BLOG DA GRADUAÇÃO

Como estudar para o ENEM? Veja 14 dicas para otimizar seu tempo

Como todo projeto escolar, para estudar para o Enem é preciso um método — uma estratégia a ser seguida para que você dê conta de um conteúdo amplo. Para isso, é importante levar em conta a sua aptidão e as suas dificuldades.

Nessa hora, muita gente comete erros simples, como estudar demais apenas as disciplinas de que gosta ou só apenas aquelas em que não vai bem. Outro erro comum é se deixar distrair com facilidade pelas redes sociais, televisão ou internet.

Contudo, para tudo isso há solução. E aí, quer se dar bem nos estudos? Então, confira o nosso post de hoje e veja estas dicas de como estudar para o Enem!

como-estudar-para-o-enem-veja-14-dicas-para-otimizar-seu-tempo.jpg

1. Priorize a redação

Em primeiro lugar, muita gente estuda para o Enem sem levar em conta que a redação representa metade da nota total da prova. Metade!

Isso significa que, se você acertasse todas as questões da prova objetiva, mas zerasse a redação, ia fazer apenas 500 pontos — uma nota muito baixa, que não seria suficiente para ingressar em universidade nenhuma. Por isso, tenha em mente o seguinte: é fundamental que você faça uma boa redação no Enem.

2. Leia muito

A questão é que, para se preparar para a redação, não adianta apenas treinar escrevendo sobre temas que já caíram no Enem no passado. Ler e escrever são habilidades complementares, que a gente desenvolve em longo prazo — para escrever bem, também é essencial ler muito.

Então, leia. Revistas, jornais, sites de notícias na internet, livros de que você gosta — não importa quais sejam, vale até a Saga Crepúsculo ou Harry Potter. O importante é alimentar o hábito da leitura.

Só lendo você vai incorporar mais vocabulário e estruturas que serão cruciais para articular seu raciocínio de forma clara e coesa na hora da prova. Então, não se esqueça de separar no seu cronograma, todos os dias, um horário para se dedicar à leitura.

3. Escreva e peça correções

Além de escrever, você precisa que alguém dê uma olhada no seu texto e faça correções, críticas construtivas e aponte como ele poderia ser melhor. Se você frequenta o colégio, pode ver com o seu professor de português se ele poderia fazer isso para você. Inclusive, é muito provável que ele fique feliz com seu interesse e tope ajudar de cara!

Se você já se formou na escola — ou se não curte seus professores — também pode encontrar quem leia seus textos na internet. O Descomplica, por exemplo, é um site com videoaulas sobre os conteúdos para o Enem. E, além de conferir os vídeos, você pode pedir a correção da sua redação no site.

Se quiser, confira ainda mais dicas para a redação.

4. Conheça a prova

De fato, é importante que faça exercícios que já caíram no Enem, e entenda o formato da prova. Afinal, ela é bem diferente de provas de vestibular.

E preste atenção, porque muitos sites divulgam questões de outros vestibulares como se fossem do Enem. Conhecendo a prova, você vai entender melhor que conteúdos estudar.

5. Seja crítico com a internet

Sites como Brasil Escola, Guia do Estudante, PasseiWeb e ColadaWeb têm textos muito interessantes para você ler em casa, a hora que quiser. A questão é que nenhum site está livre de erros ou artigos ruins.

Então, seja crítico: se o texto te deixa com dúvidas, ou se parece mal escrito, não perca tempo com ele.

New Call-to-action

6. Assista a vídeoaulas

Também existem bons canais no YouTube, como o Super Sociologia. Nesses casos, a vantagem do vídeo é que o aluno pode parar a reprodução, voltar, e assistir de novo quantas vezes for preciso.

Diferentemente das aulas, em que, muitas vezes, as pessoas se perdem no assunto ao distraírem-se em algum momento, e, quando se focam de novo, já perderam o fio da meada.

7. Limite as distrações

Isso é muito importante. Na hora de estudar, desligue o celular, a televisão, vá para uma biblioteca ou feche a porta do quarto, e fique offline, focado na sua meta: estudar e tirar uma boa nota no Enem.

Outra boa dica para evitar distrações é a extensão StayFocusd, que pode ser usada no Chrome. Com ela, você configura o tempo que pode passar em cada site. Quando sua cota acabar, ele mesmo interrompe a navegação, te impedindo de perder mais tempo que o previsto.

8. Tenha uma agenda

Compre uma agenda: nela, você vai estabelecer o seu cronograma de estudos, anotar compromissos, e se livrar da necessidade de usar o celular ou computador para se organizar. Assim, você também evita aquela checadinha nas redes sociais, que acaba consumindo meia-hora aqui, uma hora ali...

9. Crie um cronograma

Então, esquematize seu estudo: pegue a agenda que você comprou, separe os horários que você tem para estudar e determine quanto tempo vai gastar com cada assunto.

Além disso, se preocupe em estudar cada disciplina por, no máximo, duas horas. Depois disso, é melhor mudar de tema para manter um bom rendimento.

10. Faça revisões

As revisões também são essenciais para fixar o conteúdo. Todo dia — antes de começar a estudar — separe meia-hora para rever rapidamente o que você estudou no dia anterior. E, na sexta-feira, faça uma revisão maior dos assuntos estudados ao longo da semana.

Há pesquisas que mostram que precisamos rever um assunto pelo menos três vezes ao longo de algumas semanas para realmente fixá-lo na memória.

11. Participe de grupos de estudos

Grupos de estudo pode ser uma solução interessante para que estudar não seja apenas uma atividade individual e, portanto, solitária. Então, pesquise se há grupos de estudos na sua escola ou nas bibliotecas locais. Se não houver, você pode propor a criação de um entre os seus amigos — com o compromisso de realmente levar a sério os estudos.

É capaz de você encontrar, no seu grupo, alguém que domine as matérias nas quais você tem dificuldade, por exemplo. Além disso, ensinar alguém é a maneira mais eficiente de fixar um conteúdo na memória, e isso pode ajudar a todos vocês.

12. Faça fichamentos e resumos

Fazer resumos e fichamentos é uma Excelente forma de organizar o conteúdo na sua mente, e ajudar a memorizá-lo. Basicamente, um fichamento é um texto que resume um assunto em tópicos, geralmente em cerca de 30 linhas.

Logo, são ferramentas que te ajudam a distinguir os pontos mais importantes das disciplinas e a deixar mais claro de que forma eles se relacionam.

13. Alimente-se bem

Estudar também é um exercício, que pode até queimar tantas calorias quanto uma caminhada, por exemplo. Então, para repor a energia que você gasta estudando, é fundamental alimentar-se bem. Faça refeições ricas em vitaminas, com bastante frutas e legumes, e evite alimentos gordurosos, que vão te deixar com mais sono.

Seu corpo precisa estar bem alimentado para que seus estudos sejam produtivos. Afinal, não há como estudar para o Enem com sono e com fome e esperar bons resultados.

14. Descanse

Depois de algumas horas de estudo, descanse. Assista a um episódio de algum seriado, deite-se por alguns minutos, relaxe — enfim, dê um tempo para seu cérebro absorver todas as informações. Estudar por muitas horas vai sobrecarregar sua mente, dificultando a fixação do que foi estudado.

Quanto a isso, cada pessoa tem um limite, então, conheça o seu. Além disso, também é importante dormir o suficiente durante a noite para garantir um dia de estudos produtivo.

E aí, gostou das nossas dicas de como estudar para o Enem? Então, curta nossa página no Facebook e fique por dentro das nossas postagens!

New Call-to-action

ENEM

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.