Medicina

Quero fazer Medicina, mas não tenho como pagar. O que fazer?

Mariana Brito
04-01-2017 5:05

Ingressar em uma faculdade é um passo fundamental para uma vida profissional de sucesso. Não é à toa que a escolha da instituição de ensino passa por diversos critérios, como a oferta de cursos, infraestrutura e ambientes de prática da profissão escolhida.

Por isso, a sua preparação precisa ser constante, especialmente quando você escolhe fazer Medicina, que é um dos cursos mais concorridos, seja em universidades públicas ou privadas.

Para quem pretende estudar em uma faculdade particular, as preocupações e dúvidas aumentam, principalmente quando envolvem os custos com as mensalidades que podem pesar no bolso da família.

Por esse motivo, trouxemos formas eficazes de financiamento e bolsas disponíveis atualmente que podem lhe ajudar a garantir sua vaga e lhe auxiliar com suas despesas acadêmicas. "Quero fazer Medicina, mas não tenho como pagar". Se essa questão passa pela sua cabeça, esse texto é para você. Confira!

quero-fazer-medicina-mas-nao-tenho-como-pagar-o-que-fazer.jpg

ProUni

O ProUni, Programa Universidade para Todos, foi criado pelo Ministério da Educação em 2005 e concede bolsas de estudo integrais ou parciais para cursos de graduação e sequenciais em diversas instituições particulares de ensino superior do país. O programa acontece duas vezes por ano, sendo uma no primeiro semestre e outra no segundo.

Cada tipo de bolsa se destina a um perfil de estudante. Por exemplo, a integral é para aquele que tem renda familiar, por pessoa, de até 1 salário mínimo e meio. Já a parcial, isto é, de 50% da mensalidade, tem como perfil o estudante com renda familiar, por pessoa, de até 3 salários mínimos.

Para concorrer a elas é preciso ter realizado o Enem e obtido nota mínima de 450 pontos e não ter zerado a redação. As inscrições são realizadas exclusivamente pelo site e é preciso informar CPF e data de nascimento.

Em seguida, o sistema verifica se há registro de participação no Enem. Em caso positivo, você informará um e-mail válido para o link de ativação do cadastro. O próximo passo é acessar a página de inscrição e informar seus dados.

Ao se cadastrar o estudante escolhe, por ordem de prioridade, até duas opções de curso do seu interesse nos quais concorrerá pela bolsa. Caso haja mais alunos do que vaga, o ProUni selecionará os estudantes mais bem classificados por modalidade de concorrência baseando-se nas suas notas do Enem.

É vetada a inscrição de quem já possui diploma de curso superior. Além disso, há outros requisitos exigidos pelo programa, como: ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em escola particular, desde que com bolsa integral da mesma.

Acessar material!

FIES

Outra opção para quem deseja cursar Medicina é o Programa de Financiamento Estudantil, ou FIES, é um financiamento voltado para estudantes que foi criado pelo Governo Federal em 1999 e hoje o seu Agente Operador é o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O processo seletivo é realizado duas vezes ao ano e as inscrições são feitas online. Ele exige que o estudante tenha feito o Enem e alcançado média superior a 450 sem ter zerado a redação. Além disso, ele deve comprovar que a renda familiar não excede 2,5 salários mínimos e contar com fiador.

Contudo, no atual cenário do ensino superior, muitas instituições não aderem mais a esse tipo de financiamento. Além disso, cada vez mais os estudantes buscam alternativas menos burocráticas e mais ágeis que lhes permitam realizar o sonho de cursar Medicina, como os financiamentos privados.

Outras bolsas para fazer Medicina

Além das possibilidades já listadas, há inúmeras instituições de ensino que possuem seus próprios programas de bolsas de estudo e também oferecem descontos especiais. Os contemplados vão, desde estudantes com bom desempenho no processo seletivo, até alunos de baixa renda.

Em algumas faculdades, familiares e funcionários também são incluídos na lista de aptos à bolsa ou ao desconto. Muitas empresas, especialmente as de grande porte, contam com programas de incentivo à qualificação dos seus colaboradores e oferecem bolsas parciais ou integrais a eles em universidades conveniadas.

O CNPq, Conselho Nacional de Conhecimento Científico e Tecnológico, também pode ser uma opção. Ele conta com programas em diversas instituições de ensino superior do país que ofertam bolsas de iniciação científica para alunos de graduação, colocando-os em contato com determinadas linhas de pesquisa — no caso da Medicina, a clínica e a laboratorial. Contudo, para concorrer a ela já é preciso estar matriculado.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre as possibilidades de bolsa e de financiamento estudantil disponíveis, o próximo passo é decidir qual delas se encaixa melhor na sua situação. Assim, você ingressará na faculdade, poderá fazer Medicina e garantir um futuro profissional ímpar.

E se você gostou do nosso post, curta a nossa página do Facebook e aproveite para ficar por dentro de tudo o que você precisa saber sobre a graduação!

Baixe grátis o seu e-book!

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos