Entenda o que é a mediação obrigatória

A conciliação, a arbitragem e a mediação estão se popularizando entre os cidadãos brasileiros, embora sejam institutos usados há muitos anos na Europa e nos Estados Unidos, especialmente a arbitragem.

Vale dizer que, na conciliação e na mediação, as próprias partes resolvem a disputa, escolhendo a melhor solução para ambas. Na arbitragem, por sua vez, há o árbitro como decisor imparcial. Ele dá a sentença final, cujo valor é o de uma sentença judicial, não podendo ser contestada na maioria das vezes.

Ainda que esses métodos estejam sendo muito mais bem acolhidos na solução de conflitos hoje em dia, e por isso também mais estudados, muitas pessoas ainda não sabem sobre a existência da mediação obrigatória. Você sabe do que se trata? Veja em quais situações ela é aplicável.

Descubra como funciona a mediação entre vizinhos

A mediação pode ser realizada em diferentes situações e para resolver conflitos entre diferentes pessoas. Ela é aplicável a pessoas físicas, mas também a pessoas jurídicas. É muito eficaz para solucionar conflitos complexos e sérios e contendas mais simples, em âmbito familiar, escolar, empresarial, de administração condominial, e assim por diante.

Essa proposta seria aplicável, então, aos eventuais conflitos entre vizinhos? Sim! Vale dizer que os conflitos entre vizinhos são comuns e muito antigos. Quando as casas não eram tão próximas umas das outras, os contíguos brigavam por causa de terras. Alguém que avançasse um palmo de sua cerca no terreno do outro já dava motivos para queixas e brigas sérias. Também havia discussões por causa de um animal que entrava no terreno adjacente e causava algum estrago.

Atualmente, as discussões entre vizinhos trazem as mais variadas causas: barulho fora de hora, a sujeira ou depredação na calçada, as brigas por conta de meias-paredes, danos materiais e até adultérios. Veja como funciona a mediação entre vizinhos e como ela pode resolver problemas de uma forma mais amena e rápida!

Entenda qual é o papel do mediador

A mediação, juntamente com a conciliação e a arbitragem, é uma das principais maneiras de resolver conflitos fora dos tribunais de Justiça. Na arbitragem, temos o árbitro. Na conciliação, temos o conciliador. Finalmente, na mediação, temos o mediador.

O mediador exerce um importante papel para que o conflito caminhe para um final adequado e satisfatório. É peça importante para que advenha a melhor solução, que agrade ambas as partes envolvidas no evento.

Se você se interessa de alguma forma pelo assunto, vale a pena saber qual o verdadeiro papel do mediador em uma sessão de mediação. Que tal ler o post até o final e saber mais sobre isso? Não deixe de conferir!

Conheça os principais tipos de mediação existentes

A mediação é uma das formas de resolução de conflitos extrajudiciais que está se tornando cada vez mais popular. Os próprios advogados e o Poder Judiciários estimulam a adoção da mediação em diferentes casos. Dessa maneira, será possível reduzir o impacto que o volume de processos judiciais causa sobre os tribunais da Justiça.

Além disso, a mediação favorece uma resolução mais amigável, um melhor entendimento entre as partes, visto que são elas mesmas que resolvem o conflito, tendo um profissional para mediar a relação e tornar o entendimento entre os envolvidos verdadeiramente exequível.

Existem diferentes tipos de mediação. Você conhece quais são? Leia o post a seguir e conheça os principais.

Entenda mais sobre o princípio da confidencialidade na mediação

As formas extrajudiciais de resolução de conflitos vêm ganhando mais espaço entre as soluções adotadas pelas pessoas, a fim de dirimir seus problemas de natureza econômica. As formas mais importantes são a arbitragem, a conciliação e a mediação.

Cada um desses recursos usados para a resolução de conflitos tem suas características próprias, ainda que muitos guardem similares entre si. Em todo caso, há alguns princípios que devem ser seguidos conforme os textos normativos que tratam dessas formas extrajudiciais.

Neste post, falaremos mais sobre o princípio da confidencialidade na mediação. Já o conhece? Saiba mais a respeito do assunto!