BLOG DA GRADUAÇÃO

5 coisas que você deve saber se quer fazer o curso de fonoaudiologia

Dentre tantas opções de graduação e faculdades, é comum ficarmos perdidos sobre o curso de graduação que atenderá nossos desejos e ambições. Se você está na fase de escolher o curso de graduação para chamar de seu e mergulhar profundamente neste universo profissional, este é o momento!

Nesse post, falaremos sobre o curso de Fonoaudiologia, que forma profissionais capazes de atuar nas esferas públicas e privadas, realizando desde testes da orelhinha em recém-nascidos até cuidados paliativos em idosos.

Esse profissional precisa entender todo o processo de adoecimento e os distúrbios envolvendo as áreas relacionadas à voz, comunicação, linguagem e processamento, além de fornecer subsídios para procedimentos médico-cirúrgicos.

Conheça a seguir a graduação em Fonoaudiologia, suas principais áreas de atuação, as atribuições desse profissional e as disciplinas da matriz curricular. Assim, ficará mais fácil se decidir com base em informações objetivas e práticas. Acompanhe conosco!

5-coisas-que-voce-deve-saber-se-quer-fazer-o-curso-de-fonoaudiologia.jpg

Como funciona o curso de Fonoaudiologia?

Para ingressar nesse curso, o estudante precisa gostar das disciplinas de ciências biológicas e da saúde, ciência social e aquelas relacionadas ao atendimento do paciente.

No primeiro momento, são abordadas disciplinas relacionadas à constituição celular e tecidual dos órgãos responsáveis pela fonação (voz) e audição — daí vem a palavra Fonoaudiologia. Em seguida, são trabalhadas as ciências da interação social com os demais profissionais de saúde, ressaltando a multidisciplinaridade. E, por fim, são contempladas matérias relacionadas ao atendimento, diagnóstico, tratamento, prevenção e reabilitação dos pacientes no âmbito individual ou coletivo.

O conhecimento deve ser sempre associado à prática clínica, realizada através de estágios supervisionados e extracurriculares, que propiciam maior vivência, experiência e amadurecimento do estudante.

Ao final do curso, o aluno deve ser capaz de entender os principais tipos de distúrbios fonoaudiológicos, propor estratégias de tratamento e estabelecer uma relação de confiança com o paciente.

Quais são as formas de atuação do fonoaudiólogo?

O profissional da Fonoaudiologia realiza uma anamnese, ou seja, avalia todas as informações clínicas que o paciente ou o seu acompanhante informa e depois realiza testes funcionais. Em seguida, formula um diagnóstico e propõe intervenções clínicas objetivas.

Assim, através do relato da mãe e da aplicação de testes específicos, o fonoaudiólogo consegue determinar distúrbios da motricidade em crianças. Um dos exemplos clássicos que ocorre na faixa etária infantil é a chamada “fala do Cebolinha" — personagem da "Turma da Mônica". A criança apresenta dificuldades em pronunciar palavras com a letra R. O fonoaudiólogo utiliza de técnicas lúdicas e assertivas para corrigir a fala da criança.

Também é importante a atuação desse profissional na identificação de problemas de motricidade em adultos vítimas de traumatismo ou em idosos com dificuldade de deglutição.

Por isso, entende-se que o fonoaudiólogo atua na prevenção, diagnóstico e tratamento de distúrbios associados à voz, linguagem e audição.

Baixar ebook

Quais são as competências e habilidades do profissional?

Atualmente, um profissional de saúde precisa aliar as competências clínicas com as demais atividades gerenciais. Nessas estão contempladas a capacidade de liderança, tomada assertiva de decisões, avaliação do custo x efetividade das intervenções realizadas e administração das tarefas ao longo do dia.

Também é preciso desenvolver estratégias de atendimento ao paciente, identificando suas necessidades fonoaudiológicas, percepções e expectativas e propondo uma relação terapêutica de confiança.

Um profissional competente é aquele que consegue desenvolver as atividades clínicas com as questões gerenciais, tais como organização da agenda de atendimento, contas a pagar etc. — principalmente se for trabalhar em consultório próprio.

