BLOG DA GRADUAÇÃO

Qual o perfil do profissional de Fisioterapia?

Postado por Maria Elma

O profissional de fisioterapia precisa estar apto a desempenhar funções diversas, que englobam a produção de laudos, capacidade de estruturação e execução de trabalhos de pesquisas acadêmicas e habilidades de gestão.

O fisioterapeuta pode atuar como profissional liberal, desde que possua a formação adequada e esteja devidamente registrado. Mas quais as habilidades necessárias para entrar neste mercado?

Se você quer saber mais sobre o curso, continue a leitura do nosso artigo. Nele, listamos alguns dos principais deveres e competências de um fisioterapeuta, assim como algumas práticas vedadas a essa profissão. Confira!

qual-e-o-perfil-do-profissional-de-fisioterapia.jpg

Formação de um profissional de fisioterapia

O fisioterapeuta precisa ter formação acadêmica na área e poderá exercer a sua função após obter o diploma. A antiga profissão de auxiliar de fisioterapia foi extinta anos atrás, de forma que atuar dessa forma consiste em exercício indevido da profissão.

Para poder atender, tanto no setor público quanto privado, o profissional deve estar registrado no Conselho Regional de Fisioterapia e manter-se em dia com o pagamento de tributos. A formação acadêmica baseada em conhecimentos práticos e teóricos no âmbito da fisioterapia exige:

  • Formação crítica, reflexiva e humana.
  • Capacidade de atuar em diversos níveis de atenção à saúde humana.
  • Embasamento no rigor científico e intelectual.
  • Respeito aos princípios éticos, bioéticos e culturais, tanto no âmbito individual quanto coletivo.
  • Condições de estudar o ser humano, suas capacidades e formas de expressar-se nas esferas patológicas, cinético funcional, psíquicas e orgânicas.
  • Compromisso de conservar, estruturar e recuperar a integridade de partes do organismo, desde a elaboração do diagnóstico físico e funcional, até a escolha das técnicas mais adequadas para cada tratamento.
  • Capacidade de elaborar os diagnósticos e prognósticos dos pacientes.
  • Planejar estratégias de intervenção fisioterápicas.
  • Induzir os métodos e técnicas.
  • Capacidade de decidir o momento de conceder alta.
  • Atuar de forma interdisciplinar em diversos âmbitos da profissão na promoção da saúde.
  • Considerar o contexto social, político, econômico, biológico e ético do paciente.
  • Elaborar criticamente o diagnóstico e a intervenção da fisioterapia.
  • Considerar o quadro geral de questões éticas e científicas em cada caso.
  • Capacidade de atuar nas diversas áreas onde o seu trabalho se faz necessário.
  • Desempenhar atividades de planejamento, organização e gestão de serviços de saúde públicos ou privados.
  • Assessorar e prestar consultoria para empresas.
  • Ter domínio dos recursos tecnológicos da sua área de atuação.
  • Conhecimento sobre métodos e técnicas de pesquisa e composição de trabalhos acadêmicos.

Outras responsabilidades de um fisioterapeuta

Para fazer uma atuação mais completa e ter um diferencial, o fisioterapeuta precisa dispor ainda de habilidades como:

  • Interpretar exames.
  • Organizar o processo terapêutico.
  • Reavaliar os pacientes sistematicamente.
  • Qualificar e quantificar técnicas terapêuticas.
  • Emitir relatórios, pareceres, laudos e atestados.
  • Planejar atividades de socialização como palestras e conferências.
  • Planejar, organizar e gerir serviços no âmbito público e privado.
  • Trabalhar de forma eficiente em grupos compostos por profissionais da saúde oriundos de diferentes subáreas.
  • Comunicar-se de maneira adequada.
  • Manter postura ética e profissional.
  • Acompanhar o desenvolvimento tecnológico em sua área de atuação.
  • Relacionar conhecimentos de diferentes áreas para auxiliar o indivíduo como um todo.

