BLOG DA GRADUAÇÃO

Conheça algumas matérias curiosas do curso de Fisioterapia

Você está escolhendo qual graduação vai fazer e, no meio dessas pesquisas, se depara com algumas matérias curiosas do curso de fisioterapia. Mas então, viu uns nomes muito esquisitos, que nunca tinha ouvido falar na vida. Afinal, como decidir por algo que não se conhece? Pois é aí que a gente entra: para esclarecer todas as suas dúvidas e fazer com que a sua escolha seja certeira!

Vamos dar uma olhada nas principais disciplinas? Conhecendo um pouco mais sobre o assunto, quem sabe você não se empolga e toma uma decisão? Então, vamos lá!

conheca-algumas-materias-curiosas-do-curso-de-fisioterapia.jpg

Disciplinas sobre o corpo humano

1. Anatomia

Muitas vezes, o curso de fisioterapia possui uma carga horária de anatomia muito maior que o curso de medicina, por exemplo. Daí, você imagina a importância dessa disciplina para a sua formação como profissional.

A fisioterapia mexe, essencialmente, com os músculos e ossos, portanto, nada mais justo que você tenha um bom conhecimento do corpo humano. Mas não se preocupe, você não precisará decorar todos os quase 600 músculos e 206 ossos.

Para a sua vida profissional, é necessário saber os principais, algo que já acontece naturalmente durante o curso. Então, não entre em crise!

2. Fisiologia

Essa é outra disciplina que você verá nos primeiros semestre do curso. Afinal, saber como o nosso corpo funciona de forma mais aprofundada é essencial para compreender todo o tratamento que um fisioterapeuta precisa fazer.

Nessa disciplina, os alunos verão como atua cada sistema do corpo humano: cardíaco, vascular, excretor, respiratório e todos os outros. Trata-se de uma disciplina fundamental, já que você precisará dela não apenas na sua vida acadêmica, como na profissional.

Pense: como você fará fisioterapia respiratória (algo bastante corriqueiro) se não sabe como funciona a entrada e saída de ar dos pulmões? Complicado, não é?

3. Fisiopatologia

Agora que você já entendeu como o nosso organismo funciona normalmente, que tal compreender o que acontece dentro da gente quando ficamos doentes? Pois é justamente isso que você verá nessa disciplina!

Isso porque, na hora de fazer o tratamento, o profissional precisará compreender pelo que o paciente está passando, quais são suas limitações naquele momento e qual é o possível prognóstico motor.

Disciplinas relacionadas ao movimento

Já estamos avançando um pouco mais no curso e, depois de ver as bases, é preciso começar a montar a estrutura. Agora, vamos falar sobre algumas disciplinas que têm como foco o movimento do corpo.

1. Biomecânica

Pela leitura da própria palavra, já dá para imaginar do que se trata: bio- (vida, organismo) e -mecânica (movimento). Assim, a biomecânica nada mais é do que o estudo do movimento do corpo humano.

Aqui, você já começará a associar um pouco da física que aprendeu no colégio com algumas posições que o nosso corpo adota.

2. Cinesiologia

Também tem como foco o movimento do corpo, porém, passa por uma visão mais biológica. A cinesiologia procura entender como as partes do corpo, em conjunto, produzem um determinado movimento.

Eis outra disciplina que precisará de toda a sua atenção para traçar o plano de tratamento do paciente.

Baixar ebook

Disciplinas relacionadas ao tratamento

Acho que acabamos de chegar na parte principal, e aquela de que todo mundo gosta mais: meter a mão na massa e tratar os pacientes!

Nesse caso, a fisioterapia dispõe de uma série de recursos bem legais para fazer com o que o paciente volte a fazer as suas atividades diárias da melhor forma possível.

1. Cinesioterapia

Grosso modo, é o tratamento por meio da movimentação do corpo. A disciplina mostrará de que forma o profissional poderá tratar o paciente com o simples uso das mãos aliadas ao conhecimento técnico e científico.

Com ela, você saberá de quais formas é melhor realizar a mobilização do paciente em determinadas situações.

