Arquitetura e Urbanismo projeto arquitetônico

Tudo sobre arquitetura: um guia completo

Mariana Brito
20-07-2018 7:00

Profissão muito prestigiada, a arquitetura é uma área que reúne técnica e arte para projetar os espaços habitados pelo ser humano. Sabe aquele prédio de tirar o fôlego pelo qual você passa de vez em quando, ou aquele local histórico lindo que você planeja conhecer? Eles são fruto do trabalho desse profissional! E, neste post, você vai ficar sabendo tudo sobre arquitetura!

Por aqui, já podemos adiantar que se trata de uma graduação bastante procurada, por proporcionar boas opções de trabalho, tanto no mercado privado quanto em instituições públicas. Inclusive, os profissionais da área costumam ser bem remunerados.

Diante disso, é natural que haja muita concorrência, por isso, nunca se deve perder de vista a necessidade de se aperfeiçoar e demonstrar competitividade.

Fico interessado pelo assunto? Então, siga a leitura!

 Descubra, aqui, tudo sobre arquitetura

O que é arquitetura?

De um modo bem geral e simplista, a arquitetura é a ciência por trás da projeção e construção de locais que serão ocupados pelas pessoas. O arquiteto é o profissional que pensa o uso de cada lugar, as necessidades impostas por peculiaridade e as possibilidades espaciais para começar a pensar um projeto.

Por isso, ele precisa ser executável, funcional, adequado visualmente e duradouro. Afinal, casas e prédios não são descartáveis, e o autor do projeto precisa levar em conta seu impacto no longo prazo.

Para tanto, a profissão alia as matérias exatas às ciências humanas. Ou seja, é preciso formular o projeto com todos os seus apontamentos técnicos, para que os prédios consigam se manter em pé, possam ser construídos com os materiais disponíveis no mercado, tenham as dimensões exatas para que seres humanos possam ocupá-lo e utilizá-lo.

Enfim,um arquiteto deve conhecer os detalhes que tornam uma construção possível.

Essa parte está ligada ao estudo da técnica de construção e edificação, que envolve cálculos e práticas, uso de softwares e um entendimento geral de como deve ser o projeto. Mas essa é só uma parte da arquitetura.

A outra diz respeito à estética e conceito visual que a obra apresentará. Sim, porque não basta apenas uma casa ser habitável, uma sala comercial ser utilizável, e uma fábrica ter uma arquitetura produtiva. Todos estão inseridos dentro de um cenário maior, e precisam se articular visualmente, ou seja, combinar com aquele espaço.

E, é claro, projetos belos e inclinados às inspirações artísticas são mais valorizados e costumam angariar maior prestígio e reconhecimento aos profissionais. Basta lembrar de Oscar Niemeyer, o arquiteto brasileiro mais reconhecido em todo o planeta, que aliou as técnicas arquitetônicas a projetos arrojados e ousados, que são referência para profissionais de todos os países.

A história da arquitetura

Podemos considerar que a arquitetura existe desde que o primeiro homem quis se proteger dos fenômenos climáticos e construir um lugar para se acolher, já no período da antiguidade.

O primeiro tratado arquitetônico, porém, remonta ao século 1 a.C., e foi escrito pelo romano Marcos Vitrúvio Polião. É dele a categorização da arquitetura utilizada até os dias de hoje, como a ciência que mistura a utilitas (utilidade), venustas (beleza) e firmitas (solidez). Três conceitos que, como já conversamos, devem estar presentes em qualquer projeto arquitetônico.

Na modernidade, podemos aceitar a definição do franco-brasileiro contemporâneo Lúcio Costa. Segundo ele, a arquitetura é a ciência da construção, porém, concebida a partir de um propósito específico: o de ordenar, organizar a utilização de um espaço. Para isso, é preciso ter claro a finalidade, ou seja, o propósito de cada projeto.

baixe grátis

Por que estudar arquitetura?

Entre as coisas que você precisa saber sobre arquitetura, a primeira delas é que o curso é perfeito para quem consegue aliar a criatividade e o senso de criação estética ao pensar técnico, aos cálculos e à visão de projeto para cada obra. No dia a dia desse profissional, os desafios serão sempre nesse sentido: criar com base naquilo que possa ser perfeitamente executado, para resultar em uma edificação duradoura, correta, segura e prática.

Além disso, oferece boas oportunidades de emprego. É possível atuar na iniciativa privada, em alguma empresa construtora, ou no setor público, fazendo projetos e administrando o patrimônio governamental, em todas as esferas de poder ou, ainda, cuidando do planejamento urbano e do plano diretor de um município.

Você também pode atuar de forma autônoma, e criar seu próprio escritório de arquitetura, oferecendo soluções pontuais ou projetos completos para clientes. Há também uma boa demanda por consultorias especializadas, filão a ser preenchido por arquitetos de experiência vasta.

E, mais do que todos esses motivos para fazer arquitetura, ela oferece uma visão de mundo única: a percepção dos espaços, o aproveitamento de cada edificação, a forma como as fachadas se articulam com a paisagem — tudo salta aos olhos de um graduado em arquitetura. Uma simples caminhada para observar os prédios da vizinhança oferece diversos estímulos, inspirações e reflexões.

Quais são as disciplinas do curso de arquitetura?

A grade curricular desse curso tem disciplinas teóricas, geralmente concentradas no início da graduação, e matérias práticas e técnicas, conforme avançam os semestres.

Basicamente, as cadeiras devem estar subdivididas entre grandes áreas do conhecimento arquitetônico: arquitetura de edificações, arquitetura de interiores, urbanismo, paisagismo e restauro. Lembre-se, porém, de que cada instituição de ensino tem suas particularidades, e pode oferecer cadeiras e atividades únicas.

Veja só:

  • Arquitetura de edificações: você vai aprender sobre materiais e técnicas próprios para erguer prédios e imóveis, estudar fachadas ou telhados e coberturas, por exemplo;
  • Arquitetura de interiores: aqui, você aprenderá sobre a disposição interna e a decoração de interiores, aproveitamento de espaço, ergonomia, pisos, esquadrias, iluminação, e todos os aspectos que envolvem a utilização interna de um local;
  • Urbanismo: as disciplinas desta área estão ligadas ao aproveitamento de espaço urbano, e questões como mobilidade, justiça social, gentrificação, vida em comunidade e consumo.
  • Paisagismo: neste ramo, você entenderá a melhor forma de articular as construções com o conjunto paisagístico já existente, para formar uma configuração harmoniosa, que não agrida a cidade e não destoe do que já existe.
  • Restauro é uma das partes mais importantes do curso, porque ensina as técnicas e os fundamentos da reparação de prédios antigos, demanda bastante urgente na nossa sociedade. A possibilidade de restaurar uma edificação prejudicada pela ação do tempo e colocá-la em funcionamento e utilidade para a sociedade é um grande desafio para qualquer arquiteto. Nessa área, você terá tanto o estudo histórico e artístico que envolve o local a ser restaurado, quanto a necessidade de encontrar bons materiais e técnicas apropriadas que permitam a reconstrução de um prédio erguido em outro tempo, a partir de outros saberes.

Não esqueça que as cadeiras contemplarão também matérias da engenharia, como cálculo, materiais e edificações. O aprendizado dos softwares utilizados na elaboração dos projetos também é muito importante. Caso a sua graduação não inclua isso no curso, é importante procurar aprender em alguma extensão ou curso livre.

Como se dar bem durante o curso?

Aproveitar bem todas as oportunidades que a graduação traz faz toda a diferença para a formação de um profissional capaz de se destacar no mercado de trabalho. Portanto, preste atenção nestas dicas para entender melhor como se dar bem durante o curso!

