Entenda qual é o papel do mediador

A mediação, juntamente com a conciliação e a arbitragem, é uma das principais maneiras de resolver conflitos fora dos tribunais de Justiça. Na arbitragem, temos o árbitro. Na conciliação, temos o conciliador. Finalmente, na mediação, temos o mediador.

O mediador exerce um importante papel para que o conflito caminhe para um final adequado e satisfatório. É peça importante para que advenha a melhor solução, que agrade ambas as partes envolvidas no evento.

Se você se interessa de alguma forma pelo assunto, vale a pena saber qual o verdadeiro papel do mediador em uma sessão de mediação. Que tal ler o post até o final e saber mais sobre isso? Não deixe de conferir!

entenda-qual-e-o-papel-do-mediador

O que é exatamente a mediação?

Na mediação, as partes entram em acordo com a finalidade de resolver um conflito sem recorrer ao Poder Judiciário e à intervenção de um juiz. Na mediação, a terceira pessoa é representada pela figura do mediador, que conduz de forma privada e respeitará a vontade das partes durante todo o processo.

A mediação é um instituto democrático, pacificador e voluntário, cujos resultados apresentam-se, em geral, bastante satisfatórios. Ela se baseia no relacionamento mais direto entre as partes (sejam pessoas físicas ou pessoas jurídicas) em busca de um entendimento comum.

Tal como a conciliação, o instituto ora em estudo se trata de uma forma homocompositiva (ou autocompositiva) de resolver os desentendimentos entre as pessoas. Isso significa que são as próprias partes que chegam a um consenso entre si, tomando uma decisão. O mediador não dá nenhuma sentença, só estimula o consenso.

De acordo com os autores Cooley e Lubet, a mediação é um processo no qual uma parte neutra ajuda os litigantes a chegar a um acerto voluntário sobre suas diferenças por meio de um acordo que define seu futuro comprometimento mútuo.

Qual seria o papel do mediador?

O papel do mediador é estabelecer uma comunicação direta e adequada entre as duas partes. Essa conversação deve estimular ações de cooperativismo, e não de competitividade. É claro que há uma disputa, mas o mediador não deve acirrar o conflito, tornando-o pior. Sua função é fazer com que a contenda se apresente como menos grave do que as partes a consideram.

O mediador tem que explicar de forma clara os procedimentos da mediação, acentuando o seu papel de facilitador, e não de conselheiro. Mantendo uma relação amigável com os envolvidos, consegue trazer mais credibilidade ao ato, criando um ambiente favorável e que passe confiança na procura por uma solução satisfatória para as pessoas que buscam o instituto para sanar suas contendas.

É papel do mediador atuar com imparcialidade e ajudar na geração de um ambiente aderente à resolução do conflito, além de conduzir todos os procedimentos respeitando a privacidade das partes (manutenção do sigilo). Desse modo, deve incentivar os envolvidos a buscar uma solução aceitável e duradoura.

New Call-to-action

E quais são as habilidades do mediador?

O profissional que atua, ou pretende atuar, em processos de mediação precisa trazer habilidades que o tornem competente a conduzir os casos da melhor maneira possível, no sentido de obter um consenso entre os envolvidos.

Além de conhecer as técnicas e os conhecimentos teóricos sobre o que é mediação, o mediador precisa compreender a complexidade do problema que tem diante de si. Deve ser comunicativo, capaz de entender os vários critérios e juízos de valor de outras pessoas, bem como ser capaz de incorporar o interesse efetivo no bem-estar dos envolvidos.

O mediador precisa ser muito habilidoso porque é tarefa difícil identificar os reais interesses das partes. Isso acontece porque, uma ou ambas as partes podem não estar realmente cientes de quais são seus verdadeiros interesses e nem como podem resolvê-los. Ainda há a possibilidade de que algum dos envolvidos queira omitir algo com a intenção de que será mais vantajoso se a parte antagônica não tomar conhecimento do fato ou informação.

O mediador também deve respeitar padrões de comportamento e profissionais (ética pessoal e profissional) que sirvam para qualificá-lo perante a sociedade com uma imagem positiva. Deve, assim, abraçar os princípios de:

  • - Neutralidade;
  • - Imparcialidade;
  • - Competência;
  • - Habilidade.

A atenção do mediador carece de ser aguçada. Deve saber imediatamente quando é necessário contornar uma conversa de natureza ambígua e provocativa, que pode estar se transformando em um círculo vicioso. Vale também expressar muita sensibilidade para identificar os sinais de comunicação corporal e visual: gestos, a posição do corpo, o olhar, o equilíbrio de poder entre as partes. Será que uma das partes está exercendo mais poder que a outra, intimidando-a, por exemplo? Cabe ao profissional notar essas circunstâncias.

Quais são os deveres do profissional que vai mediar?

Também é papel do mediador cumprir certos deveres, como os que seguem:

  • - Assegurar que as partes tenham acesso às informações principais que esclareçam o que é, de fato, o processo de mediação;
  • - Garantir a confidencialidade e assumir seu compromisso, deixando bem evidente que qualquer elemento do processo somente será divulgado se as duas partes derem sua autorização por escrito;
  • - Ser diligente, garantindo que os resultados do processo sejam fornecidos dentro do prazo e com a qualidade esperada;
  • - Garantir a credibilidade, mantendo do começo ao final do processo, uma atitude coerente e de independência, sustentando uma relação amistosa e profissional com as partes.

Como é a resolução do conflito por meio da mediação?

Mais uma vez, é importante realçar que o mediador não poderá resolver conflitos, pode apenas mediá-los. Quando os envolvidos chegam a um acordo, o profissional de mediação não tem o direito de questionar, ainda que ele considere que a solução adotada não tenha sido a melhor.

Nessa etapa final da mediação, o mediador não tem o direito de manifestar sua opinião, nem interferir. A função de qualquer mediador é restaurar a comunicação entre as partes para que seja alcançado o bem comum.

Em alguns casos, o mediador tem que recorrer ao caucus. O caucus é uma conversa individual do mediador com cada parte. Trata-se de uma etapa muito delicada, e o profissional que media deve ter plena consciência de seu papel no processo.

Durante essa conversa individual, o mediador não deve, em hipótese alguma, ser tendencioso, apresentando ideias a favor ou contra algum dos envolvidos. Seu compromisso deve ser com o bem-estar geral e o alcance do melhor resultado.

Existe algum curso preparatório para ser mediador?

Para evitar falhas no desenvolvimento de suas atividades na mediação, valeria a pena fazer um curso de especialização que aborde todos os assuntos relacionados ao papel do mediador.

Você tem interesse profissional na área? Aproveite para conhecer o curso de pós-graduação em mediação, conciliação e arbitragem que o Unipê oferece. Para quem quer atuar como mediador, se trata de uma ótima opção para aprofundar seus conhecimentos.

O papel do mediador difere do papel do árbitro porque ele não profere nenhuma sentença, mas fornece apenas algumas orientações para esclarecer as partes sobre a resolução do conflito. É extremamente válido, portanto, que o profissional estude bastante para exercer suas atividades.

O que achou do post? Aproveite para deixar seu comentário sobre o post!

baixe o minibook!

Tags: papel do mediador, mediação

Posts populares

Assine nossa newsletter