Também aprenderá sobre o tratamento de diversas partes do corpo, como problemas na coluna e patologias comuns, como a ciatalgia — a famosa dor no nervo ciático — entre vários outros. É incrível o poder das nossas mãos na saúde de alguém!

2. Hidroterapia

Quer algo mais relaxante do que trabalhar dentro de uma piscina com temperatura regulada? Não só o paciente como o próprio fisioterapeuta se sentirá bem fazendo o tratamento dentro da piscina.

Esse é um ótimo recurso para pacientes que possuem artrose, por exemplo, já que os movimentos dentro da água reduzem o impacto consideravelmente. Pessoas que possuem limitações para se locomover também são indicadas para esse tipo de ambiente.

3. Eletroterapia

Já ouviu alguém falar que foi para uma sessão de fisioterapia e recebeu uns "choquinhos"?

Pois bem, são ondas elétricas suaves, usadas como uma forma de reduzir a dor, e produzidas por um aparelho chamado TENS (Neuroestimulação Elétrica Transcutânea). Grosso modo, ele age diretamente no mecanismo de comporta da dor, algo que você aprenderá em fisiologia.

4. Termoterapia e crioterapia

A temperatura também é uma forma de tratamento, e muito eficaz. Lembra de quando você era criança e os adultos te falavam para colocar gelo no lugar machucado? Você estava simplesmente aplicando o recurso da crioterapia.

Essas duas disciplinas descreverão como a alteração de temperatura em determinadas partes do corpo é capaz de promover a cura do paciente.

Disciplinas de áreas específicas

Se está com medo de chegar ao final do curso e ainda não saber que área deseja seguir, agora os seus problemas acabaram! Da metade para o final da graduação serão ofertadas matérias mais direcionadas para áreas de atuação profissional. Vejamos:

1. Fisioterapia Dermatofuncional

Uma ótima opção para aqueles que desejam trabalhar com a área estética. Limpeza de pele, eliminação de estrias, drenagem linfática, massagem redutora e várias outras técnicas serão aprendidas durante essa disciplina.

2. Fisioterapia Desportiva

Aqui, seu envolvimento será mais próximo da terapia convencional, que é mexer com o movimento do corpo, tratamento muscular e articular. Será necessário um bom conhecimento de anatomia e ortopedia (que será vista durante o curso) para se dar bem em desportiva.

3. Fisioterapia em Terapia Intensiva

Para aqueles que têm um pé na área hospitalar, trabalhar na UTI pode ser uma boa escolha.

Durante essa disciplina você não só aprenderá como aplicar conceitos, como cinesioterapia e outros recursos, mas também a mexer no ventilador mecânico, uma máquina de grande importância que ajuda o paciente a respirar.

4. Ergonomia e Saúde do Trabalhador

Não curte hospitais? Então, que tal trabalhar em empresas ofertando consultorias em ergonomia? Essa ciência ajuda os trabalhadores no ambiente profissional, para que possam ter uma qualidade de vida melhor dentro das corporações.

Aqui você aprenderá, por exemplo, qual é a altura correta de uma mesa, que os pés devem tocar completamente o chão quando alguém estiver sentado, e também o motivo da tela do computador ter que ficar à altura dos olhos de quem o utiliza.

Panorama sobre o curso

Enfim, as matérias do curso de fisioterapia que citamos são apenas as de maior destaque dentro da grade curricular. Mas as outras não podem ser negligenciadas, já que todas atuam como uma orquestra para que você se torne um excelente profissional.

Além delas, o aluno também terá que passar por estágios supervisionados por professores dentro de hospitais e clínicas. Uma forma de sair bem preparado para o mercado de trabalho, sem aquela insegurança comum entre os recém-formados.

E não podemos nos esquecer do TCC (trabalho de conclusão de curso), no qual o aluno terá que fazer uma pesquisa e escrever um artigo científico sobre ela.

E aí, gostou do post? Quer saber ainda mais sobre as matérias do curso de fisioterapia e de outras graduações? Então, curta a nossa página do Facebook e fique por dentro do que acontece lá!

Baixar ebook

Fisioterapia

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.