Realizar estágios

Conciliar as atividades da universidade com um estágio pode ser trabalhoso e desafiador, mas, com certeza, recompensa o esforço. Entrar em contato com as práticas do mercado, fazer contato com profissionais, mostrar o seu trabalho e a sua disposição a aprender e se aperfeiçoar são muito úteis para a construção do seu currículo.

E, é claro, pode render um dinheiro extra. Empresas privadas e entidades públicas costumam abrir vagas para estagiários, por isso, convém ficar atento a essas oportunidades.

Aprender a usar os programas de projeto

O AutoCAD é o programa mais utilizado pelos arquitetos para a elaboração de projetos. Mas existem outras opções, assim como ferramentas que auxiliam nesse processo. Se a universidade não oferece, ou abre pouco espaço para aprender a usar essas ferramentas, o estudante deve procurar aprender de forma independente.

O mais adequado é buscar um bom curso livre desses softwares. Também há tutoriais na internet, mais indicados para ter novas ideias de uso dos programas do que para aprender a dominá-los de fato.

Estudar e explorar os conceitos estéticos envolvidos na arquitetura

Pode parecer um detalhe, mas é muito importante. Um bom arquiteto é aquele que tem senso estético aguçado, que consegue pensar em soluções funcionais, mas também interessantes visualmente, e que elabora projetos que se destacam pela beleza e pelo arrojo.

Para isso, é preciso acumular repertório visual, que servirá de referência para trabalhos futuros. Por exemplo, você pode estudar a obra de arquitetos conceituados e revolucionários, e também movimentos artísticos. Até o cinema pode contribuir, com a sua cenografia e construção de cenários que podem ser verdadeiras fontes de inspiração para obras.

Participar de concursos

Há concursos voltados para estudantes em seminários e eventos envolvendo tudo sobre arquitetura no Brasil e no mundo. É legal pesquisar, conhecer e buscar aquele que mais encaixa no seu perfil profissional, e submeter os trabalhos mais interessantes que você elaborar em sala de aula.

Sair da graduação já com prêmios e reconhecimentos de órgãos importantes da arquitetura vai fazer uma boa diferença no seu currículo!

giphy

O que você deve saber para se dar bem na área?

A arquitetura é um mercado competitivo. Para se destacar na profissão, é preciso muito esforço e afinco, projetos impecáveis, contatos certos e bastante trabalho. Por isso, fique de olho nas dicas a seguir e não esqueça de colocá-las em prática quando for a sua vez!

Eleger uma área de atuação

Fica mais fácil se destacar se você foca uma área dentro da arquitetura e se dedica especialmente a ela. É importante descobrir qual o seu forte e trabalhar dentro dessa perspectiva.

Se você tem boas ideias para decoração e design de interiores, então, deve buscar oportunidades na área, elaborar projetos e se dedicar a isso. Caso o seu forte seja urbanismo, o recomendado é voltar-se para os projetos urbanos e a organização das áreas da cidade.

Isso ajuda a criar uma identificação da área em questão com o seu nome e, assim que as oportunidades surgirem, você será lembrado. E não, isso não significa que você não possa aceitar outros projetos diversos da sua área de escolha. Eventualmente, poderá escolhê-los sim, até como forma de mostrar suas diversas competências.

Buscar parcerias com outros profissionais

Tanto arquitetos quanto designers, marceneiros, decoradores, engenheiros, pintores, construtores, entre outros: parcerias com profissionais afins à arquitetura são muito importantes e viabilizam projetos completos e de boa qualidade.

É bom ter profissionais de confiança a quem recorrer. Esses contatos ainda podem viabilizar novas oportunidades, caso você trabalhe de forma independente.

Seguir estudando

Você passou pelos anos de formação universitária, se formou e entrou no mercado de trabalho. É só isso? Claro que não. Em todas as áreas, a qualificação constante, o aperfeiçoamento e a atualização são importantes. E, na arquitetura, isso não é diferente.

