Tipos de mediação: você sabe o que é arb-med?

Os métodos de solucionar conflitos fora do âmbito judiciário envolvem a arbitragem, amediação e a conciliação. São mecanismos previstos no Código Civil brasileiro e podem ser considerados recentes, quando comparados com o longo histórico da Justiça comum em nosso país.

O aproveitamento recente dessas formas alternativas também fica evidente quando cotejamos o caso brasileiro com outros países onde elas já estão bastante consolidadas e são aplicadas há muitos anos, como nos Estados Unidos e algumas nações da Europa.

Uma forma de combinação entre esses métodos é a arb-med. Saiba mais sobre ela, lendo o post!

Mediação narrativa: conheça essa abordagem diferenciada

Se você é leitor assíduo do nosso blog, já sabe que a mediação é uma modalidade de resolução de conflitos extrajudicial, ou melhor, que não depende de um Tribunal de Justiça e de um juiz togado para deliberar sobre a lide. Boa parte das mediações costuma ser efetuadas em Câmaras de Mediação, sendo presididas pelo mediador, uma terceira pessoa que orienta os litigantes na escolha da melhor solução. Mas são as partes que resolvem o próprio caso, quando a mediação for bem-sucedida.

Em todo caso, existem algunstipos diferentes de mediação, como a facilitadora, a avaliativa e a transformativa. Neste post, abordaremos uma espécie chamada mediação narrativa. Saiba mais sobre ela em seguida.

Saiba o que é e para que serve a mediação transformativa

Amediação, a conciliação e a arbitragem são formas de resolver conflitos fora do âmbito judicial. Na mediação, vale dizer que o terceiro imparcial se denomina mediador e não pode decidir, pois a decisão cabe aos envolvidos. Mas o mediador opera no sentido de tornar as coisas mais fáceis para ambas as partes.

Existem diferentes tipos de mediação, cada uma com suas características. Neste post, falaremos sobre a mediação transformativa. Leia o conteúdo que segue e descubra mais sobre ela!

O que é mediação penal? Descubra tudo sobre o tema

A aplicação da mediação em diferentes segmentos é uma vantagem incrível para a população, mas também para o próprio Poder Judiciário. Pouco a pouco, esse instituto está sendo ajustado à realidade do país. Com a adoção doNovo Código de Processo Civil (2015), a mediação passou por uma disciplina legal que tem favorecido a sua prática e disseminação.

No âmbito criminal (ou seja, em questões que envolvem o Direito Penal), as transformações têm acontecido no intuito de tornar mais efetivas as promessas democráticas que ainda não estavam sendo aplicadas em nossa sociedade. Desde 2009, o conceito de Justiça Restaurativa (ou Justiça Restauradora) vem sendo trabalhado no país. O desenvolvimento desse conceito está em curso desde que a ONU se envolveu diretamente no assunto.

Neste post, veremos o conceito de mediação penal e a sua importância para a Justiça Criminal Humanizada. Leia o post e tire suas dúvidas!

Entenda o que é a mediação obrigatória

A conciliação, a arbitragem e a mediação estão se popularizando entre os cidadãos brasileiros, embora sejam institutos usados há muitos anos na Europa e nos Estados Unidos, especialmente a arbitragem.

Vale dizer que, na conciliação e na mediação, as próprias partes resolvem a disputa, escolhendo a melhor solução para ambas. Na arbitragem, por sua vez, há o árbitro como decisor imparcial. Ele dá a sentença final, cujo valor é o de uma sentença judicial, não podendo ser contestada na maioria das vezes.

Ainda que esses métodos estejam sendo muito mais bem acolhidos na solução de conflitos hoje em dia, e por isso também mais estudados, muitas pessoas ainda não sabem sobre a existência da mediação obrigatória. Você sabe do que se trata? Veja em quais situações ela é aplicável.