Quais são as áreas de competência do fonoaudiólogo?

As áreas de competências autorizadas pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia são mencionadas abaixo. Existem outras que, devido à demanda da sociedade, foram incluídas recentemente.

Distúrbios da voz (disfonia)

Estes são problemas que causam emissão inadequada da voz. Os pacientes podem apresentar rouquidão, cansaço ao falar, perda da eficiência vocal, dentre outros sintomas.

Esses distúrbios podem ser causados por exaustão da voz (cantores ou artistas que fazem muitos eventos), doenças (nódulos, infecções, tabagismo etc.) ou por traumatismos.

Distúrbios da fala

Distúrbios da fala são problemas manifestados pela dificuldade em pronunciar palavras, processar discursos adequadamente ou gaguejar ao falar. São diagnosticados e tratados com terapia fonoaudiológica.

Um exemplo clássico da atuação desse profissional está no filme “O Discurso do Rei” (2010), em que o fonoaudiólogo Lionel Logue ajudou o rei britânico George VI a superar sua gagueira.

Distúrbios de aprendizagem e escrita

Nesta área, são estudados casos de dificuldade em processar informações escolares ou associar com os dados existentes na leitura e escrita. A intervenção do fonoaudiólogo é direcionada a esses descompassos e necessitam de apoio incondicional dos pais ou responsáveis.

Podem também ocorrer em pacientes adultos vítimas de traumas físicos ou psicológicos.

Estimulação elétrica transcutânea

Reconhecida em 2016 pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, esta é uma técnica utilizada para tratamento de dores decorrentes de problemas de motricidade e vocalização nos pacientes.

Consiste em administrar pequenos choques para inibir os impulsos dolorosos. Para tal, ela precisa ser feita com o profissional habilitado por cursos teóricos e práticos sobre o tema.

Atuação em cuidados paliativos

O fonoaudiólogo atua oferecendo conforto a pacientes que estão debilitados devido a uma doença crônica ou incurável. Para isso, oferece estratégias que facilitam a deglutição de alimentos ou recomenda adaptações na consistência da comida, para dar prazer e respeito ao paciente nessas situações.

Realização de exames de audiometria

Nesta área, o fonoaudiólogo é capaz de realizar exames para detectar problemas de audição através do exame de audiometria, estabelecer medidas de tratamento ou elaborar parecer para o médico intervir cirurgicamente.

Podem ser feitos em clínicas de medicina do trabalho ou em empresas que emitem altos índices de ruídos e vibrações.

Em quais locais o fonoaudiólogo pode atuar?

Atualmente, a maior parte dos fonoaudiólogos possui consultório próprio ou integrado em clínicas multiprofissionais.

Já outra parcela pode ser vista nas unidades básicas de saúde, ambulatórios de especialidades e hospitais. Esses profissionais também podem realizar seus serviços em creches, asilos, berçários e domicílios, tanto no âmbito público quanto privado.

O curso de Fonoaudiologia agrega conhecimento clínico a um atendimento humanizado, tanto nos ambientes públicos quanto nos privados. As áreas de atuação do fonoaudiólogo possibilitam diversas abordagens dentro do trinômio voz, audição e comunicação.

Por isso, caso seja seu interesse, veja como escolher o melhor curso de Fonoaudiologia, conheça as opções de estágio curricular, a experiência didática e profissional dos professores e o custo total para ser um ótimo profissional.

Se a Fonoaudiologia ainda não bateu forte no seu coração, que tal curtir nossa página no Facebook e conhecer outras áreas de graduação?

Baixar ebook

Fonoaudiologia

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia da Fonseca

Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca é reitora do Centro Universitário de João Pessoa - Unipê. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Maryland-EUA, exerceu cargo de Chefe de Arquitetura de Informação (Chief Information Architect) e Gerente do Departamento de Gestão da Informação do Banco Mundial. Possui experiência em negociação e cooperação internacional na área de projetos de informação com agências multilaterais e bilaterais, administrando programas relacionados à análise e ao apoio de projetos científicos e tecnológicos.