Baixar ebook

Práticas vedadas à profissão de fisioterapeuta

Além das práticas indispensáveis para um profissional de fisioterapia, existem aquelas que são proibidas dentro dessa profissão. Entre as principais:

  • Receitar medicamentos.
  • Atuar profissionalmente sem registro no Conselho.
  • Realizar diagnósticos clínicos.
  • Realizar consultas por outro meio que não pessoalmente.
  • Divulgar fotos e dados de um paciente sem sua prévia autorização por escrito.
  • Atuar como auxiliar de fisioterapia.
  • Oferecer tratamentos em sites de venda coletiva.
  • Deixar de prestar socorro inicial em casos de necessidade.

Possíveis sub-ramos e espaços de atuação da fisioterapia

Depois de formado e registrado no conselho de fisioterapeutas, o profissional de fisioterapia poderá atuar em diversos espaços onde seu trabalho é requerido, como hospitais, escolas e atendimento domiciliar aos pacientes.

Além do mais, o fisioterapeuta deve aprofundar-se em uma determinada área, além da formação geral, por meio de pesquisa acadêmica, desenvolvimento de teses e cursos de especialização. Abaixo listamos as principais subáreas da área de fisioterapia, assim como os espaços de atuação profissional possíveis!

Especialidades

Para especializar-se em determinada área de atuação, o fisioterapeuta deve realizar cursos de especialização devidamente reconhecidos pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) para aprofundamento do seu conhecimento prático e teórico.

  • Fisioterapia Uro-gineco-obstétrica: profissional apto a cuidar do tratamento de pacientes com disfunções no sistema reprodutivo. Existem cursos de pós-graduação lato sensu que formam esse tipo de profissional.
  • Fisioterapia geriátrica: profissional especializado em lidar com questões relacionadas à saúde de pacientes da terceira idade.
  • Fisioterapia Neurofuncional: área que se dedica a tratar de disfunções do sistema nervoso central e periférico.
  • Fisioterapia Traumato-Ortopédica: consiste no ramo mais popular da fisioterapia, pois trata da recuperação, prevenção e restauração da saúde de pacientes com disfunções ortopédicas.
  • Fisioterapia Dermato-funcional: modalidade que atua no tratamento de disfunções do sistema endócrino dos pacientes.
  • Fisioterapia Desportiva: modalidade que se ocupa do tratamento, conservação e recuperação de atletas amadores e profissionais. Também pode atuar no preparo do condicionamento físico dos atletas ou demais pacientes que desejem se dedicar a prática de um esporte.
  • Terapia Manual: implica em uma subárea da fisioterapia que cuida da avaliação das condições do paciente e realização de diagnósticos físicos, por meio do reconhecimento das lesões que estão incomodando o paciente.

Instituições

O trabalho de um fisioterapeuta é requerido em diversos espaços sociais e são diversas as instituições que contratam seus serviços.

  • Hospitais;
  • Ambulatórios;
  • Enfermarias;
  • Centro de Terapia Intensiva (CTI);
  • Escolas;
  • Clubes;
  • Academias;
  • Clínicas de estética.

Sobre o piso salarial, de acordo com os resultados de pesquisas divulgados pelo Ministério do Trabalho, por meio do CBO — Código Brasileiro de Ocupações — na tabela do ano de 2016, o salário médio de um fisioterapeuta, em início de carreira, é de aproximadamente R$2.300.

Um fisioterapeuta, portanto, precisa conhecer suas obrigações, assim como as práticas que não são permitidas no exercício de sua profissão. O fisioterapeuta deve ter domínio não apenas das técnicas e teorias, mas também mostrar-se capaz de desenvolver estudos que continuam com a expansão desse campo do conhecimento científico, além de planejar estratégias de propagar a importância da intervenção fisioterapêutica.

E então, gostou do post sobre o profissional de fisioterapia? Para ficar por dentro de nossas publicações, curta a nossa página no Facebook! Até a próxima!

Baixar ebook

Fisioterapia

Maria Elma

Maria Elma

Fisioterapeuta. Mestre e Doutora em Modelos de Decisão e Saúde pela UFPB. Possui experiência em Consultora em Metodologia Científica e Bioestatística. Considera-se uma pessoa otimista, alegre e que nunca desiste de realizar os meus sonhos.

MAIS LIDOS