BLOG DA GRADUAÇÃO

A estrutura do curso de Medicina influencia no sucesso do profissional?

Se o seu sonho é fazer Medicina, você certamente já sabe que a estrutura do curso faz toda a diferença — afinal, é impossível uma boa formação nessa área sem muitas aulas práticas, bons materiais, excelentes professores e laboratórios de ponta. Sem isso, um aluno, que se dedicou por centenas de horas como você, provavelmente se decepcionará.

Para entender bem o corpo humano e fazer um bom atendimento, é preciso colocar a mão na massa e aplicar seus conhecimentos constantemente. Senão, você entrará no mercado de trabalho despreparado e não se sentirá confiante tendo a vida dos seus pacientes nas suas mãos.

Mas, então, o que um curso de Medicina precisa ter para o seu sucesso?

como-a-estrutura-do-curso-de-medicina-pode-ser-fundamental-no-sucesso-do-profissional.jpg

Infraestrutura impecável

Na Medicina, a infraestrutura é essencial. As instalações da faculdade deverão ser bastante espaçosas, pois deverão acomodar vários laboratórios, salas de estudo individual e em grupo, além das salas de aula.

A partir de determinado momento, as turmas de Medicina ficam cada vez menores, pois são necessários grupos pequenos para discutir os casos que encontram no dia a dia. Além disso, são essenciais os seguintes espaços:

Ambulatórios

Os ambulatórios serão os locais onde você terá contato com as áreas básicas da Medicina, como clínica médica, pediatria, cirurgia e ginecologia. Nesses locais, os pacientes chegarão e serão atendidos pelos próprios alunos com a supervisão de um professor. No começo, você terá pouca autonomia e somente conduzirá a entrevista com o paciente. No entanto, à medida que o curso avança, você será praticamente o médico do paciente, podendo indicar tratamentos, fazer o exame físico completo etc.

Os ambulatórios podem ser tanto da própria faculdade quanto podem ser clínicas e postos de saúde conveniados, em que você também atenderá pacientes reais, com necessidades reais.

Laboratórios

Os laboratórios são grande parte da experiência dos estudantes de Medicina. Nos primeiros períodos, muitas de suas matérias se passarão neles. Por exemplo, a aula de anatomia precisa dos modelos e das peças anatômicas presentes nos laboratórios. Lá, você conhecerá melhor a estrutura interna do corpo humano com detalhes. Sem a prática, você jamais vai se lembrar de nomes como "Túnel do Carpo", "Omento Maior", "Artéria Circunflexa Ilíaca Profunda".

Além disso, nos laboratórios, você terá outras experiências. Por isso, são necessários  laboratórios preparados para a realização de atividades práticas de acordo com os princípios éticos e de biossegurança, além de toda organização necessária para proporcionar um aprendizado prático que tenha como finalidade a aplicação do que foi adquirido na teoria.

Biblioteca

Você acha que fugirá das leituras em um curso prático como a Medicina? Pois, então, está enganado: ele exige muita leitura. Afinal, você precisa solidificar o conhecimento que você adquiriu na sala de aula.

Assim, a biblioteca acaba se tornando sua melhor amiga. Por isso, ela tem de ser a melhor e com títulos atualizados. Na nossa área, os conhecimentos mudam a cada segundo e uma coisa que era verdade hoje pode se mostrar falsa depois.

Acessar material!

Corpo docente experiente e qualificado

A Medicina necessita da transmissão de conhecimento e de experiências. Por isso, é importante que seus professores sejam os profissionais de ponta da área, com muita experiência prática e uma formação sólida, com pós-graduações.

No começo do curso, você terá contato com áreas mais básicas, como bioquímica, fisiologia e histologia. Aí, será legal ter contato com profissionais de várias áreas, como Farmácia, Biologia etc. Nas aulas de prática clínica, será essencial ter professores médicos experientes para transmitir toda a experiência que eles tiveram com o atendimento de pacientes.

Além disso, todos eles devem possuir uma didática impecável, pois muitos dos conteúdos são muito difíceis e precisam ser explicados com clareza para facilitar o seu entendimento do assunto. Uma das reclamações frequentes de estudantes de Medicina são professores sem didática e que são ótimos na pesquisa, mas péssimos para o ensino.

Grade curricular completa

O estudante de Medicina precisa ter contato com diversos conteúdos, como:

  • A estrutura molecular do corpo humano;
  • A organização celular e histológicas dos órgãos humanos;
  • A estrutura anatômica dos órgãos humanos;
  • As reações bioquímicas fisiológicas, farmacológicas e patológicas;
  • Habilidades de comunicação e entrevista médica;
  • Técnicas de exame físico;
  • Prescrições de cuidados, remédios, exames e cirurgias;
  • Interpretação de imagens e exames;
  • Técnicas cirúrgicas de ambulatório etc.

Se o currículo não for completo, uma dessas áreas se tornará deficiente e a formação do aluno estará comprometida.

A influência da estrutura do curso de Medicina no exercício de sua futura função

Bem, sem aprender os conteúdos teóricos essenciais para o exercício da Medicina, o aluno não será capaz de realizar o diagnóstico correto da saúde do indivíduo e poderá cometer o indesejado "erro médico". Sem esses conhecimentos, ele pode interpretar os sintomas de forma inadequada e considerar o paciente saudável quando, na verdade, ele está doente e vice-versa.

Sem uma prática constante e sólida, também há o risco de o médico recém-formado não saber como lidar com os pacientes. Eles precisam ser incentivados a falar e sentir uma confiança no médico, estabelecendo a famosa relação médico-paciente. Estudantes que não tiverem experiências práticas na faculdade chegarão imaturos e poderão inibir seus pacientes.

O bom médico precisará ter se dedicado integralmente à Medicina e seu curso precisa ser o solo ideal para cultivar tanto seu conhecimento quanto sua ética, seu compromisso e seriedade. Afinal, temos em nossas mãos a formação da profissão com uma das maiores responsabilidades, a vida humana.

Portanto, a estrutura do curso de Medicina é determinante para seu sucesso no futuro. Ao contrário de outras áreas, em que é possível aprender sozinho em casa, a Medicina exige que você bote a mão na massa. Então, é preciso um curso sério e comprometido com uma infraestrutura excelente para o aluno.

Há muitas faculdades de Medicina que só querem lucrar com o aluno e não se comprometem em dar um retorno satisfatório para ele e para a sociedade, que tanto precisa de profissionais excelentes nessa área.

Quer saber tudo sobre o curso de Medicina e das demais graduações do Unipê? Curta nossa página no Facebook e receba as novidades no seu feed de notícias!

Baixe grátis o seu e-book!

Medicina

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.