BLOG DA GRADUAÇÃO

É possível fazer intercâmbio no curso de Direito?

A resposta para a pergunta do título é simples: não só é possível, como recomendado fazer um intercâmbio no curso de Direito. Uma pesquisa realizada pela Brazilian Educational & Language Travel Association (Belta) revelou que entre 2003 e 2013 o Brasil quintuplicou o número de alunos que estudaram fora do país. Dentre os países preferidos pelos estudantes brasileiros, que optaram por estudar fora, estão Canadá, Estados Unidos e Austrália.

O dado comprova o senso comum de que cada vez mais estudantes universitários têm procurado diversificar seus currículos, somar experiências novas e aprender um idioma diferente. E o intercâmbio é uma maneira de aliar todas essas competências de uma só vez.

Embora a área do Direito tenha suas particularidades, ela também é um terreno fértil para quem quer buscar novos ares, estudar mais aprofundadamente um determinado segmento e se especializar em um assunto como o Direito Internacional, por exemplo. E você, acha que está na hora de estudar fora do país? Quer saber como fazer intercâmbio em direito? Continue a leitura!

e-possivel-fazer-intercambio-no-curso-de-direito.jpg

Os cursos para fazer intercâmbio em Direito

Não há um modelo único de intercâmbio para quem deseja estudar fora do país. Na verdade, essa experiência, muitas vezes, pode se adaptar ao que você deseja.

Hoje, universidades privadas e públicas, faculdades, centros universitários e até escolas de idiomas fazem convênios e parcerias com instituições de ensino de outros países para possibilitar aos estudantes a oportunidade estudar fora.

Graduação sanduíche

Essa é uma modalidade bastante escolhida pelos estudantes de graduação de universidades brasileiras. Depois de entrar em um curso e completar parte dos créditos (a quantidade varia de acordo com as regras de cada instituição), o aluno passa um ou dois semestres fora fazendo parte do curso em uma universidade estrangeira.

Esse tipo de intercâmbio, em que você pode escolher ficar 6 ou 12 meses permite um contato mais intenso não só com a cidade escolhida e a cultura no país estrangeiro, mas, sobretudo, com a universidade, os colegas de curso e professores, o que enriquece a troca de experiências acadêmicas.

Cursos de curta duração

Pode ser a opção para quem não pode ficar muito tempo fora, como no exigido pela graduação sanduíche ou para quem quer optar por um curso específico sobre um determinado tema e não uma graduação, por exemplo.

Esta opção tem a vantagem de ser mais econômica, já que as despesas são por um período de tempo menor. No entanto, ela não traz a vantagem de se conhecer e viver por uma temporada maior em outro local.

Curso de graduação no exterior

Essa é outra possibilidade, mas que exige uma pesquisa mais ampla por parte do estudante que pretende estudar fora. Quando o processo é intermediado pela universidade, as regras são estabelecidas entre as instituições, o que facilita a entrada da documentação e a assistência estudantil no outro país. Já quando o pedido é feito individualmente por um estudante ingressante na carreira, o processo é mais burocrático e trabalhoso.

Outra dificuldade é o retorno ao Brasil, já que o diploma emitido pela universidade estrangeira terá que ser revalidado pelo Ministério da Educação, que pode reconhecer ou não a validade das disciplinas que você cursou enquanto esteve fora.

No caso do Direito, essa opção é menos recomendada se sua intenção for trabalhar no Brasil. Cada país tem um sistema jurídico diferente e é importante que sua formação seja baseada na nossa Constituição e nas nossas leis. Um intercâmbio para o graduando em Direito serve para aprofundar um tema específico, estabelecendo contatos com uma bibliografia diferente e outros pesquisadores.

Baixar ebook

A opção pela pós-graduação fora do país

Essa é uma modalidade igualmente interessante. Se, durante seu curso de graduação, as opções para o intercâmbio não foram tão interessantes ou você achou que não era hora de estudar fora, vale a pena procurar por bolsas de mestrado ou doutorado em boas universidades estrangeiras.

Pesquise alguma instituição que tenha grupos de pesquisa ou professores com excelência na área que você resolveu se especializar durante sua carreira acadêmica. No caso de um mestrado, por exemplo, pode ser algo que tenha a ver com o tema do seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), por exemplo.

As melhores universidades para um intercâmbio no curso de Direito

No início do ano a QS Top Universities, uma das mais renomadas consultorias de educação no mundo, listou as melhores universidades do mundo para estudar Direito. Conseguir uma vaga em uma dessas instituições valoriza o currículo de qualquer um e garante a chance de um aprendizado único. Listamos as 10 melhores abaixo e a nota recebida pelo ranking da QS:

  • Harvard University, Estados Unidos: 100.
  • University of Oxford, Inglaterra: 96,7.
  • University of Cambridge, Inglaterra: 96.
  • Yale University, Estados Unidos: 93,9.
  • New York University, Estados Unidos: 90,9.
  • Stanford University, Estados Unidos: 90,9.
  • London School of Economics and Political Science, Inglaterra: 90,1.
  • University of Melbourne, Austrália: 88,7.
  • University of California, Estados Unidos: 87,8.
  • University of Columbia, Estados Unidos: 86,3.

Os melhores países para estudar Direito

A julgar pela lista acima, os melhores países para estudar Direito são Estados Unidos e Inglaterra, onde estão localizadas as mais prestigiadas universidades do mundo no assunto. No entanto, há muitas outras opções, como a Itália, Espanha, Portugal, Alemanha, França e México que contam com excelentes universidades e campos de pesquisas, além de ofertas de bolsas para quem quer estudar um tema.

A escolha pelo Direito Internacional

Estudar Direito no exterior é ainda um diferencial para quem quer se especializar em Direito Internacional. Principalmente, pois essa área estuda o conjunto de regras que regulam as relações entre diferentes países.

Com a globalização, sobretudo nas últimas décadas, a área de Direito Internacional ficou ainda mais fértil. Acordos, tratados internacionais, a questão do comércio e dos blocos econômicos trazem uma série de conflitos, que precisam da interpretação de especialistas em Direito Internacional para serem resolvidos.

Gostou das nossas dicas? Não deixe de ficar ligado no nosso blog para mais informações sobre o curso de Direito.

Baixar ebook

Direito

Petronio Bismarck Tenório Barros

Petronio Bismarck Tenório Barros

Doutorando em Direito Público pela Universidad del Moseo Social Argentino - UMSA. Especialista em Direito Processual Civil pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ. Graduado em Direito pela Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia (1993). Atualmente é coordenador adjunto/professor do Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Teoria do Direito e Direito Civil.