BLOG DA GRADUAÇÃO

Temas de redação do Enem: conceito de família no século XXI e corrupção

Em novembro, muitos estudantes vão fazer a prova mais esperada do ano: o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Sua nota é usada no processo seletivo das principais universidades privadas e públicas do país, além dos programas governamentais de financiamento e custeio da educação. Não é à toa que os alunos querem alcançar um ótimo resultado nesse exame.

Entre as provas que constituem o Enem, sabemos que a mais temida é a redação. Por isso, para ajudá-lo a se preparar para essa avaliação tão importante, fizemos uma série para falar sobre os temas que podem ser cobrados esse ano!

Neste post, começaremos pelo “conceito de família no século XXI” e “corrupção”. Então, se você quer se garantir para o exame continue lendo e confira estes possíveis temas de redação do Enem!

serie-temas-de-redacao-do-enem-parte-1.jpg

Conceito de família no século XXI

O que é família? Existe uma definição correta para essa palavra? Pensando nisso, a ideia de família, considerando os pais biológicos e seus descendentes, pode ser a primeira coisa a vir na sua cabeça.

Em 2013, esse tema ganhou destaque com o Estatuto da Família (Projeto de Lei 6.583/2013) de autoria do então deputado Anderson Ferreira. Nesse projeto, a família é definida como núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.

A proposta foi feita para garantir a proteção da família pelo Estado, como apresentado no Art. 226 da Constituição de 1988. Entretanto, esse estatuto pode retirar o direito de milhões de brasileiros que não se enquadram nesse conceito tradicional.

Com o passar do tempo, sabemos que surgiram novos arranjos familiares. Hoje, a família contemporânea pode ser composta por um relacionamento:

  • Tradicional: homem e mulher, com/sem filhos (casamento ou união estável);
  • Homoafetivo: duas pessoas do mesmo sexo;
  • Anaparental: inexistência da figura dos pais (crianças criadas por outros parentes, ou por duas amigas que decidem compartilhar a velhice morando juntas, por exemplo);
  • Monoparental: apenas um dos pais é o responsável pela criação do filho;
  • Mosaico ou pluriparental: quando o casal ou um dos dois têm filhos de um casamento ou relação anterior;
  • Poliafetiva: quando três ou mais pessoas relacionam-se de maneira simultânea, e todos os envolvidos estão cientes da situação;
  • Eudomista: aquele que busca a felicidade individual.

New Call-to-action

Como você pode ter percebido, existem várias configurações para a unidade familiar. E você ainda deve considerar as adoções por pessoas solteiras e por casais homoafetivos, além da guarda compartilhada por pais separados.

Todos esses assuntos têm gerado muitas discussões na mídia e, por isso, podem ser o tema da redação do Enem. Portanto, tenha em mente que, no século XXI, o conceito de família permanece em construção e deve acompanhar as mudanças socioculturais.

Vejamos, abaixo, alguns dados do IBGE para você ficar por dentro do assunto:

  • Ocorrência de famílias monoparentais femininas: 15,3% em 2000 e 16,2% em 2010.
  • Ocorrência de famílias monoparentais masculinas: 1,9% em 2000 e 2,4% em 2010.
  • Casais sem filhos: 14,9% em 2000 e 20,2% em 2010.
  • Famílias reconstituídas (em que os filhos podem ser apenas de um dos cônjuges): 16,3% em 2010.

Diante de tudo isso, vê-se que, apesar de estar de acordo com a Constituição de 1988, o Estatuto da Família vai contra o Supremo Tribunal Federal que, em 2011, reconheceu por unanimidade a união entre pessoas do mesmo sexo como família.

Depois dessa decisão, em 2013, o Conselho Nacional de Justiça regulamentou o casamento homoafetivo no país. Já em 2014, o IBGE contabilizou 4.854 casamentos de pessoas do mesmo sexo.

Por fim: na hora do exame, seja qual for o seu ponto defendido, não se esqueça de que é fundamental ter cuidado com os dogmas religiosos e com linhas de pensamento que desprezem ou desrespeitem os direitos humanos.

serie-temas-de-redacao-do-enem-parte-1.gif

Corrupção

O ano de 2016 foi marcado por inúmeras denúncias de corrupção e pelo impeachment de Dilma Rousseff. Mas a crise na política brasileira não parou por aí! 2017 está tão turbulento quanto o ano anterior. Por isso, esse tema pode cair na redação do Enem.

Em 2014, a operação Lava Jato surgiu como a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro na história do Brasil. Estima-se que o desvio de recursos dos cofres da Petrobras esteja na casa de bilhões de reais!

O esquema durava mais de 10 anos e envolvia empreiteiras, funcionários da estatal, operadores financeiros e agentes políticos. A corrupção nacional é tão grande que, desde março de 2014, já foram deflagradas 41 fases dessa operação da polícia federal.

O resultado nas contas públicas foi um desequilíbrio no país, aumentando inflação, recessão e desemprego.

Diante de tudo isso, você deve ficar atento ao processo de impeachment da ex-presidente, que ganhou destaque no noticiário nacional e internacional. Na época, ocorreram diversas manifestações contra a corrupção, e tantas outras em favor da ex-presidente.

Ela foi acusada por crime de responsabilidade fiscal, e o processo de sua retirada do poder durou 9 meses, efetivando o Vice-presidente Michel Temer como Presidente da República. Aliás, é interessante lembrar que esse episódio de impeachment não foi o único a ocorrer no Brasil.

Em 1992, Fernando Collor de Melo — então presidente do país — também teve o seu mandato cassado devido a fraudes financeiras.

Naquele momento, com as denúncias de corrupção, surgiu o movimento dos caras-pintadas, cujo objetivo era remover Collor do poder. E esse movimento tinha bastante força, ganhando representatividade na história política nacional.

Mas não pense que a corrupção no nosso país surgiu nas últimas décadas! Desde a chegada dos portugueses no território brasileiro, pode-se notar alguns indícios de ações desonestas, como um pedido de favor político que Pero Vaz de Caminha fez ao D. Manuel I, rei de Portugal na época, por meio de uma carta.

É importante destacar, portanto, que a corrupção não se restringe somente aos aspectos políticos e financeiros — ela está presente no nosso dia a dia.

Ações como falsificar carteira de estudante, furar fila, roubar o sinal da TV a cabo do vizinho ou dar dinheiro ao guarda para evitar a multa de trânsito demonstram como a cultura do “jeitinho brasileiro” é corrupta.

Então, para continuar sua preparação sobre esse tema, fique de olho nos jornais, revistas e sites de notícias! E estude também os momentos históricos do passado que podem ser relacionados com a atual crise política do Brasil.

E então, gostou desses possíveis temas de redação do Enem? Agora é com você: treine redações sobre o conceito de família no século XXI e sobre a corrupção! E aproveite para curtir a nossa página no Facebook e continuar por dentro dos outros temas dessa série!

New Call-to-action

ENEM

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.