Seja um curso livre, de curta duração e em uma área relacionada à arquitetura, seja um mestrado para pesquisar com profundidade aquele tema que mais a interessa você, o importante é não parar de evoluir no aprendizado.

Novas técnicas, materiais e práticas da arquitetura surgem a todo momento. Para se manter por dentro deles, nada melhor do que estar em sala de aula. Os estudos também propiciam novos contatos, seja com professores, seja com outros alunos que, como você, buscam novidades no mercado e na área de arquitetura. Contatos esses que, você sabe, podem render novas indicações para trabalhos legais no futuro.

Viajar

Isso mesmo! Viajar é parte crucial na vida de um arquiteto. Afinal, observando as construções, a organização das cidades e o modo de apropriação dos espaços de outras culturas é que você terá inspirações para criar dentro da sua própria realidade.

Quais são as opções do mercado de trabalho?

Como vimos rapidamente, são diversas possibilidades de atuação para um arquiteto. Aqui, falaremos mais detalhadamente sobre algumas das funções que o profissional pode assumir na sua carreira. Acompanhe!

Criar o próprio estúdio

Profissionais que desejam trabalhar de forma independente, assumindo projetos de seu interesse e criando o próprio regime de trabalho, normalmente, acabam criando o próprio estúdio de arquitetura.

É possível, claro, associar-se a outros colegas, inclusive, de áreas distintas, para que atuem em projetos relacionados. O estúdio pode ter o direcionamento de acordo com a área pretendida — arquitetura predial, industrial, decoração, entre outras —, ou pode aceitar projetos diversos.

No início, pode ser difícil, mas, com o tempo e muito trabalho, bons estúdios ganham reconhecimento e viram referências na área.

Ingressar na carreira pública

Aqui, é preciso primeiramente passar em um concurso público. Para trabalhar com a construção e manutenção de prédios da administração pública, seja municipal, estadual ou federal, é preciso estar integrado ao quadro público funcional.

Mas as atividades não se resumem a isso. Parte muito importante também é o planejamento urbano, que vai criar soluções de trânsito, arquitetura viária, saneamento básico, mobiliário urbano e habitação em uma cidade. E o paisagismo? Um bom planejamento de praças e parques faz toda a diferença em um local, e é trabalho para o arquiteto desenvolver.

Por fim, também vai atuar em projetos de restauro e preservação do patrimônio público, parte fundamental do serviço público.

Partir para a iniciativa privada

O arquiteto contratado de uma empresa, seja ela de arquitetura, seja de outra área que demande o serviço, também terá uma ampla gama de atuação. Elaborar projetos, pesquisar materiais, implementar ações sustentáveis, criar iluminação, organizar e decorar o espaço interno, enfim, são inúmeras as demandas.

Conquistar um emprego no setor industrial

Caso você seja contratado de uma indústria, terá um desafio e tanto pela frente. Projetar espaços que abriguem a área produtiva de uma fábrica demanda muita pesquisa e esforço. Afinal, além de todos os preceitos da arquitetura, ainda é preciso ter em mente a produtividade e a segurança dos trabalhadores do setor.

Investir na arquitetura verde

Este aspecto, na verdade, permeia todas as áreas da arquitetura. Especializar-se em soluções, sejam elas prediais, industriais, urbanas ou paisagísticas, que priorizem o uso sustentável de recursos, o não desperdício e a priorização de materiais orgânicos é uma boa pedida. Mais do que isso, é fundamental para termos um futuro sustentável.

Portanto, pesquisar as formas mais ambientalmente corretas de erguer um imóvel vale a pena, e especializar-se nesse âmbito pode garantir muito trabalho.

giphy

Como ter uma carreira de sucesso na arquitetura?

Já falamos sobre especialização, escolha de uma área e contatos. Mas é importante ter em mente que o mais importante para ter uma carreira de sucesso na arquitetura é criar a própria marca.

