Direito

Entenda como é a rotina de um estudante de direito

Mariana Brito
28-02-2018 6:49

Você escolheu uma das profissões mais prestigiadas da sociedade: vai ser advogado! Ótima decisão. Essa é uma carreira que pode render muito reconhecimento, além, é claro, de ganhos significativos. Portanto, prepare-se: hoje você vai saber tudo sobre como é a rotina de um estudante de direito!

Estudos, livros, audiências, visitas técnicas, estágios e mais um pouquinho de estudos. Essas serão as palavras de ordem por aproximadamente dez semestres que virão pela frente.

A boa notícia é que os estudantes que mais se destacam são aqueles que chegam mais longe na profissão, isso porque o sucesso está proporcionalmente ligado ao seu desempenho. Por isso, entenda melhor como será a sua rotina e veja as dicas que preparamos para você neste post!

entenda-como-e-a-rotina-de-um-estudante-de-direito-1.jpg

A rotina de estudos é intensa

As leis brasileiras são numerosas, e suas aplicações corretas podem ser bastante complexas. Além disso, elas estão em constante mudança: neste exato momento, é possível que alguma nova legislação esteja em discussão no legislativo, que vai mudar todos os preceitos estabelecidos até o momento.

É claro que o estudante não precisa ter na ponta da língua todo o vade mecum.  Mas é preciso saber que acumular o máximo possível de informações e dados sobre os códigos brasileiros fará o exercício da profissão mais qualificado.

Isso significa o quê? Que a leitura será uma constante ao longo do curso de direito. Além dos códigos, o estudante também precisará ler diversas teorias que versam sobre o tema para aumentar o repertório e embasar as práticas.

O bom advogado é aquele que cultiva bons hábitos de leitura, com o objetivo de manter-se sempre atualizado e coerente no exercício da profissão.  E já no curso de graduação, este costume será estimulado, já que o Direito é uma das áreas de formação com maior carga de leitura.

As aulas são expositivas, repletas de carga teórica. Também há atividades práticas, como visitas (das quais falaremos logo mais) e simulações de júris e sessões judiciais. Sim, algumas das universidades promovem Tribunais de Júri fictícios, para que os estudantes possam exercitar o rito previsto pela lei, entender as fases de cada processo e testar sua retórica.

Atividades extras, como palestras, cursos de apoio e bolsas de iniciação científica não devem ser menosprezadas. Afinal, elas agregam conteúdos que o currículo pode não contemplar de forma aprofundada. Inclusive, tais atividades podem mostrar um ramo do direito interessante que você talvez não exercite ao longo do curso.

Baixar infográfico

 

A importância de ler periódicos e notícias

Não são só os livros de conteúdos teóricos e leis que entrarão na rotina do futuro advogado. A leitura de muitos periódicos da área, como artigos e projetos de pesquisa em voga, também serão requeridas.

Neles, o estudante da faculdade de direito encontrará reflexões e debates atuais sobre as aplicações da lei, a hermenêutica jurídica, as lacunas da legislação... Enfim, o cenário completo — e complexo — da área.

Essa prática pode parecer menos importante, principalmente se você não pretende seguir a carreira acadêmica, mas não é: um profissional atualizado encontra muito mais chances de boa colocação no mercado.

Identificar as áreas de interesse também é relevante

Na faculdade de direito, você vai entrar em contato com todas as áreas do direito: tributária, penal, civil, trabalhista, constitucional, administrativo, e assim por diante. Já como advogado, precisará escolher qual, ou quais, seguirá para trilhar sua carreira.

Identificar qual é a melhor área para você, aquela mais afinada com a sua personalidade, interesses e objetivos profissionais, também é uma tarefa a ser desenvolvida ao longo da universidade.

Estágios são o pontapé inicial para uma carreira brilhante

entenda-como-e-a-rotina-de-um-estudante-de-direito-1.gif

Uma atividade que é fundamental na rotina de um estudante é o estágio. Quanto mais cedo você entrar em contato com a prática do mercado, melhor será a sua preparação para ser bem-sucedido após formado. Além disso, mais qualificado será o seu currículo.

Seja em um fórum, empresa, entidade pública ou escritório, o importante é acumular experiência. Conciliar estudos com trabalho pode parecer muito difícil — penoso até —, mas acredite: vai fazer a diferença no futuro.

Como estagiário, o estudante vai ver de perto como se dá a aplicação da lei, e poderá atuar em tarefas de assistente, dependendo da instituição em que for contratado. Isso garante uma visão prática da profissão ainda durante a graduação, o que faz com que você chegue ao mercado de trabalho com uma preparação prévia e noções apuradas sobre o que é o direito.

Visitas a tribunais, delegacias e até presídios também são relevantes

Parte muito importante do curso de direito é a programação de atividades extras, fora da universidade. Visitar tribunais, fóruns, escritórios de advocacia e, também, delegacias, presídios e assembleias legislativas é uma parte fundamental da formação do futuro advogado.

Quando chegar a sua vez, não se sinta acanhado de tirar todas as suas dúvidas, de trocar ideia com os profissionais que encontrar e de observar bem o funcionamento destes locais. Outros tipos de atividade, como júris simulados, também são importantes e devem fazer parte do currículo das melhores universidades.

E não esqueça: a prova da OAB vai chegar!

Você já deve saber que precisa ser aprovado na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para exercer o direito, caso esta seja a sua intenção. E provavelmente já sabe também que trata-se de uma prova exigente, composta de duas fases e que demanda conhecimentos teóricos e fundamentação prática para que a aprovação seja conquistada.

Por isso, os estudantes que iniciam sua preparação para o exame da ordem conquistam melhores resultados! Cairão na prova muitos temas abordados em sala de aula, mas é importante reforçar o estudo de conteúdos relacionados aos direitos humanos, e também conhecer o Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil, o Regimento Geral e o Código de Ética e Disciplina. Esses são os conteúdos exigidos na primeira fase da prova.

Já a segunda fase contempla a prova prático-profissional, na qual o candidato deverá demonstrar seus conhecimentos em uma área específica, escolhida previamente, na elaboração de uma redação relacionada a uma peça processual.

Agora que você sabe como é a rotina de um estudante de direito, que tal ler mais dicas sobre a profissão? Curta a nossa página no Facebook e não perca uma atualização do blog do Unipê!

Baixar infográfico

 

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos