Psicologia

4 curiosidades sobre o curso de psicologia

Mariana Brito
08-12-2017 6:35

O curso de psicologia é um universo que se abre a quem se propõe a fazê-lo. Quem o escolhe aprende sobre o comportamento e as emoções, estuda os fenômenos psíquicos, analisa a personalidade e as potencialidades do ser humano, entre outros assuntos.

Por de trás dessa ciência, contudo, existem dados interessantes que ajudam a desconstruir mitos e a entender melhor, por exemplo, os símbolos ligados a ela. Você pode conhecer 4 deles na postagem de hoje!

Separamos curiosidades relacionadas ao campo profissional, percurso histórico aqui no Brasil, um pouco da simbologia e personagens influentes. Veja só:

4-curiosidades-sobre-o-curso-de-psicologia.jpg

1. Atuação do esporte ao marketing

Ser psicólogo não significa trabalhar com atendimento clínico somente; a imagem tão difundida do profissional sentado ao lado de um divã colabora para ter essa visão limitada da profissão.

Saiba que a profissão oferece mais oportunidades e exige habilidades diversas dos profissionais. Da mesma forma, são ricas as áreas de atuação da psicologia — com alguma delas certamente você vai se identificar!

Leia a seguir algumas das áreas diversas a que psicólogos podem se dedicar:

Comportamento do consumidor

É cada vez mais comum a ação integrada do psicólogo com profissionais de outras áreas — aqui, ele atua de mãos dadas com os especialistas em marketing. A função do psicólogo ao traçar o comportamento do consumidor é de analisar as atitudes e motivações que resultam no consumo de um bem ou serviço.

A partir do estudo da conduta de compra e seus padrões regulares são desenvolvidas estratégias mais assertivas para conquistar uma maior fatia de mercado e melhorar o relacionamento com os clientes.

Psicologia esportiva

Um suporte importante oferecido pelo profissional ao trabalhar com o esporte é o emocional. Os atletas, independentemente da modalidade esportiva, precisam lidar com expectativas, cobranças, derrotas e até com as vitórias. É necessário, portanto, um psicológico bem trabalhado para manter a concentração durante os treinos e partidas para que atinja as metas e conquiste os objetivos traçados.

A área esportiva permite ainda trabalhar em grupo. É o caso dos esportes coletivos cujas equipes precisam de entrosamento, desenvolvimento de liderança e boa relação interpessoal entre seus membros.

Psicologia do trânsito

O trabalho do psicólogo com essa especialização consiste basicamente em avaliar os condutores na hora de adquirir ou renovar a carteira de habilitação ou no caso de mudança de categoria. O profissional também colabora para:

  • Promover a segurança e o respeito no trânsito;
  • Prestar consultorias com foco no comportamento a empresas do ramo;
  • Auxiliar portadores de estresse pós-traumático decorrente de um acidente;
  • Realizar pesquisas com usuários de trânsito.

Baixar ebook

Psicologia jurídica

Se você é vidrado em séries de investigação criminal — “CSI”, “Criminal Minds”, “The Mentalist” — a psicologia forense deve ser um prato cheio! Podemos listar como atividades comuns no campo jurídico os seguintes itens:

  • Estudo comportamental de criminosos;
  • Avaliação de testemunhos;
  • Compreensão da motivação psicológica em um delito;
  • Auxílio à equipe de polícia e de advogados no dia a dia.

Orientação vocacional

As disciplinas ligadas à orientação profissional e à dinâmica de grupo são comuns na grade curricular do curso de psicologia. O ambiente de trabalho do psicólogo, nesse caso, é o setor de recursos humanos de instituições privadas e públicas.

Ele está presente nos recrutamentos, na necessidade de orientação vocacional — identificação de interesses, aptidões e delineamento do perfil do profissional — e no desenvolvimento dos funcionários.

2. Profissão centenária no Brasil

Em uma rápida olhada na linha do tempo da história da psicologia no Brasil, pode-se notar que o caminho percorrido entre a criação do primeiro laboratório de estudos do ramo até a regularização do curso e da profissão foi longo: mais de cinco décadas, para sermos mais claros.

A psicologia, entretanto, começou a ser desenvolvida no nosso país no século XIX. Quase na virada do século, em 1890, houve a aprovação da primeira Lei Federal que trata de “assistência a alienados”. Outro episódio que contribuiu para que aquele ano representasse um marco na história da profissão no Brasil foi o estabelecimento do ensino de psicologia pelo então ministro da Instrução Pública, Benjamin Constant.

Quando se trata da graduação, somente em 1934 a Universidade de São Paulo (USP) instituiu a disciplina na Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras da instituição. E a partir da década de 1950 os brasileiros viram a expansão de institutos de psicologia aplicada e a realização do primeiro congresso da área no país, no Paraná.

3. A cor azul, os faraós e a psicologia

4-curiosidades-sobre-o-curso-de-psicologia.gif

Existe relação possível entre esses três elementos citados no título acima? Por incrível que pareça a resposta é sim!

A cor azul é a da psicologia. No dia da sua formatura, é capaz de você usar um anel com uma pedra da mesma cor conhecida por lápis-lazúli, nome de origem árabe cujo significado é “pedra azul”. Ela é caracterizada pelo azul intenso e pelo dourado dos grãos do minério pirita.

A escolha da pedra lápis-lazúli para o anel de formatura foi definida em resolução de 2006 do Conselho Federal da categoria no Brasil. Bem além do anel, ela é encontrada em adereços e na arquitetura de igrejas, palácios, pinturas renascentistas, vasos, joias, enfim, teve inúmeros usos ao longo da História.

E por falar em História, é aí que os faraós aparecem.

A lápis-lazúli foi utilizada largamente no Egito Antigo e estava presente nos amuletos que representavam o poder à época. Em outros artigos, ornamentos e joias faraônicas a rocha estava na composição, segundo comprovações arqueológicas. Outros estudos também apontam que as egípcias a desfrutavam, na forma de pó, como produto de beleza.

4. Freud não é o pai da criança

Quem é o pai da psicologia? Freud, você deve ter pensado. Errado!

Pois é, o médico considerado fundador da psicologia como ciência experimental é o alemão Wilhelm Wundt, que em 1879 criou o primeiro laboratório desse campo do conhecimento, na Universidade de Leipzing. Dois anos mais tarde, Wundt lançou a revista científica Philosophische Studien.

Mas é compreensível supor que o austríaco Sigmund Freud seria o pai dessa ciência. A fama dele, que era neurologista, vem do fato de ser o fundador da psicanálise, tratamento focado na expressão verbal na relação paciente-psicanalista. Toda a psicologia clínica moderna sofreu influência dos estudos de Freud — você ainda deverá ouvir falar muito dele caso ingresse nessa graduação!

E então, gostou de saber mais sobre o curso de psicologia? Quer mais informações e curiosidades sobre essa e outras carreiras? Não deixe de curtir agora mesmo a nossa página no Facebook!

Baixar ebook

Recém adicionados

Veja nossas últimas atualizações
Materiais Gratuitos