Os maiores arquitetos do mundo são aqueles que deixaram um trabalho inconfundível como legado. É claro que pode almejar menos, mas, mesmo assim, deve procurar a sua própria identidade de trabalho, que fará com que todos se lembrem de você ao se depararem com os seus projetos.

E lembre-se também de criar um bom portfólio de projetos de sua autoria e disponibilizá-lo a quem se interessar em trabalhar com você. Com as suas melhores criações reunidas, fica mais fácil se apresentar para possíveis clientes interessados no seu trabalho. Descubra seu estilo e use ele a seu favor, destacando os pontos fortes. Isso demonstra personalidade, fator muito importante no mercado de trabalho.

Não esqueça ainda de estar sempre pronto para desafios, disposto a aprender com os colegas da arquitetura e das demais áreas, interessado nas novidades do mercado. Frequentar eventos nacionais e internacionais da área também ajuda muito nesse ponto. Que tal ser o paradigma das últimas tendências da arquitetura no seu trabalho?

Por fim, nunca é demais lembrar que a excelência na execução dos projetos e a originalidade na concepção de cada detalhe é o que marcará a sua carreira.

Como escolher o melhor curso de arquitetura?

Agora que você já sabe quase tudo sobre arquitetura, é hora de partir em busca de uma universidade, não é? E não, isso não é tão fácil quanto parece. A oferta é gigantesca. São quase 300 cursos, de acordo com a Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo. No meio disso tudo, como encontrar a melhor opção? Preste atenção nas dicas a seguir!

Examine o corpo docente

Nos sites das universidades da sua região, explore a lista de professores. Observe qual oferece mais docentes com boa formação, mestrado e doutorado no mínimo, e em instituições reconhecidas. Não é difícil encontrar professores formados em universidades internacionais. Dê preferência a esses cursos.

Isso é importante porque os professores representam o primeiro contato que você terá com a profissão. Por isso, precisam ser profissionais com muita experiência e conteúdo.

Analise o currículo

O currículo deve contemplar matérias teóricas e práticas, sendo as primeiras mais indicadas para o início do curso. Devem ser bem distribuídas, e oferecer a diversidade de áreas que a arquitetura proporciona.

Fuja de universidades que não oferecerem cadeiras de decoração de interiores, paisagismo, urbanismo, enfim, as subdivisões mais básicas da área. Um profissional não pode sair da graduação sem saber isso.

Observe as atividades extras

O curso oferece cadeiras eletivas, que você pode escolher de acordo com o seu interesse? Há estágios internos, para trabalhar em laboratório, e monitorias, dentro da própria universidade? Além disso, há projetos de iniciação científica, junto a professores pesquisadores, em que os alunos podem participar das investigações? Questione tudo isso junto à universidade de interesse!

Tão importante quanto o conteúdo em sala de aula, as atividades extras são fundamentais para direcionar a sua carreira quando sair do curso de arquitetura e urbanismo, e também para proporcionar experiências diversas e moldar o seu currículo desde cedo.

Lembre-se das formas de ingresso

Por fim, não deixe de prestar atenção na forma de ingresso do curso que você vai escolher. Se será por vestibular, por Enem ou por processo extravestibular — caso você já tenha uma graduação ou queira trocar de curso, é um detalhe muito importante para a definição do curso a ser escolhido.

Como você notou, a arquitetura é uma carreira cheia de oportunidades, perfeita para quem consegue aliar a visão prática com a criação artística. Oferece boas chances de trabalho se você se esforçar, encontrar a sua área de interesse e maior competência, trabalhando duro para se destacar.

É importante nunca perder de vista que se aperfeiçoar é fundamental.

Por isso, e agora que você já sabe tudo sobre arquitetura, que tal curtir a nossa página no Facebook, e conferir as atualizações dos posts que falam sobre cursos e dicas de carreira?

Acompanhe-nos por lá!

clique aqui e faça o download

 

 

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos