BLOG DA GRADUAÇÃO

O que se estuda em fisioterapia? Entenda a grade curricular

A fisioterapia é a ciência da saúde que estuda e promove o restabelecimento, manutenção e promoção da saúde humana, por meio da compreensão dos nossos movimentos.  Entretanto, apesar de ser um curso bastante difundido pelas faculdades e universidades do Brasil, muitas pessoas têm dúvidas sobre o que se estuda em fisioterapia.

Antes de prestar vestibular, é necessário avaliar alguns pontos do curso de fisioterapia, tais como o íntimo contato com pessoas, bem como o gosto por cuidar do próximo e zelar pelo bem-estar das pessoas que serão atendidas.

Agora, se você quer saber o que esse profissional precisa estudar para obter seu diploma, acompanhe o nosso post, pois detalharemos tudinho para você. Confira!

o-que-se-estuda-em-fisioterapia-entenda-a-grade-curricular.jpg

O que se estuda em Fisioterapia?

Separamos as matérias que compõem a grade curricular do curso de fisioterapia da maioria das faculdades e universidade brasileiras em grandes grupos, os quais apresentaremos a vocês a seguir. Veja só:

Biologia

A fisioterapia é uma ciência do campo das biológicas. Por isso, o estudo de áreas da biologia com certeza estará na sua grade curricular logo nos primeiros semestres.

Citologia, bioquímica, biossegurança, biologia molecular, biologia tecidual e biomecânica são alguns exemplos das matérias que você deverá estudar e que serão essenciais para entender as minúcias do corpo humano.

Anatomia e Fisiologia

O fisioterapeuta é um estudioso do corpo humano, logo, as matérias de anatomia e fisiologia também estarão presentes nas aulas que você terá na faculdade de fisioterapia.

A anatomia é o campo das ciências biológicas responsável por estudar a forma e a estrutura que o organismo humano possui. Ou seja, o aluno de fisioterapia estudará detalhadamente os sistemas, órgãos e tecidos que constituem o corpo do homem, atentando-se às suas características e particularidades.

A fisiologia, por sua vez, é um ramo da biologia complementar à anatomia. Se a primeira estuda a forma, a segunda estudará o funcionamento e as atividades que são desenvolvidas por cada uma das estruturas do organismo. Desse modo, a fisiologia estuda como se dá os processos químicos e físicos necessários à manutenção da vida.

Patologia

O fisioterapeuta é um profissional que atuará junto às pessoas que apresentam algum tipo de doença ou problema em seu organismo. Dessa forma, os estudos patológicos também fazem parte da grade curricular desse tipo de profissional.

A patologia estuda os conceitos de doença, bem como as formas e os mecanismos que as mesmas evoluem. Analisando os tecidos e os órgãos do corpo humano, visa-se realizar diagnósticos de doenças e tratá-las da melhor forma possível.

Farmacologia

Como o fisioterapeuta não possui formação médica, ele não pode receitar medicamentos aos seus pacientes. Mesmo assim, noções de farmacologia básica com certeza estarão presentes na grade curricular de quem está se formando nessa profissão.

Isso porque a compreensão da farmacologia como ciência contribui para as atividades assistenciais, educacionais e na qualidade de vida das pessoas que recorrem ao fisioterapeuta.

Sociedade e Cidadania

Os estudos do corpo humano estarão em peso na sua grade curricular, porém é claro que eles não serão os únicos que comporão os seus estudos dentro do curso de fisioterapia.

Afinal, o fisioterapeuta também precisa ter uma formação humanística e atenta ao panorama da saúde brasileira. Assim, as ações e os serviços de saúde do nosso país, bem como os inúmeros problemas que ele possui também serão estudados.

Além disso, o profissional também deve estar apto para adequar e solucionar da melhor maneira possível os problemas que aparecerem, assim como destacar os modelos de saúde que são exemplares e de excelência.

Baixar ebook

Ética

Algumas profissões são de grande responsabilidade e, por isso, exigem que o profissional sempre aja com respeito, compromisso e, é claro, de maneira sempre ética.

Tendo isso em mente, a ética profissional estará presente nos estudos de quem deseja se tornar um fisioterapeuta, servindo de alicerce para um comportamento profissional adequado.

Casos específicos

A faculdade de fisioterapia tem que oferecer ao aluno uma visão ampla e abrangente do campo que o profissional formado poderá atuar. Sendo assim, os cursos de fisioterapia oferecerão os estudos de casos específicos, os quais, dependendo da faculdade, podem vir como matérias obrigatórias ou optativas.

Alguns exemplos são:

  • Fisioterapia na saúde da mulher;
  • Fisioterapia na saúde da terceira Idade;
  • Fisioterapia em ortopedia e traumatologia;
  • Fisioterapia preventiva;
  • Fisioterapia na atenção primária à saúde;
  • Fisioterapia em neurologia;
  • Fisioterapia dermatológica;
  • Fisioterapia pediátrica;
  • Fisioterapia cardiológica;
  • Fisioterapia respiratória;
  • Fisioterapia reumatológica.

Como podemos perceber, o campo da fisioterapia é muito amplo e, tendo contato com todas essas áreas, o estudante pode averiguar quais são as que mais o interessam. Assim, o aluno poderá se especializar e se dedicar mais ao estudo de um determinado ramo, a fim de trabalhar ou pesquisar nessa área depois de sua formação.

Onde o profissional de Fisioterapia pode trabalhar?

Até agora, vimos o que o profissional da fisioterapia estuda e quais são as implicações que as matérias terão no mercado de trabalho. Mas, afinal, no que o profissional formado em fisioterapia pode trabalhar? As áreas de atuação do fisioterapeuta no mercado são muitas, vejamos:

Fisioterapia esportiva

O profissional atua na prevenção e reabilitação de lesões nos atletas e nos praticantes de atividades esportivas.

Fisioterapia ortopédica e traumatológica

O fisioterapeuta auxilia na recuperação dos movimentos e na redução das dores dos pacientes com traumas, fraturas ou luxações. Além disso, ele também previne e reabilita lesões das articulações causadas por posturas incorretas ou esforços repetitivos.

Fisioterapia pediátrica

O fisioterapeuta pediátrico ajuda na reabilitação de pacientes que sejam portadores de doenças ou síndromes (como Síndrome de Down e paralisia cerebral, por exemplo).

Fisioterapia dermatológica

O fisioterapeuta também pode auxiliar na recuperação de queimaduras e cortes cirúrgicos. Através da aplicação de massagens e aparelhos a laser, as lesões podem ser tratadas e cicatrizadas por esse profissional.

Fisioterapia cardiológica e respiratória

O fisioterapeuta que atua nessa área auxilia os pacientes que vão realizar ou já realizaram uma cirurgia. Além disso, eles também podem ajudar a tratar e a prevenir doenças cardíacas e respiratórias, por meio de técnicas e exercícios que ajudarão os pacientes a se reabilitar.

Essas são algumas das áreas em que o profissional que se forma em fisioterapia pode atuar. É claro que existem muitas outras, visto que as possibilidades são muitas e cada vez mais surgem novos tratamentos e técnicas nas quais o fisioterapeuta pode se especializar e atuar.

Com todas essas informações, com certeza ficou mais fácil entender o que se estuda em fisioterapia, bem como onde se pode trabalhar depois de formado. Não se esqueça de que cada curso de fisioterapia possui um foco e as matérias que serão abordadas podem variar de curso para curso. Por isso, escolha a faculdade ou universidade que mais se ajuste aos seus objetivos e aspirações.

Gostou do nosso texto? Você já sabia o que se estuda em fisioterapia? Por que não curte a nossa página do Facebook para ficar por dentro de todo o nosso conteúdo?

Baixar ebook

Fisioterapia

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.