucal coletiva, ou seja, ele pode atuar tanto em empresas com planos de saúde como em cooperativas, ou, ainda, na elaboração e no atendimento a pacientes que participam de programas de assistência social.

Seu principal objetivo é prevenir e, caso não seja possível, reabilitar uma comunidade alvo de uma determinada doença. Por isso, o especialista deve estar em sintonia com as políticas públicas de saúde, com destaque para a saúde bucal.

Odontologia forense (legal)

Assim como a odontogeriatria é uma área relativamente nova, a Odontologia forense ou legal ainda é pouco conhecida, mas concentra diversas finalidades. Esse profissional é apto a realizar exames e perícias judiciais, atestando a identificação de cadáveres a partir da análise da arcada dentária ou elaborando laudos técnicos.

Achou difícil de entender? Vamos a um exemplo prático: suponhamos que houve um acidente e vários corpos foram carbonizados e estão sem identificação. O perito ou dentista forense, a partir da verificação e do estudo da arcada dentária, pode conseguir identificar as vítimas.

Odontologia para pacientes especiais

Essa área demanda do profissional o diagnóstico, a preservação e o tratamento de problemas bucais de pacientes que apresentam determinada complexidade em seu sistema biológico/psicológico/social. Geralmente, esse dentista trabalha transdisciplinarmente, ou seja, com outros profissionais de saúde, visando um diagnóstico mais preciso e o melhor atendimento a esse paciente.

Os problemas odontológicos mais comuns entre os pacientes especiais são as cáries. E as patologias que ele comumente apresenta são distúrbios neuropsicomotores, que podem acarretar problemas de oclusão, o que leva à alteração da região maxilomandibular.

Odontopediatria

A dentição de leite ou decídua é preservada com o suporte do odontopediatra. É ele que cuida da arcada dentária das crianças, contribuindo para a evolução de processos como a fala, a mastigação, especialmente nos primeiros anos de vida, e, consequentemente, para o equilíbrio emocional das crianças.

Muitos profissionais da área costumam dizer que você nasce odontopediatra, assim como o pediatra na medicina. Lidar com crianças é uma tarefa intensa, que exige boas doses de paciência e entendimento dessa faixa etária.

Ortodontia

Os famosos aparelhos ortodônticos são uma especialidade do ortodontista. Muito solicitado entre jovens e adultos, ele corrige a arcada dentária de seus pacientes, cuidando também de distúrbios de crescimento, desenvolvimento e amadurecimento da face.

Além dos equipamentos ortodônticos, o ortodontista pode também realizar a cirurgia ortognática, que tem como objetivo corrigir distúrbios de face e de mordedura. É uma área rentável, com custo médio de manutenção, caso seja necessária a colocação de aparelho.

Periodontia

A saúde das gengivas e dos ossos que sustentam os dentes é de responsabilidade do periodontista, especialista que lida com problemas como placas bacterianas, gengivite e periodontite.

O periodontista cuida da saúde bucal do paciente, seja por meio de raspagens, cirurgias ou outros procedimentos no entorno dos dentes. A gengivite é caracterizada por uma inflamação nas gengivas causadas por placa bacteriana. Quando a doença atinge os ossos dos dentes, é chamada de periodontite.

tudo-sobre-odontologia-o-guia-definitivo.jpg

Prótese dentária

Os dentistas especialistas em prótese dentária são responsáveis por repor dentes perdidos. Eles estão aptos a implantar vários tipos de próteses, entre as quais estão a prótese removível, que substitui um ou mais dentes perdidos de forma parcial ou total. São também conhecidas como pontes móveis ou dentadura e podem ser retiradas para higienização.

As próteses fixas, que se apoiam sobre as raízes dos dentes, são conhecidas como pontes fixas, coroas, jaquetas ou pivots. Há ainda as próteses sobre implantes, fixadas sobre raízes artificiais. Os implantes oferecem maior retenção e estabilidade estética.

Radiologia odontológica

O especialista em radiologia odontológica consegue identificar certas doenças bucais e elaborar planos de tratamento a partir de diagnósticos por imagem, evitando danos muitas vezes irreversíveis aos dentes, ao osso alveolar e aos demais tecidos bucais.

O raio-X é um forte aliado na visualização de lesões na mandíbula e no maxilar, fraturas ósseas, número maior de dentes do que o normal, dentes inclusos ou que ainda não nasceram. Também contribui na confecção de moldes de gesso, verificação de perdas ósseas etc.

Traumatologia e cirurgia bucomaxilofacial

Essa especialidade concentra uma série de traumatismos, anomalias e lesões na boca, na face e no sistema mastigatório, que envolve o maxilar, a mandíbula e a gengiva.

Além de cirurgias, transplantes, implantes e enxertos, o traumatologista estuda o aparecimento de tumores benignos e malignos, cistos nos maxilares, lesões provocadas por vírus, fungos e por doenças como tuberculose, AIDS e sífilis.

O dentista também está apto a fazer manobras de ressuscitação cardiorrespiratória, diagnóstico e tratamento de fraturas faciais, sintomas e medicação aplicada a fraturas.

Onde estão as melhores oportunidades de emprego?

No interior do país, as chances são melhores do que nos grandes centros urbanos, já que existe um desequilíbrio no número de profissionais nas regiões mais e menos populosas. A região Sudeste, por exemplo, concentra quase 60% dos dentistas do território nacional, o que aumenta a concorrência e, consequentemente, a empregabilidade fica menor.

Concursos públicos ainda são um chamariz para muitos profissionais, embora a concorrência também seja acirrada. Clínicas odontológicas são boas alternativas para quem está iniciando a carreira e, para quem tem um grupo de amigos na área, abrir um consultório pode ser uma boa opção. Não deixe de analisar itens como região do país, demanda de pacientes, tipo de prestação de serviços, expectativa de retorno etc.

O que é preciso para ter sucesso na Odontologia?

Nenhum profissional é bem-sucedido somente pela sorte, pelo conhecimento ou apenas pela conjuntura. Há uma série de fatores que fazem com que um especialista seja considerado o melhor naquilo que faz.

Ao longo de uma trajetória profissional, estar no lugar certo e na hora certa conta, mas a construção da carreira começa bem cedo e é similar à construção de um prédio. Primeiramente, há um planejamento, o desenho de uma planta para que o que está no papel passe a ser executado e comece a tomar forma. Só depois é possível visualizar o trabalho pronto, sua estrutura e os detalhes do acabamento.

Aposte em uma boa formação

Ter êxito na Odontologia requer um bom curso de graduação. Também é ideal é ter certeza de que é aquilo que você quer fazer para o resto da vida ou por um longo período dela.

Depois, é mãos à obra mesmo! Não parar, não estacionar. É se atualizar, fazer especialização, quem sabe mestrado, doutorado ou tentar conseguir um emprego que tenha sempre ligação com seus estudos.

Depois de conquistar um emprego com o qual você se identifique, é mostrar serviço, tentando encontrar um diferencial, algo que o destaque dos outros profissionais. Por quê? Porque em um mercado altamente competitivo, só permanece quem apresenta algo a mais.

Nos casos em que for preciso ter habilidade na administração de negócios, uma pós-graduação ou até mesmo um curso rápido de gestão pode auxiliar o profissional a gerir o próprio negócio.

Ter um consultório não é uma tarefa fácil, porque envolve questões como custo-benefício, preço de equipamentos, consultas, despesas como água, luz, condomínio, itens que não existem quando você é empregado e não empregador.

E aí? Que tal tentar vestibular para ser dentista? Gostou deste guia com tudo sobre Odontologia? Mande sugestões e críticas pra gente e curta nossa página no Facebook! Sua participação é sempre muito bem-vinda!

Baixar ebook

Odontologia

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.